btsbr.co.vu/archive & btsbr.wordpress.com
SITE: Bangtan Brasil - Fã Base
VERSÃO: 1.3 - WINGS BLUE
DESDE: 29.03.2013
VISITAS: ARMYs
Bulletproof Boy Scouts (em coreano: 방탄소년단) é um grupo masculino sul coreano de hip-hop formado pela Big Hit Entertainment. Geralmente conhecidos como BTS, são também chamados de Bangtan ou Bangtan Boys. Eles estrearam em 13 de junho de 2013 com sua.. LEIA MAIS
SEJA BEM VINDO AO BANGTAN BRASIL, A PRIMEIRA E MAIOR FÃ BASE BRASILEIRA DO BTS. FEITA DE FÃ PARA FÃ!

Categoria: Artigo

Publicado em 24.09.2018
RM deu dicas para o novo álbum do BTS em seu discurso para a ONU? 😱
ARMYs de todo o mundo estão teorizando nas redes o significado do discurso

Header

Se você não gosta do BTS, então eu não gosto de você. O grupo de K-pop está dominando o mundo da música, literalmente, e na segunda-feira, 24 de setembro, eles passaram pelas Nações Unidas em colaboração com a UNICEF para fazer um discurso tocante com foco em igualdade, amor-próprio e ir atrás de seus sonhos. Com Jimin, JungKook, V, SUGA, Jin e J-Hope ao seu lado, o líder do grupo, RM (cujo nome real é Kim Namjoon), fez um discurso arrebatador sobre sua juventude e ser verdadeiro consigo mesmo no lançamento do projeto Generation Unlimited, uma parceria global que visa garantir que todo jovem tenha educação, aprendizado, treinamento ou emprego até 2030. Mas além de inspirar a todos com suas palavras, o vídeo do discurso de RM nas Nações Unidas despertou a atenção dos ARMYs em outro aspecto também: Uma potencial pista sobre o título do próximo álbum do BTS.

RM abordou muitos tópicos importantes durante seu tempo no pódio. Ele descreveu sua jornada desde seus tempos de menino em Ilsan, uma pequena cidade próxima de Seul, Coreia do Sul, e como se juntar ao BTS mudou sua vida. Ele também falou da campanha Love Myself, que tem o objetivo de incentivar fãs e cidadãos no mundo todo a amar a si mesmo e aos outros. Em um comunicado, o grupo explicou:

Na nossa campanha ‘Love Myself’, falamos sobre o significado do verdadeiro amor. Nós encorajamos cada jovem a encontrar o amor dentro de si e espalhar esse amor para os outros. Acreditamos que o apoio mútuo da juventude é o primeiro passo para demonstrar amor.

RM iniciou seu discurso mencionando o envolvimento do BTS com a UNICEF. “É uma grande honra ser convidado para uma ocasião tão importante para a juventude de hoje”, ele disse. “Novembro passado, o BTS lançou a campanha ‘Love Myself’ em parceria com a UNICEF, fundada na nossa crença de que o verdadeiro amor começa com o amor-próprio. Em parceira com o programa da UNICEF pelo fim da violência, para proteger crianças ao redor do mundo da violência.”

Ele continuou falando de sua própria jornada com amor-próprio e como o sucesso do BTS deu a oportunidade para que ele e os outros integrantes pudessem ouvir histórias pessoais de seus fãs. “Essas histórias constantemente nos lembram da nossa responsabilidade”, ele disse. “Nós aprendemos a nos amar, então agora eu peço que vocês falem por vocês. Eu queria perguntar a cada um, qual o seu nome? O que te empolga e faz seu coração bater mais forte? Me conte a sua história. Eu quero ouvir sua voz, e quero ouvir suas convicções. Não importa quem você é, de onde você veio, a cor da sua pele ou sua identidade de gênero, só fale por você mesmo.”

Você pode conferir o discurso inteiro abaixo:

O discurso do RM deixou os fãs totalmente inspirados, além de orgulhosos das conquistas dos garotos (eles são o primeiro grupo de K-pop na história a falar nas Nações Unidas). Esse definitivamente é um momento histórico para o grupo, o K-pop e para jovens ao redor do mundo.

Mas um pequeno detalhe no final do discurso realmente chamou a atenção dos ARMYs. RM finalizou com as seguintes palavras: “Qual o seu nome? Fale por você mesmo. Muito obrigado.”

Fale por você mesmo (Speak yourself, em inglês)? Percebeu quantas vezes ele disse isso durante o discurso? Parece poderoso o suficiente para ser, tipo, o título de um álbum!

https://twitter.com/SUPERS0NS/status/1044284955155673088

[TRAD] Espera ai. O Namjoon disse “speak yourself”. É esse o título do novo álbum? Porque deveria ser.

https://twitter.com/bangbangtan1204/status/1044290207728656386

[TRAD] Álbum: Speak Yourself
Single principal: Who are you? (Quem é você?)

[TRAD] Será que eles acabaram de dar uma pista do comeback no discurso da ONU? Isso está um nível acima dos limites do universo

[TRAD] Sim. O título do álbum será Speak Yourself.

[TRAD] Diga o que você quiser mas Speak Yourself é o título do próximo álbum/série.

 

Uau. Se o próximo álbum não for Speak Yourself, a decepção vai ser grande. Mas tipo, só por um segundo, porque vamos falar sério: comprariamos qualquer álbum do BTS. Mesmo que ele se chamasse Não Compre Esse Álbum. Pode acreditar.

Confira o discurso completo aqui.

 

Fonte: EliteDaily
Trans eng-ptbr; maureen h. @ btsbr


Publicado em 22.09.2018
Sucesso estrondoso: A série “Love Yourself” em números
Venha relembrar alguns dos números impressionantes decorrentes da trilogia!

IMG 01

Há um ano o septeto sul-coreano BTS lançou a primeira parte de sua icônica trilogia Love Yourself, em 18 de setembro de 2017. Love Yourself: Her, liderado pelos singles “DNA” e “MIC Drop”, tornou-se o primeiro álbum Top 10 do grupo nos Estados Unidos, e precedeu o lançamento de Love Yourself: Tear, em maio, e Love Yourself: Answer, de agosto, e os três chegaram ao primeiro lugar. Todos os álbuns fizeram história em diversas ocasiões, e com cada novo recorde o grupo se impulsionou para rapidamente virar um dos mais populares artistas estrangeiros a ir para os Estados Unidos. No momento, o BTS está no meio de sua “BTS World Tour: Love Yourself”, que esgotou ingressos de mais de 30 shows em três continentes. O impacto da Love Yourself, tanto na carreira do BTS, quanto no estado da cena musical global, será sentido por anos a frente, mas, em homenagem ao aniversário da série, vamos relembrar alguns dos números decorrentes da trilogia. Todos os dados foram colhidos no dia 17 de setembro de 2018.

1: A classificação que tanto Tear como Answer estrearam na lista americana Billboard 200: BTS é o primeiro e único artista coreano a ter um álbum listado em charts americanos, e é mais impressionante ainda que tenham repetido o feito em menos de 6 meses. Eles são os primeiros em 10 anos a atingir o primeiro lugar com álbuns estrangeiros, o último sendo Ancora, de II Divo, em 2006.

Todos os 3 álbuns da Love Yourself também atingiram a primeira posição do Gaon, da Coreia do Sul, e chegaram à posições altas em outros charts semanais de álbuns ao redor do globo.  

3: A quantidade de músicas da Love Yourself que receberam certificação dourada da RIAA: Tanto “DNA” como “MIC Drop (Remix)”, produzida por Steve Aoki, receberam a condecoração em 2018.

5: O lugar na lista Billboard Hot 100 do Canadá onde “IDOL”, single do Love Yourself: Answer, estreou na lista de 8 de setembro de 2018. É a posição mais alta que qualquer single do septeto chegou em rankings musicais da América do Norte.

7: Colocação de Love Yourself: Her no chart Billboard 200 ano passado. Foi o primeiro álbum do grupo a chegar ao Top 10, antecipando as estreias em primeiro lugar de tanto Tear, como Answer.

9: Posição alcançada por Love Yourself: Tear no ranking da Nielsen Music de Top 10 Álbuns Físicos do primeiro semestre de 2018. No momento de sua postagem, em julho de 2018, o ranking relatava 132 mil cópias do álbum vendido nos Estados Unidos desde seu lançamento, em 18 de maio, e o final de junho.

10: Lugar mais alto atingido pelo single de Tear, “FAKE LOVE”, no chart da Billboard Hot 100. É a terceira posição mais alta alcançada por uma música coreana, após o hit de Psy “Gangnam Style”, que atingiu a segunda colocação em 2012, e seu single seguinte em 2013, “Gentleman”, que chegou ao quinto lugar.  

11: Posição mais alta alcançada até então por “IDOL”, single de Love Yourself: Answer e com a participação de Nicki Minaj, na Billboard Hot 100.

12: Número de versões diferentes da série Love Yourself, onde cada versão de um dos álbuns soletrava uma das palavras do título: o conjunto de Her soletra “LOVE”, Tear contém “YOUR”, e Answer termina a frase com “SELF”. Todos os 12 álbuns possuem conteúdos internos diferentes do grupo.

14: Número de MVs, trailers de comeback e highlight reels associados aos álbuns Love Yourself baixados no YouTube, todos focando em algum aspecto dos elementos temáticos da série.

21: Colocação de estreia de “IDOL” no chart de Singles Oficiais do Reino Unido, a primeira música do grupo a atingir uma posição dentro do Top 40 no país. Love Yourself: Answer chegou ao 14º lugar no chart de Álbuns Oficiais.

25/26: O número total de faixas de Love Yourself: Answer, a compilação de toda a série. Junto com músicas originalmente presentes em Her e Tear, também teve sete novas músicas, além de versões alternativas de músicas lançadas anteriormente. A versão alternativa de “IDOL”, com a participação de Nicki Minaj não está presente nas cópias físicas do álbum mas disponível digitalmente como a 26ª faixa bônus.

28: Posição mais alta atingida por “MIC Drop (Remix)”, o segundo single de Her, com a participação de Desiigner e produzida por Steve Aoki.

33: Número de shows anunciados até então na tour atual do BTS, “BTS World Tour: Love Yourself”. Todas as datas, incluindo o primeiro show em estádio do septeto nos Estados Unidos, e diversos shows de arena no Japão, estão todos esgotados. O site do grupo coreano promete “mais datas em breve”, mas a tour já passou de 600 mil ingressos vendidos.

67: colocação mais alta atingida por “DNA” na Billboard Hot 100, a primeira música do BTS a aparecer na lista.

73: Países onde Tear chegou ao primeiro lugar no iTunes. Answer chegou ao topo em 66 regiões.

101: Semanas onde o grupo ficou no chart Billboard Social 50. O grupo ficou 91 semanas no primeiro lugar. O discurso de RM do Billboard Music Awards de 2017, onde BTS ganhou o prêmio de Top Social Artist, apareceu em Love Yourself: Her.

229: Valor aproximado de todos os 12 álbuns da Love Yourself, de acordo com os preços atuais na Amazon e a loja oficial do BTS.

340: número de dias entre o lançamento de Love Yourself: Her, em 18 de setembro, e a conclusão da série, em 24 de agosto, com Answer. O prazo entre o lançamento do primeiro Highlight Reel, em 18 de agosto de 2017, e o final da série com Answer foi muito próximo de um ano.

45,000: Quantidade de downloads vendidos de “MIC Drop” em sua primeira semana, de acordo com a Nielsen Music, que também verificou 9.8 milhões de reproduções nos Estados Unidos. Foi a primeira música do grupo a atingir o Top 40 dos Estados Unidos.

135,000: Quantidade equivalente de álbuns vendidos na primeira semana de Tear nos Estados Unidos, de acordo com Nielsen Music, possibilitando que este álbum fosse o primeiro álbum do BTS a atingir o primeiro lugar da Billboard Hot 100. Deste número, 100 mil representam álbuns vendidos de maneira tradicional.

185,000: Número equivalente de álbuns vendidos na primeira semana de Answer em sua primeira semana nos EUA, fazendo com que o terceiro álbum da série Love Yourself se tornasse o segundo do septeto a atingir a primeira colocação. Dessa soma, 141 mil unidades foram vendidos de maneira tradicional.

860,000: Número de álbuns Answer vendidos em sua semana de estreia.

1.03 milhões: Valor acumulado, em dólares americanos, ou então 1.15 bilhões de wons coreanos, destinados à campanha da UNICEF Love Myself. Foi apresentada em outubro do ano passado em colaboração com a trilogia Love Yourself; 3% do lucro produzido com as vendas de álbuns físicos são destinados para a causa.

1.44 milhões: Número de cópias vendidas em pré-venda de Tear na Coreia do Sul antes de sua estreia em maio, o maior número já registrado no país até então. Esse valor seria superado por Answer em Setembro.

1,493,443: cópias vendidas de Her, lançado em setembro, ao longo do resto de 2017 de acordo com Gaon Chart, da Coreia do Sul.

 

1,511,910: Quantidade de cópias de Answer vendidas em pré-venda na Coreia do Sul, superando tanto Her, como Tear em quantidade de álbuns vendidos na pré-venda mesmo sendo uma compilação, ou álbum repackage, que possuía tanto músicas originais e previamente lançadas.

1,933,450: Número de cópias Love Yourself: Answer supostamente vendeu após apenas 8 dias do lançamento do álbum em 24 de agosto. É a maior quantidade de álbuns vendidos em um mês já registrada no Gaon Chart, da Coreia do Sul, desde seu início em 2010. Tear tem o segundo maior número já registrado, com 1.664.041 cópias vendidas.

45 milhões: visualizações em “IDOL” nas primeiras 24 horas assim como registrado pelo YouTube, o melhor dia de estreia para qualquer videoclipe já baixado no site.

1.35 bilhões: Soma das visualizações dos cinco MVs lançados como parte da série Love Yourself (“DNA,” “Mic Drop,” “Fake Love,” “IDOL” “IDOL com participação de Nicki Minaj”).

2.21 bilhões: Valor estimado (em dólares americanos) ganhado pela empresa do BTS, BigHit Entertainment, em 11 de setembro, de acordo com análise feita pela empresa sul-coreana Hana Investimento Financeiro. Isso, em wons coreanos, chega ao número de 2.5 trilhões.

 

Fonte: Forbes
Trans eng-ptbr; fer zloccowick @ btsbr

 


Publicado em 21.09.2018
Matthew McConaughey e sua família dançam a noite toda ao som do BTS!
Quem diria que um ganhador do Oscar é ARMY?

Quem diria que o texano é fã, não apenas de K-pop, mas de um dos grupos mais conhecidos do gênero?

Matthew McConaughey apoia o time de basquete da Universidade do Texas e o jogador de futebol Nick Foles, e é fã de artistas como Willie Nelson e Jay-Z, e, aparentemente, também da sensação do K-pop, o BTS.

O ator ganhador de Oscar e residente da área de Austin, capital do Texas, foi flagrado com sua esposa e filhos curtindo ao som do grupo sul coreano na noite do último domingo, em um dos shows da turnê mundial do grupo, “BTS World Tour: Love Yourself”, que ocorreu no centro de convenções em Fort Worth.

Com uma camisa estampando sua frase de efeito “Alright, alright, alright” [certo, certo, certo] e óculos escuros, a superestrela não fez questão de permanecer escondido.

Usuários sortudos do Twitter disseram estar maravilhados por sentar tão perto do ator e por descobrir que ele também é fã de K-pop.

Anna River disse: “Hoje eu vi um ator americano, Matthew McConaughey, fazendo vídeos durante a turnê #LOVE_YOURSELF em #FortWorth. Os fãs do @BTS_twt estão crescendo!”

E, quando a irmã de Diego Cintron comprou seus ingressos para o show, ela não tinha a mínima ideia sobre quem sentaria à sua frente.

 

“Minha irmã foi ao show do BTS e, na fileira à sua frente, estava Matthew McConaughey”, ele disse.

Um ARMY, nome dado aos fãs do grupo, marcou a KVUE em uma foto e disse, “Aqui está uma foto dele, sua esposa e filhos! Eles realmente aproveitaram o show! Estou tão feliz por ele ter aproveitado mesmo com a “barreira linguística” (bom, o BTS sempre consegue quebrá-las e estou tão grata por eles existirem!)”.

E o usuário de nome @honeyhjams_ disse que ele estava sentado bem próximo ao famoso, escrevendo “De qualquer forma, Matthew McConaughey estava na minha sessão do show do BTS em Fort Worth!”

O show do grupo em Fort Worth foi um dos 5 que o septeto apresentará nos Estados Unidos. E se você não sabe quem são as sensações do pop coreano ou nunca ouviu nenhuma de suas músicas, não se preocupem, pois eles chegaram para ficar.

 

De acordo com o Fort Worth Star-Telegram, o grupo está trazendo as boybands de volta à cena, preenchendo um espaço que estava desocupado desde a separação da One Direction. O Star-Telegram diz que o BTS é o primeiro artista pop a estrear dois álbuns na primeira posição em menos de um ano desde 2014. E, mesmo com seus álbuns cantados em sua maioria em coreano, tanto o grupo como o próprio gênero do K-pop cresce em popularidade nos Estados Unidos e ao redor do mundo.

 

Confira o mais recente lançamento do grupo, com participação da rapper Nicki Minaj abaixo.

 

Fonte: KVUE
Trans eng-ptbr; Jojo Viola @ btsbr


Publicado em 21.09.2018
Os shows do BTS estão à altura do hype que recebem? (SIM!)
A espera na fila não diminuiu o entusiasmo dos fãs nem um pouquinho!

Você ouviu isso?

Bem, deixe-me explicar para o resto dos residentes da baía de São Francisco – e possivelmente também para o resto do oeste dos Estados Unidos – o que foi esse som incrivelmente alto vindo da Arena Oracle, em Oakland.

Foi a reação da plateia lotada quando o BTS – o grupo musical mais popular do planeta – entrou no palco na quarta-feira (12 de setembro).

Uau. Apenas uau.

Gerações passadas tiveram a Beatlemania, o orgulho Backstreet e a febre Bieber. Mas faz muito tempo desde que se viu algo tão apaixonado (e tão alto) quanto os ARMYs do BTS, que apareceram com força total para a única parada da turnê norte-americana super bem sucedida do grupo na baía de São Francisco.

Centenas de pessoas ficaram na fila fora da arena por horas – e, de acordo com algumas reportagens, até dias – antes da hora do show, apenas esperando para entrar na “Fan Experience” do BTS, montada no estacionamento, e então, claro, no próprio show.

Mesmo assim, todo aquele tempo esperando na fila não diminuiu o entusiasmo dos fãs nem um pouquinho quando a boy band sul-coreana  entrou no palco e começou a apresentar o hit “IDOL”.

A reação da plateia foi ensurdecedora, mesmo para quem estivesse usando protetor auricular, conforme os fãs enlouqueceram ao mero vislumbre de seus heróis em carne e osso. E o BTS não desapontou seus fãs, com os sete cantores/dançarinos dando um show que conseguiu chegar à altura do hype estrondoso que os cercava.

Na verdade, a histeria começou bem antes do grupo entrar no palco. Foi incrível ver – e ainda mais ouvir – as reações aos clipes do grupo, projetados nas grandes telas acima do público. Os ARMYs estavam arrasando nos vocais, cantando junto com as letras, que são em coreano e em inglês.

[TRAD] E o @bts_bighit nem subiu ao palco ainda…

Mas fez total sentido o porquê de esses fãs estarem tão animados para o show. Afinal, foi o ingresso mais cobiçado do ano na baía de São Francisco – mais conhecida como Bay Area – e esses fãs tiveram sorte o suficiente para comprá-los.

Claro, o melhor jeito de saber o quão cobiçado é um ingresso é dar uma olhada no que está acontecendo no mercado secundário de tickets (revendas).  

A data da turnê na Arena Oracle ficou no topo do ranking de shows da Bay Area no Stubhub (uma empresa de troca e venda de ingressos on-line), em termos de média do preço de revendas para os ingressos. Stubhub estava ganhando por volta de U$421,00 por ingresso, o que ultrapassou e muito os valores para qualquer outro show na área.

Em comparação, o show do Eagles no AT&T Park, em 20 de setembro, ficou em segundo lugar na lista, arrecadando uma média de U$151,00 por ingresso. A grande apresentação de Beyoncé e Jay-Z no dia 19 de setembro, no estádio Levi, ficou com o terceiro lugar do ranking, com a média de U$201,00.

As estrelas do K-Pop soaram fortes e firmes tanto coletivamente quanto individualmente em Oakland. O show começou com quatro números em grupo, um atrás do outro, indo de “IDOL” para “Save Me”, “I’m Fine” e “Magic Shop”.

[TRAD] Finalmente… @bts_bighit sobe ao palco na @OracleArena na cidade maravilhosa de #Oakland

E então se iniciou o longo processo de passar o holofote à cada um dos sete membros, começando com o J-Hope em “Trivia: Just Dance” e depois com JungKook em “Euphoria”. Cada uma das apresentações funcionou muito bem, parte devido aos estilos vocais diferentes e bem complementares representados dentro do BTS. Fiquei com a impressão de que nós estávamos realmente testemunhando sete estrelas, individualmente, cada um com o potencial de desfrutar de uma carreira solo de sucesso fora da banda.

 

No geral, o show foi bem organizado e coreografado, com o BTS cantando algumas canções pop divertidas e acompanhando os passos de dança em dois palcos diferentes, os quais eram conectados por uma longa passarela no chão da arena.

O grupo fechou a sequência principal com agitação, performando versões consistentes de “Tear” e “Mic Drop” diante de uma multidão que devorou, faminta – e fazendo muito barulho – cada nota.

[TRAD] UAU! Centenas de fãs chegaram cedo na fila para a “Fan Experience” e para o show do @BTS_twt na Arena Oracle em Oakland. #BTSArmy #BTS

Fonte: Mercury News
Trans eng-ptbr; VenomQ @ btsbr


Publicado em 19.09.2018
Os fanboys que são apaixonados por JungKook
O caçula do grupo é o preferido de uma porção dos fãs que chama atenção

Durante o show do dia 6 de setembro em Los Angeles, os fanchants dos fãs masculinos de JungKook durante “Euphoria” foram um dos tópicos mais comentados da noite.

Mesmo não sendo fluentes em coreano, os fanboys deram um show ao gritar alto e uníssono recitando a icônica e memorável “Annyeonghaseyo jeoneun bangtan sonyeondan hwanggeum maknae Jeon JungKook imnida”  apresentação do caçula do BTS, em tom aegyo, durante  um programa musical do qual foi MC.

O tweet que capturou esse momento durante o show atingiu mais de 30 mil likes e se espalhou mundialmente. Além disso, um fã foi flagrado usando uma camiseta com os mesmos dizeres escritos!

 

JungKook revelando seus abs, momento eleito um dos melhores da noite pelo próprio Billboard Music Awards, muitos fanboys foram vistos indo à loucura com o físico escultural do menino de ouro.

Nos shows do grupo em Fort Worth, teve até um fã vestido igual ao famoso meme do JungKook no Havaí. E se engana quem acha que essa é a primeira vez que fãs masculinos demonstram seu amor de forma inusitada e divertida por JungKook!

 

JK e seus fanboys já são um fenômeno conhecido!

Durante o festival de Taiwan em julho deste ano, um fã foi flagrado gritando desesperadamente o nome de JungKook enquanto o caçula se despedia e saia do palco, além disso, durante a The Wings Tour, ano passado, um fã viralizou ao usar uma camiseta personalizada com o rosto do maknae e os dizeres, “Você me faz começar* / JungKook case comigo!”.

 

Todos se divertem com os fanboys do JungKook, alguns fãs comentaram, “Jovem, velho, homem ou mulher… ninguém consegue escapar dos charmes do JungKook”.

 

Fonte: Entertainment Naver
Trans ko-eng; JK_Glitters
Trans eng-ptbr; Bia Rehm @ btsbr


Publicado em 18.09.2018
Crítica: BTS lidera a batida do K-pop, mas seus ARMYs dominam o show
O Fort Worth Star esteve no show do grupo e conta como foi a experiência

Antes mesmo do BTS tomar o palco do Fort Worth Convention Center no sábado à noite, os ARMYs estavam roubando os holofotes.

Pense num karaokê com 14 mil pessoas cantando com todo o coração e com muita emoção. Enquanto MVs tocavam nas telas enormes ao lado do palco, os fãs cantavam junto, em inglês e coreano, músicas como “Fire” e “FAKE LOVE”, produzindo um coro alto e incrível enquanto balançavam suas ARMY Bombs, o light stick oficial do grupo.

Eles gritaram mais alto quando uma parte particularmente boa da coreografia foi mostrada, com a apresentação em si ainda por começar.

Quando as luzes diminuíram, os gritos alcançaram um novo patamar, um de muitos que ainda viriam.

O BTS começou o show com pirotecnia e as notas de abertura de “IDOL”, a faixa-título do álbum de 2018 Love Yourself: Answer. Depois, continuaram com “Save Me”, transitando sem esforços para “I’m Fine”.

As coisas desaceleraram com “Magic Shop”, mas logo voltaram a acelerar quando J-Hope tomou o palco sozinho e animou o público com a batida rápida de “Trivia: Just Dance”. Foi fácil observar como o BTS se alimenta da energia dos seus fãs e vice-versa.

Mais tarde, SUGA mostrou seu lado versátil ao cantar em vez de fazer rap em “Trivia: Seesaw”, uma canção sobre um relacionamento que não deu certo, e então RM ficou sob os holofotes com a R&B “Trivia: Love”.

IMG 1

O restante do show, no palco principal e em pequenas ilhas instaladas no chão do centro de convenções conectadas por passarelas que atraiam uma onda de fãs cada vez que um integrante do BTS passava, destacado por diferentes dinâmicas entre o grupo.

“Euphoria”, “Serendipity”, “Singularity” e “Epiphany” (músicas solo de JungKook, Jimin, V e Jin, respectivamente) deu aos quatro integrantes da vocal line a chance de brilhar.

Chegando o fim do show, os quatro também apresentaram “The Truth Untold” juntos, uma balada que começa suave e constrói um ritmo rápido, destacando a força vocal de cada um. Os integrantes da rap line (J-Hope, RM e SUGA) continuaram com “Outro: Tear”, cheia de poder e emoção.

O grupo encerrou a noite com força em “MIC Drop”, quando o público não se mexeu para ir embora e continuaram com os fanchants e gritos, o BTS retornou ao palco com o bis e as músicas “So What”, “Anpanman” e “Answer: Love Myself”.

Na despedida, RM agradeceu todos os fãs que esperaram na chuva para os ingressos e seus lugares. Mesmo antes do fim de semana, alguns fãs montaram acampamento próximo ao centro de convenções com a esperança de conseguir bons lugares para o show, cujo ingressos para as duas noites estavam esgotados (o preço de revenda dos ingressos chegava a US$ 2 mil ou mais, cada).

O BTS se apresentou no sábado e no domingo, 15 e 16 de setembro, em Fort Worth. Segue a set list do show de sábado:

“IDOL,” “Save Me,” “I’m Fine,” “Magic Shop,” “Trivia: Just Dance,” “Euphoria,” “I Need U,” “Run,” “Serendipity,” “Trivia: Love,” “DNA,” “Boyz With Fun,” “Attack on Bangtan,” “Fire,” “Baepsae,” “Dope,” “Airplane pt. 2,” “Singularity,” “Fake Love,” “Trivia Seesaw,” “Epiphany,” “The Truth Untold,” “Outro: Tear” e “Mic Drop”. Músicas do bis: “So What,” “Anpanman,” “Answer: Love Myself”.

 

Fonte: Fort Worth Star-Telegram
Trans eng-ptbr; nalu @ btsbr


Publicado em 17.09.2018
A mensagem transmitida pelo BTS com Love Yourself 結 ‘Answer’
Uma review detalhada sobre o último álbum da trilogia Love Yourself

O primeiro episódio da trilogia Love Yourself estreou há um ano, e o final da saga foi marcada com o lançamento do terceiro e último álbum Love Yourself 結: Answer em 24 de agosto de 2018.

Desde o início, o BTS insinuou que Love Yourself é muito mais que uma série de álbuns, intensificando o projeto com um curta dramático chamado de “Highlight Reel” com os caracteres tradicionais chineses “’起 承 轉 結”. Essas quatro palavras seriam mais tarde incluídas nos títulos dos álbuns e em várias canções, e, conjuntamente, elas representam os quatro atos da estrutura de uma narrativa –  introdução, desenvolvimento, clímax e conclusão.

Com um total de 26 faixas, Answer é, parcialmente, um repackage dos dois álbuns anteriores, Her e Tear. Mas ao ouvir as dezesseis faixas do primeiro disco, sequencialmente, revela-se o arco de uma complicada história de amor.

Começamos com “Euphoria”, uma faixa eletrônica enérgica que descreve a alegria de estar com quem se ama. A canção irradia felicidade com sintetizadores e baixo estilo EDM, e os vocais fluidos de JungKook sustentando altas notas pinta uma visão clara sobre a brilhante utopia descrita na letra.

Seguindo o prólogo, tem-se “Trivia 起: Just Dance”, que reverbera com os mesmos ritmos dançantes ouvidos na mixtape de J-Hope, Hope World. Como marca da fase de introdução, “Just Dance” é sobre se entregar ao momento presente.

Em seguida, surge “Serendipity”, o solo etéreo de Jimin, e “DNA”, originalmente, lançada em Love Yourself 承: Her. Mesmo diferenciando-se na tonalidade musical, ambas focam em como o destino influencia na origem de uma relação. “Dimple”, outra canção relançada, fala sobre a intoxicação associada a apaixonar-se.


Na sexta faixa, finalmente, alcançamos o estágio de desenvolvimento com “Trivia 承 : Love, um solo do rapper e líder RM. “Love” emerge  pensamentos sobre lua-de-mel, e ambas esta e a próxima faixa, “Her”, refletem sobre como um relacionamento muda uma pessoa.

A história atinge um ponto crucial em “Singularity”, de V, quando a dor e a confusão estabelecem-se e o narrador percebe que ele não quer mais suportar esse “FAKE LOVE”.

A sentimental “The Truth Untold” é sucedida por “Trivia 轉: Seesaw”, a qual simboliza a reviravolta da narrativa. Os fãs ouvem um novo lado do rapper SUGA nesta canção melodiosa à medida que ele canta sobre a instabilidade de um relacionamento. Após “Seesaw” vem a intensa “Tear”, exclusiva dos rappers do grupo, inicialmente, lançada como faixa Outro no álbum de mesmo nome.

No solo de Jin, “Epiphany”, o narrador atinge um pico emocional com a percepção de que ele tem tentado tanto amar outra pessoa que ele negligenciou o amor próprio. A balada dramática, que possui seu próprio vídeo, ascende e cai com a voz sentimentalmente expressiva de Jin.

A próxima faixa, “I’m Fine”, utiliza samples do antigo hit do BTS, “Save Me”, mas ao invés de ser um pedido de ajuda, a canção super animada é uma declaração de otimismo e auto afirmação. Ela conduz perfeitamente “IDOL”, acelerada com influências latinas e sul-africanas.

O BTS é conhecido pela sua natureza incontrita em relação ao estilo e ao conteúdo de sua música, e “IDOL” é um ótimo exemplo. Enquanto a canção encaixa-se na história através do tema amor próprio, também acena à indústria que os criou e afirma que eles não comprometerão quem eles são em troca do que os outros esperam que eles sejam. O álbum também inclui uma versão com Nicki Minaj, uma colaboração inesperada, mas adequada, considerando a abordagem audaciosa de sua própria música.

Enquanto Love Yourself 結: Answer não mantém um som consistente, a versatilidade de tons de uma faixa a outra ilustra a montanha-russa emocional de um relacionamento, imitando os altos e baixos através do instrumental e das letras de cada música. O álbum também demonstra a versatilidade do grupo, permitindo que cada membro mostre seu próprio estilo musical pelos solos.

A 16ª faixa, “Answer: Love Myself”, conta com todos os sete membros e leva a história ao encerramento. É uma canção sobre absolvição, sobre perdão e sobre seguir em frente, com a principal lição sendo amar a si mesmo.


Fonte: Soundigest
Trans eng-ptbr; clau @ btsbr


Publicado em 17.09.2018
ARMYs em Fort Worth: uma mãe, uma sobrevivente e uma estudante
Conheça os fãs da vida real que encontraram no BTS uma válvula de escape

No começo dessa semana, a mãe de 39 anos fez seu filho mais velho, Donal, acreditar que ela estava levando seu marido para ver o show do grupo favorito: BTS. Mas, no aniversário de Donal na quarta-feira, Alexy o surpreendeu com o light stick oficial, a ARMY Bomb.

O grupo pop sul-coreano apresentará dois shows esgotados no Fort Worth Convention Center neste fim de semana. A maioria dos fãs locais não têm ideia de por quê o grupo está se apresentando em Fort Worth especificamente, mas estão muito animados.

“Eu não pensei que teria um fandom de K-pop tão grande aqui, mas foi quase impossível de conseguir ingressos,” disse Alexy. “Eles estando aqui em Fort Worth será um show ótimo e intimista.”

Maria Espinosa, uma fã de 15 anos de Fort Worth, diz lembrar de gritar de alegria na escola quando o BTS anunciou as datas da turnê na América do Norte.

Ela só tinha que conseguir os ingressos.

“Eu estava com o meu celular, o tablet da minha mãe, o laptop da minha irmã, meu laptop e o da minha avó, todos no site,” Espinosa disse, contando sobre o dia da venda dos ingressos. “Eu estava tão estressada. Fiquei recarregando a página várias vezes. Quinze minutos se passaram e o BTS é conhecido por esgotar shows muito rápido. Eu ainda não tinha conseguido os ingressos quando atualizei a página uma última vez e consegui os lugares.”

O K-pop é uma indústria de US$5 bilhões, de acordo com a Vox, e se tornou um fenômeno global, parcialmente devido ao sucesso do BTS e a dedicação de seus fãs.

IMG 2

O grupo já passou 90 semanas seguidas no primeiro lugar da Billboard Social 50, uma parada semanal de popularidade que lista os artistas de acordo com sua presença nas redes sociais, engajamento e crescimento.

Ainda que o grupo milhões de fãs e seguidores em cada uma de suas plataformas em redes sociais, o BTS prefere se conectar com os fãs através de suas músicas e performances. Eles, no geral, cantam e fazem rap em coreano mas mesmo aqueles que não falam a língua, como Alexy e Espinosa, encontram significado em suas canções.

“Eles parecem humildes, devem trabalhar até a exaustão, mas sempre parecem muito felizes de estarem vivendo essa experiência,” disse Alexy. “É divertido ver o quão rápido tudo isso mudou para eles. Parecem felizes de estarem fazendo música e seguindo seus sonhos.”

Espinosa ficou particularmente emocionada pelo ativismo do BTS e a vontade de falar sobre assuntos difíceis, indo desde saúde mental até críticas à sociedade sul-coreana.

“Eu amo outros grupos de K-pop mas muitos deles só falam sobre amor e separações e escolha, e o BTS conscientiza sobre depressão, ansiedade e saúde mental,” disse Espinosa.

Lauren Pinto, uma estudante de 23 anos, disse que o compromisso do BTS com justiça social faz o grupo se destacar se comparado com boy bands americanas ou britânicas. Pouco tempo depois de lançar o álbum Love Yourself em 2017, o BTS se juntou com a UNICEF para lançar a campanha “Love Myself” para acabar com a violência contra crianças e adolescentes.

Para Pinto, ir ao show do BTS será a celebração de seu crescimento e superação de desafios. Em 2016, Pinto sofreu uma lesão cerebral e teve que deixar a faculdade na cidade de Austin e voltar para casa em Fort Worth.

“Depois disso, eu fiquei muito desapontada comigo mesmo sabendo que não era culpa minha. Senti que eu não estava indo a lugar nenhum na minha vida,” disse. Isso aconteceu por volta da data que o BTS lançou o álbum WINGS e You Never Walk Alone. “Eles me levaram a fazer tudo que fosse possível para consertar esses problemas, me tratar e voltar para a faculdade.”

BTS não só ajudou Lauren a buscar por sua recuperação, mas ao amor também. Ela estará no show com o seu namorado de três meses, com quem criou vínculos a partir do interesse mútuo em K-pop.

“Nós na verdade nos conhecemos no [site de relacionamentos] OkCupid. Eu não usava mais tão a sério assim mas tinha postado que estava interessada em conhecer outros fãs de K-pop próximos,” disse. “Eu não estava respondendo mensagens mais quando um cara veio e começou a falar sobre o BTS; não consegui deixar passar.”

Ao mesmo tempo que nenhuma das mulheres aqui se identifiquem como ou falem coreano, todas concordam que gostar de K-pop fez com que se abrissem para uma nova cultura e novas possibilidades.

Em casa, Alexy contou, ela está aprendendo coreano e assiste dramas. Enquanto dava aulas para Donal em casa, eles decidiram que aprenderiam coreano juntos. Agora como estudante do ensino médio, ele aprende japonês e é muito bom, ela disse.

“Meus filhos definitivamente têm uma visão de mundo mais ampla por causa da minha paixão pelo K-pop e cultura coreana,” Alexy contou. “Eu cozinho vários pratos tradicionais coreanos agora e eles são muito saudáveis. Nós definitivamente tivemos uma mudança na nossa dinâmica porque meus filhos entendem que existe muito mais no mundo além do nosso próprio país.”


Fonte: Fort Worth Star-Telegram
Trans eng-ptbr; nalu @ btsbr


Publicado em 17.09.2018
Idols que roubaram nossos corações ao estrelar dramas históricos
Kim Taehyung interpretou o jovem Han Sung em “Hwarang” e conquistou à todos

Através dos anos, muitos idols estrelaram filmes e dramas para mostrar que eles podem atuar tão bem quanto dançam e cantam nos palcos.

Aqui estão alguns que impressionaram os espectadores com suas atuações em dramas históricos.

V em “Hwarang”

IMG_02

O V atuou como o jovem Han Sung em “Hwarang”. O integrante do BTS estava lindo com seu cabelo comprido, headband e hanbok.

No drama, V representou perfeitamente o integrante mais jovem do grupo com sua concentração, curiosidade e sorriso brilhante. Ele também contou com sucesso a história da inabilidade do seu personagem de mostrar seu verdadeiro eu, escondido atrás do seu sorriso radiante.

 

As partes que não se referiam ao Bangtan foram omitidas. Você pode conferir o post completo em inglês aqui.

 

Fonte: Soompi
Trans eng-ptbr; clau @ btsbr


Publicado em 14.09.2018
Relembre os melhores momentos da era Love Yourself!
Fotos, vídeos, colaborações... Uma compilação de momentos inesquecíveis

Independentemente de você ser um fã antigo ou novo de K-pop, todo mundo conhece aquela sensação esquisita de medo e antecipação que toma conta de nós em época de comeback quando o relógio marca meia-noite. Após alguns sustos e  alertas falsos, sempre haverá aquele momento em que você se dá conta de que ‘chegou a hora, é real’ e o teaser simplesmente entra de supetão em sua vida, causando um verdadeiro caos.

BTS e a Big Hit Entertainment não são exatamente inocentes quando o assunto é surpreender os fãs e a imprensa com novos lançamentos e, juntamente com eles, novas vertentes de música e estilo. Agora, quase um ano após seu início, a era “Love Yourself” está finalmente completa com o lançamento de Love Yourself: Answer  e “IDOL”.  Que melhor momento do que agora para relembrar os melhores lançamentos da era? Seja teasers, trailers ou MVs – vão reviver essa era mágica que é “Love Yourself”, desde os primeiros teasers de Love Yourself: Her até sua parte final e mais recente, Love Yourself: Answer.

Os pôsteres de dramas

A era “Love Yourself” começou com rumores em 2017 de que a Big Hit Entertainment estava procurando por roteiristas de dramas, misteriosas locações de filmagem e etc. Os ARMYs tentaram descobrir o que estava acontecendo e foram agradavelmente surpreendidos quando os pôsteres individuais de dorama foram lançados, mostrando os meninos em cenários cinematográficos. A imagem de JungKook foi a primeira a ser lançada, apresentando nosso maknae em uma cadeira de rodas e com um sorriso feliz. O pôster melancólico de Yoongi foi o seguinte, seguido de um guarda-chuva empunhando por Jimin, um reflexivo RM em um ônibus, um fofo V e seu reflexo, um feliz J-Hope, e por último mas não menos importante, um Jin incrivelmente namorável.  Mais tarde, outro conjunto de pôsteres foram lançados, cada um com dois integrantes; sendo a exceção Jin, que teve um pôster individual.

Os highlight reels e a história

Em agosto de 2017, o BTS lançou “Highlight Reel”, uma série de curtas-metragens apresentando os integrantes e contando várias histórias. Assim como os trailers de comeback, os highlight reels foram compilados em quatro partes, “起”, “承”, “轉” e “結”, baseados no Kishōtenketsu, uma estrutura tradicional de desenvolvimento narrativo: Introdução, desenvolvimento, virada e conclusão. Nos curtas, o enredo da era “Love Yourself” está ligado à narrativa da era The Most Beautiful Moment In Life, parecendo amarrar as pontas soltas. Uma análise completa da história excederia as restrições deste artigo, mas vamos tentar um esboço: Depois de começarem sozinhos e (talvez) se apaixonarem, os garotos aprendem através dos problemas, dor e desapontamento, que antes de amar outra pessoa, primeiramente é mais importante amar a si mesmos. Portanto, “Love Yourself” não é apenas um título ou tema, mas uma narrativa que se perpetua durante todos os lançamentos da era.

Os fãs ficaram bastante surpresos ao ver os garotos finalmente interagirem com atrizes/ trainees novamente depois de um longo tempo. Apesar de tudo, quase todo mundo ficou impressionado com os garotos mostrando suas habilidades de atuação e mais do que ansiosos para entrarem em pleno modo “teorizador” de conspiração. Já bastante empolgado com o conteúdo das “Notas” lançadas regularmente, é seguro dizer que coisas como a misteriosa flor ou Jimin supostamente sendo substituído por Jungkook em uma cena provocaram os investigadores de teorias do fandom a entrar em ação. E  gente, como entraram.

Os trailers

Assim como o highlight reel, houveram quatro trailers/intros. A vocal line nos agraciou com músicas solos e MVs, cada introdução correspondendo a uma das quatro partes da narrativa. “LOVE YOURSELF 承 Her ‘Serendipity’foi a primeira parte da série, sendo interpretada por Jimin. Logo após, o lançamento deDNA” e “MIC Drop,” JungKook deu continuidade com Euphoria : Theme of LOVE YOURSELF 起 Wonder”, que inclui inúmeras referências a era The Most Beautiful Moment In Life, fazendo com que os ARMYs mais antigos chorassem com a nostalgia. Algumas semanas depois, foi lançado LOVE YOURSELF 轉 Tear ‘Singularity,’, sendo o momento de Taehyung brilhar e introduzir um tom mais sério e sombrio a narrativa. Como a terceira introdução, esta representa a ‘virada’ da narrativa e foi seguida pelo lançamento de Fake Love”. Finalmente, Jin nos agraciou com LOVE YOURSELF 結 Answer ‘Epiphany,”, concluindo a narrativa e proclamando o final da era “Love Yourself” com o lançamento do álbum e do single “IDOL”. Cada uma das quatro músicas realmente mostra as habilidades vocais do respectivo membro – se você pode assistir a isso sem ficar arrepiado pelo menos uma vez, provavelmente você é feito de pedra.

As fotos de conceito

Além dos lançamentos dos pôsteres e curta-metragens, as promoções de Love Yourself: Her  em setembro de 2017 incluíram a revelação das fotos conceituais, divididas nas versões “L” e “O” ou “V” e “E”. “L” e “O” mostraram os garotos em um ambiente romântico e vintage, com cores desbotadas. Em contraste, as fotos “V” e “E” foram visualmente mais intensas com muito color blocking em cores fortes.

Os teaser das imagens de Love Yourself: Tear foram divulgadas em maio de 2018. Dessa vez, as versões “Y” e “U” mostravam os integrantes em um cenário mais romântico, enquanto “O” e “R” o famigerado look jeans e em preto e branco. Em comparação com “Her”, especialmente as versões coloridas de “V” e “E”, “Tear” mostrou um BTS mais maduro e calmo. E olhando o look jeans de Jimin (que é apenas a ponta do iceberg), você pode considerar o conceito mais sexy do grupo.

Seguindo para as fotos conceituais de Love Yourself: Answer: nas versões “S” e “E”, os meninos foram postos em inúmeros sets; desde caixas vermelhas com olhos, mãos e câmeras de vigilância até em gigantes bolhas que lembram uma atmosfera de contos de fada. Já nas edições “L” e “F”, a primeira inclui metade das fotos em preto-e-branco e meia-cor dos meninos, enquanto as fotos em “F” apresentam os integrantes em um tipo de trepa-trepa. O conceito dessa sessão de fotos é o primeiro em muito tempo em que o BTS apresentar conjuntos e itens mais elaborados, dando uma sensação um pouco diferente dos  antecessores.

As músicas e MVs

Apenas um aviso, aqui o texto fica um pouco mais analítico. Então coloque seus óculos de leitura e preste atenção. Para os MVs e respectivos teasers desta era, Love Yourself: Her  tem “DNA” e “MIC Drop”, Love Yourself: Tear tem “Fake Love” e Love Yourself: Answer tem “IDOL” (por enquanto). O primeiro MV da era, “DNA”, e o mais recente, “IDOL”, apresentam um conceito mais alegre e colorido que inclui visuais divertidos e animações impressionantes. Ambos também possuem letras otimistas e positivas; mas enquanto em “DNA” possui uma letra mais otimista e apaixonante, “IDOL” transmite uma mensagem mais confiante e individualista.

Olhando para a estrutura narrativa de quatro partes, as semelhanças visuais e contextuais de ambos são baseados em um tom positivo – um começando com uma nota otimista, e o outro chegando a conclusão de amar a si mesmo, herdando um pensamento positivo e uma mentalidade menos ingênua. Também  com o tema de encontrar a si mesmo, “IDOL”, inclui elementos tradicionais coreanos e os combina com as vibrações modernas, que capturam a identidade dos meninos como artistas e indivíduos.

Em contraste, “Fake Love” claramente tem um tema mais sombrio, apresentando misteriosas figuras encapuzadas, cores escuras e muito preto. A canção simboliza uma visão muito madura e também realista (talvez até pessimista) sobre o amor e a vida. Correspondendo a parte (virada) da estrutura narrativa (como mencionado acima), tanto a música quanto o MV expressam a escuridão física e emocional que os meninos têm que atravessar para passar da esperança e otimismo em “DNA” para real confiança em “IDOL”.

Por fim, “MIC Drop” pode não se encaixar perfeitamente na estrutura narrativa estabelecida no começo da era, mas também incorpora uma mentalidade muito confiante. Embora tenha sido lançada durante Love Yourself: Her, sua mensagem se encaixa muito bem com Love Yourself: Answer, embora o tipo de amor próprio em “MIC Drop” possa ser mais orgulhoso do que o transmitido com “IDOL”. De qualquer maneira, estamos felizes que “MIC Drop” tenha seu próprio MV; trazendo esse lado hip hop badass do BTS que conhecemos e amamos ao longo dos anos, é ótimo ver que o hip hop está, de fato, muito vivo.

Concluindo, só resta uma coisa a dizer sobre os MVs dessa era: deixando as análises de lado, eles são fogos de artifício visuais, colírios para os fãs e iscas para almas desavisadas.

As “Trivias” da rap line

Assim como a vocal line ganhou seu destaque com os trailers, a rap line finalmente teve sua chance de brilhar individualmente com as faixas “Love Yourself: Answer” e “Trivia”. Para aqueles que eram fãs do lado calmo ou incomum da  rap line; essas faixas podem ser do seu gosto. J-Hope agrada aos fãs com uma música animada intitulada “Trivia 起: Just Dance”, que nos incita a fazer exatamente isso, enquanto “Trivia 承: Love” é a ode de Namjoon para a mais bela emoção. Em “Trivia 轉: Seesaw”, Yoongi literalmente deixa os fãs chocados, provando que pode cantar! Honestamente, ainda não estamos bem com isso.

As músicas que não possuem MVs

Como não poderíamos falar sobre literalmente todas as outras músicas dos álbuns dessa era? Todo mundo conhece as incríveis “Go Go“, “Airplane pt. 2,” ou “Anpanman” porque foram apresentadas no palco pelo grupo. Mas as músicas menos conhecidas dos álbuns merecem também destaque. Tomemos como exemplo, “Dimple”, “Pied Piper”, “Truth Untold”, “Magic Shop”, “Outro: Tear”, ou a sequência de “Save Me”, “I’m Fine”. Ou as “Outros”. Ou as faixas escondidas! Você vê como é realmente difícil não mencionar todas as músicas. De modo geral, o grande número de gêneros, facetas e atmosferas nos álbuns do BTS garantem que praticamente qualquer pessoa que tenha tempo para ouvir todas as faixas (provavelmente) encontre algo que goste. Se você ainda não teve tempo de ouvir os álbuns por completo, por favor, porque (e isso é verdade para muitos artistas por aí), as faixas-título são apenas a ponta do iceberg.

As colaborações

Nesta era, o BTS conseguiu colaborar com muitos artistas coreanos e internacionais. Em Love Yourself: Her, “Best Of Me” foi produzido por Andrew Taggart do duo The Chainsmokers, enquanto” MIC Drop” teve a participação de Steve Aoki e uma versão remix com o rapper Desiigner. Para Love Yourself: Answer e sua faixa-título “IDOL”, a Big Hit anunciou uma colaboração com o rapper Nicki Minaj. É incrível para o ARMY ver os garotos tendo a chance de trabalhar com seus ídolos e espalhar o amor pelo K-pop para novos fandoms e gêneros. Depois de ver as colaborações existentes, uma coisa é certa: estamos muito entusiasmados com o futuro do BTS quando se trata de novas colaborações e esperamos que os rapazes trabalhem com todos os seus artistas favoritos.

A missão

A BTS não apenas inspirou fãs em todo o mundo através de suas músicas e vários outros conteúdos, como também tomou providências para várias causas de caridade. No epicentro da era “Love Yourself”, o BTS trabalhou junto com a UNICEF para lançar a campanha “Love Myself”, com o objetivo de parar a violência contra crianças e adolescentes em todo o mundo. Várias formas de doações estão sendo coletadas em um fundo, promovido pela influência do grupo e mídias sociais. Tanto a Big Hit Entertainment quanto os membros provam que estão cientes de sua responsabilidade e que não vão deixar de agir para tentar tornar o mundo um lugar melhor.

 

Essa foi nossa compilação dos lançamentos e campanhas mais importantes da era “Love Yourself”. E se você acha que isso parece cheio; também há shows, conteúdo de variedade, transmissões, YouTube, premiações, etc. etc. etc.

Qual é a sua parte favorita da era “Love Yourself”? O que você acha que virá a seguir para os meninos? Deixe-nos saber nos comentários!

 

Fonte: Soompi
Trad eng-ptbr; fernanda azevedo @ btsbr


Publicado em 13.09.2018
O terceiro cara da esquerda: Jin e sua fama fora do fandom
O que acontece quando um não-army esbarra com o worldwide handsome?

O K-Pop está maior do que nunca, e uma boa parte disso é graças aos incríveis fãs que estão nas redes sociais, como Twitter e Tumblr. Os tweets dos fãs chegam a centenas de retweets e reblogs em minutos, mas alguns momentos são tão envolventes ou hilários que ultrapassam a zona dos fãs de K-Pop e alcançam pessoas que não são fãs desse gênero.

Aqui estão momentos em que o Jin viralizou na internet!

O “terceiro cara da esquerda”

2017 foi um ano incrível para o BTS, com três Daesangs no Melon Music Awards e no MNET Asian Music Awards, além de atividades nos Estados Unidos que incluíram se apresentar no AMAs e aparecer em programas como “Jimmy Kimmel Live!”, “The Ellen DeGeneres Show” e “The Late Late Show With James Corden”.

O Billboard Music Awards de 2017 ajudou a alavancar a popularidade do grupo na América do Norte, e eles foram capazes de escrever um novo capítulo na história do K-Pop ao vencer a categoria Top Social Artist. De qualquer forma, um integrante em particular ganhou atenção por sua aparência durante o evento do tapete vermelho: Jin.

[TRAD] Eu não ficaria surpresa se “O terceiro cara da esquerda” entrasse nos trends mundiais… O impacto do Seokjin 

 

Aqueles que acabaram vendo alguma foto do grupo no evento se apaixonaram por Jin, “o terceiro cara da esquerda”. Os ARMYs não se surpreenderam, já que o Jin já foi conhecido como “the car door guy”- o cara da porta do carro, pela mesma razão.

[TRAD] fato engraçado: procurem “car door guy” no google
isso ficou nos assuntos do momento do twitter depois que o jin saiu de um carro e deixou todo mundo embasbacado porque ele é tão lindo
ICÔNICO

Jin reconheceu esses acontecimentos alguns dias depois durante uma entrevista com a Billboard, onde ele disse a icônica frase, “I’m worldwide handsome” (Eu sou mundialmente bonito) e depois soprou um beijo para a câmera.

Com certeza você é, Jin, com certeza.

 

As partes que não se referiam ao Bangtan foram omitidas. Você pode conferir o post completo em inglês aqui.

 

Fonte: Soompi
Trans eng-ptbr; natália feitosa @ btsbr


Publicado em 13.09.2018
O efeito BTS explicado: ficção científica, recordes e sucesso mundial
Como a boyband amante de sci-fi quebrou recordes e espalhou o K-Pop no globo

A primeira coisa que vem à cabeça quando a palavra “K-Pop” aparece é geralmente uma imagem do PSY dançando o seu hit, Gangnam Style. Mas há muito mais no mundo da música pop sul-coreana, um gênero musical curioso e levemente assustador que tem as suas próprias regras, convenções e costumes, onde “idols” são venerados como deuses em seu próprio país mas — para a maioria das pessoas — passam despercebidos fora da Ásia.

Agora isso está começando a mudar, graças a um supergrupo que começou sua turnê mundial esgotada em questão de minutos. Em maio, a força da música pop conhecida como BTS se tornou o primeiro grupo de K-Pop a chegar ao topo das paradas estadunidenses da Billboard.

Mais recentemente eles extinguiram o recorde de Taylor Swift para o vídeo mais assistido em 24 horas, com assustadores 45 milhões de visualizações no clipe de seu novo single, IDOL — que também se tornou sua primeira música no Top 40 do Reino Unido.

Enquanto a indústria musical lamenta baixas vendas de álbuns, os negócios do BTS estão explodindo: eles venderam 1.6 milhões de cópias do seu quinto álbum de estúdio em fevereiro de 2018, um recorde da Coreia do Sul. Nesse mês eles também foram os primeiros artistas de K-Pop a ganhar um disco de ouro, vendendo mais do que meio milhão de cópias de sua música MIC Drop (Remix). Foram também a primeira música de K-Pop a passar das 50 milhões de reproduções no Spotify em 2017, e continuam quebrando recordes quase que diariamente.

Nada disso espanta consistentes fãs do gênero: “Dentro da comunidade do K-pop, eles já fazem sucesso há um tempo,” explica Holly Smith da UnitedKpop, um site britânico que cobre notícias e fofocas da cultura pop coreana.

O grupo de sete integrantes está junto desde 2013,  produto da empresa de entretenimento sul-coreana BigHit Entertainment. Mas, fiel aos padrões do K-Pop, o processo de desenvolvimento levou anos.

BTS é formado pelos integrantes RM, Jin, SUGA, J-Hope, Jimin, V e JungKook e é liderado por RM. O jovem de 24 anos é a força motora por trás do grupo, produzindo e escrevendo um grande número de seus hits; o grupo inteiro foi construído ao redor dele.

“Geralmente esse papel é tomado pelo mais velho na cultura coreana,” explicou Smith. Mas a maturidade e a proficiência no inglês de RM significam que ele tomou um papel mais proeminente no grupo. “Ele carrega muito nos ombros quando o assunto é pressão e imagem global,” ela diz. “Ele é definitivamente o motor de seu alcance global.”

RM também é um prodígio. Extremamente intenso e com um QI de 148, RM conseguiu equilibrar seu trabalho com o BTS e também projetos solo, incluindo participações em músicas de Fall Out Boy e Wale.

RM, J-Hope e SUGA são os integrantes originais do protótipo do grupo, vendendo o seu peixe em shows na cena underground sul-coreana. “Eles pendiam mais ao hip-hop e rap nos seus trabalhos,” diz Smith.

Quando se viram diante das circunstâncias com a BigHit Entertainment, se uniram aos outros quatro integrantes, que modelaram sua música a algo mais relacionado ao pop. “Eles são capazes de equilibrar essa origem no hip-hop com um pouco de pop,” Smith afirma. “Você não consegue resumi-los em um gênero específico.”

Eles são vistos como um pouco mais brutos e menos polidos do que a maioria dos grupos operando na cena do K-pop, e aderiram — felizmente, considerando sua expansão internacional — influências de boybands ocidentais. Eles também não tem medo em adaptar e mudar um pouco para manter um ar de novidade em seus atos, e agradar o máximo de fãs possível.

BTS primeiramente ganhou seguidores na implacável indústria do K-Pop antes do lançamento oficial do seu single, dando conteúdo aos poucos para os fãs como covers de músicas no SoundCloud e pequenos vídeos no YouTube. Seu primeiro álbum, 2 Cool 4 Skool, conseguiu uma respeitável posição de quinto lugar nos charts de álbuns coreanos.

Levou dois anos de turnê — incluindo uma visita ao Japão — para a banda fixar sua reputação entre o alto escalão das bandas de K-Pop.

Eles conseguiram esse feito de diferenciando da competição no mundo do K-pop. “Eles abrangem assuntos que são bem incomuns no K-Pop,” diz Smith. “Não é apenas sobre amor e coisas do tipo; suas músicas são sobre saúde mental e bullying na escola e ser levado à sério quando se é jovem.”

Esses assuntos, Smith lembra, ajudaram-os a encontrar um público mais internacional para além da Coreia do Sul, mesmo que seus álbuns tenham conceitos de altíssima classe. Um deles, WINGS, foi baseado em um obscuro romance de formação de 1919 escrito por um romancista alemão; eles lançaram vídeos baseados nos romances de ficção científica de Ursula K. Le Guin; Magic Shop, uma música em seu último álbum, é inspirada na autobiografia do neurocirurgião estadunidense James R. Doty, e levou ao aumento assustador das vendas do livro na Coreia do Sul.

[TRAD] Obrigado, @BTS_twt

(Livro que inspirou “Magic Shop” se torna best seller na Coreia, confira a  tradução na íntegra aqui)

 

BTS até inspirou fãs dedicados a desenvolver o que eles acreditam ser uma teoria, onde as músicas do grupo são conectadas por uma ampla temática de viagem no tempo. RM, de sua parte, sugeriu que a música do BTS deve ser vista com o expandido universo de Star Wars.

Mas eles fazem mais do que aumentar a venda de livros obscuros. Seu sucesso alavancou não só a eternamente expansiva indústria do K-Pop, mas também empurrou os preços no mercado de ações sul-coreano. Quando o grupo ficou no topo das paradas de álbuns da Billboard nos Estados Unidos, o preço das ações de empresas de entretenimento do outro lado do mundo (Big Hit Entertainment, a empresa que dirige o grupo, está planejando sua oferta pública para o ano que vem) subiram.

Eles também são enormes fora da Coreia do Sul. Eles são garotos propaganda da Puma, LG e Coca-Cola, o rosto dessas marcas ao redor do globo. É uma prova do seu alcance e respeito. Mas o que os faz aqueles que quebraram a barreira do pop ocidental?

Certamente não tem nada a ver com Gangnam Style, diz Smith. “Aquilo foi visto como uma novidade. ‘Olhe esses asiáticos bobos e o que eles fazem.’ K-pop ainda era visto como um produto exótico, enquanto BTS são um dos primeiros a realmente ultrapassarem a barreira e serem levados a sério internacionalmente.”

Eles conseguiram derrotar Ariana Grande, Selena Gomez, Justin Bieber e Shawn Mendes e ganharam o prêmio de Top Social Artist no Billboard Music Awards de 2017. Sua vitória foi resultado da enorme fanbase do grupo, que conseguiu reunir seu apoio para ganhar a competição com mais de 300 milhões de votos. (Não surpreendentemente, eles ganharam a mesma categoria esse ano.)

“Nós ainda não acreditamos que estamos pisando nesse palco,” o grupo disse ao receber seu prêmio. “Estar nessa categoria com artistas tão incríveis, nós estamos honrados.” Esse foi apenas um exemplo do poder da gigante fanbase do grupo, que não são chamados de “ARMY” (exército) por nada.

“Nas redes sociais, eles são realmente uma força,” explica Smith. “Os fandoms de K-pop como um todo são muito apaixonados, muito mesmo, mas ARMY especialmente. O fandom foi vital para ajudá-los. Eles lutaram, e lutaram para serem reconhecidos em escala internacional.”

Uma das maiores bandas ocidentais levantaram bandeira branca ao se deparar com a competição contra o alcance global de BTS. 5 Seconds of Summer, uma boyband australiana, recentemente tweetou que “estamos apanhando aqui” quando foram colocados contra o BTS em uma categoria votada por fãs. O grupo foi curtido e retweetado meio bilhão de vezes no ano passado.

Eles foram comparados a outro gigante dos grupos musicais que conseguiu sucesso internacional e teve uma devota fanbase: The Beatles. Mas o próprio grupo abafou qualquer comparação. “É aquela coisa da cultura coreana de não querer ser comparado,” diz Smith.

[TRAD] Eles todos fizeram cirurgia plástica. Eles todos usam batom. É isso que Asiáticos Podres de Ricos* realmente parece.

 

Nem todo mundo está gostando da ascensão de BTS como seus fãs. Joseph Kahn, o diretor coreano-americano do clipe de Bad Blood, da Taylor Swift, se tornou notícia nacional na Coreia da Sul ao tweetar sua crítica ao grupo.

Enquanto vários artistas K-Pop lutam contra o sistema de controle que parte das empresas de entretenimento que lucram sobre sua luta de poder, BTS parece ter escapado da forca.

O K-Pop é conhecido pelos seus quase criminosos grupos de entretenimento que tratam seus artistas como escravos, forçando neles cirurgia plástica, fazendo-os viver em dormitórios em péssimas condições e controlando suas vidas — até exigindo que fiquem solteiros para serem mais desejáveis para fãs mais jovens. Mas BTS parece ser mais bem tratado, e melhor pago do que os demais.

“Uma vez que você atinja um certo nível de popularidade,” diz Smith, “você pode ultrapassar isso e porque você é mais valioso para a empresa, o tratamento fica melhor.” Além disso, Big Hit Entertainment, a gravadora de BTS, nunca esteve incluída nas fofocas sobre maus tratos contra seus artistas.

Embora sua exata renda seja desconhecida, o grupo se mudou de dormitório para a sua própria e luxuosa casa. Sua popularidade, ao menos na superfície, parece dar a eles mais espaço para a vida que querem.

 

*Asiáticos Podres de Ricos é um best seller internacional que inspirou a adaptação para o cinema, “Podres de Ricos”

 

Fonte: The Telegraph
Trans eng-ptbr; gabriela @ btsbr