btsbr.co.vu/archive & btsbr.wordpress.com
SITE: Bangtan Brasil - Fã Base
VERSÃO: 1.3 - WINGS BLUE
DESDE: 29.03.2013
VISITAS: ARMYs
Bulletproof Boy Scouts (em coreano: 방탄소년단) é um grupo masculino sul coreano de hip-hop formado pela Big Hit Entertainment. Geralmente conhecidos como BTS, são também chamados de Bangtan ou Bangtan Boys. Eles estrearam em 13 de junho de 2013 com sua.. LEIA MAIS
SEJA BEM VINDO AO BANGTAN BRASIL, A PRIMEIRA E MAIOR FÃ BASE BRASILEIRA DO BTS. FEITA DE FÃ PARA FÃ!

Categoria: Entrevistas

Publicado em 15.10.2018
Da Coreia para o Mundo: Como o BTS se tornou o maior grupo do Planeta 🌏
O The Guardian entrevistou o grupo em sua passagem por Londres, leia a tradução!

Com o One Direction em pausa por tempo indeterminado, as boybands ao redor do mundo tem se esforçado para chegar ao topo. Conheça os sete sul-coreanos que venceram, depois de terem impressionado os Estados Unidos e Reino Unido.

Resultado de imagem para bts unicef ukBTS em visita à sede da UNICEF em Londres

Eles chegam para os seus primeiros shows no Reino Unido em um jato particular. Começaram a usá-lo na parte norte-americana de sua BTS World Tour: Love Yourself, que encerrou a passagem pelo continente com um show para 40 mil pessoas no estádio Citi Field em Nova Iorque, no dia 6 de outubro, três dias antes de tocarem para uma multidão em duas noites no O2 Arena, em Londres. Eles já acumulam dois álbuns nº 1 nos Estados Unidos, possuem bilhões de streams nas maiores plataformas de música do globo, e foram recentemente convidados para uma das sessões da Assembleia Geral da ONU como Embaixadores da UNICEF, onde seu carismático líder, RM, discursou em inglês sobre auto-aceitação. Feitos como este são monumentais na carreira de qualquer artista, mas ao alcançá-los, o BTS – RM, Jin, SUGA, J-Hope, Jimin, V e JungKook – fez com que a cara do pop mudasse, se tornando o primeiro grupo sul-coreano a alcançar o topo da indústria musical ocidental.

Jimin, conhecido por sua aparência etérea, foi às lágrimas no final do show no Citi Field. O grupo já se apresentou para públicos de tamanho similar em outros países, mas os Estados Unidos sempre foi a fronteira final para o K-pop – um mercado que já teve inúmeras tentativas frustradas de sucesso com grupos como BIGBANG, EXO e CL do 2NE1. “Nós sentimos isso o tempo todo”, diz Jimin. “Nessa turnê nos apresentamos em alguns locais gigantescos, e isso nos faz ver que as pessoas realmente nos amam. Ao ser inundado por todas essas emoções, isso meio que me pegou.”

Em um hotel em Londres, antes dos seus shows na capital britânica, os primeiros da turnê Europeia, a segurança se mantém alerta nos corredores. Homens enormes acompanham os integrantes do grupo pelos corredores. O BTS atingiu esse nível dissociativo de estrelato, onde precisam ser acompanhados por seguranças todo o tempo. “Sabemos que a popularidade não é para sempre”, RM diz com um sorriso. “Então, aproveitamos a jornada, a montanha-russa e, quando acabar, apenas terminou. Estamos em jatinhos e nos estádios, mas não sinto que seja meu. É como se tivéssemos pegado emprestado de alguém.”

O BTS é uma criação do veterano compositor e produtor Bang Shi Hyuk – que anteriormente trabalhou em uma das maiores empresas da indústria do K-pop, a JYP – posteriormente fundando a Big Hit Entertainment, com o BTS tendo o seu debut em 2013. A prática normal do K-pop é supervisionar cada elemento do vida dos jovens “ídolos”, como são conhecidos na Coreia. No entanto, Bang deu autonomia ao BTS para ter o seu próprio Twitter e vloggar de seu estúdio, e aos rappers o direito de escrever/produzir ao lado da equipe de produção interna da Big Hit. Suas letras são emocionalmente vulneráveis e socialmente conscientes, às vezes beirando a raiva, e indo contra o comportamento “passivo e perfeito” esperado no K-pop. Baepsae, que se traduz como “colher de prata”, defende sua geração “amaldiçoada”.

Os críticos tentaram desvendar o segredo do seu sucesso nos Estados Unidos: muitos creditam as mídias sociais por espalharem seu nome, mas os fãs do BTS, conhecidos como ARMY, indicam suas músicas e suas letras como a razão pelo qual se conectaram tão profundamente com o grupo. Foi isso – juntamente com o fim do One Direction – que culminou no crescente interesse pelo K-pop nos Estados Unidos, além do fluxo constante de conteúdo visual produzido pelo BTS (de cenas de bastidores à reality shows), que envolvem os curiosos e os atraem para a forte personalidade do grupo. No quesito boyband com honras, eles oferecem algo à todos.

Como todas as estrelas do pop com fandoms gigantescos e poderosos, o BTS traça uma linha tênue entre celebrar seus fãs e potencialmente aliená-los. “A fama é como uma sombra”, diz SUGA, o integrante mais sério. “Há luz e escuridão; é algo que nos segue constantemente e não algo que você pode fugir. Mas as pessoas tendem a respeitar nossa privacidade. Nós vamos muito à galerias de arte e as pessoas não nos incomodam, e após sairmos, eles mostram que estivemos naquele local com uma postagem [nas redes sociais]. ”

“Se tomar grandes proporções e passar dos limites, então pode ser uma fonte de estresse, mas para mim, pelo menos, é uma forma de demonstração do amor deles”, diz J-Hope, dançarino de street-dance antes de se unir aos demais. Em um dos seus recentes álbuns, o grupo fala sobre esse comportamento obsessivo na canção Pied Piper: “Pare de nos assistir e comece a estudar para os seus exames, seus pais e seu chefe me odeiam… Você já tem muitas fotos minhas em seu quarto.”

Essa honestidade surpreendente – quando se fala em idols no K-pop – foi o sustento para o conceito da era Love Yourself, com a trilogia de álbuns (Her, Tear e Answer) que traçaram uma narrativa em torno da descoberta e aprendizado do amor-próprio. O discurso de RM na ONU ecoou a temática: “Não importa quem você é, de onde você é, sua cor de pele, sua identidade de gênero, fale por você mesmo”. Essa afirmação relativamente anódina chamou atenção na Coreia do Sul, onde o Presidente se opõe publicamente à homossexualidade.

Durante sua carreira, o grupo teve como inspiração Haruki Murakami, Ursula K Le Guin, Jung, Orwell, Hesse e Nietzsche. O último, figura notável nas teorias que cercam Her, por meio do qual o amor é destinado e deve, portanto, ser inabalável (apenas para se desmoronar em Tear). Como os indies nos anos 80 fizeram, os ARMYs agora leem obras literárias para entender completamente a visão do grupo, enquanto investem muito dinheiro em lightsticks programados via Bluetooth para iluminar o oceano de fãs nos shows.

IMG01BTS durante a coletiva de imprensa para o lançamento de Love Yourself轉 ‘Tear’,
primeiro álbum do grupo nos charts do Reino Unido na 7ª posição

Para muitos, no entanto, o BTS simboliza uma indústria que é pouco mais do que uma máquina de fazer chicletes de alta funcionalidade. O K-pop é visto como cruel por seu sistema de treinamento intensivo, que pode se iniciar quando os artistas têm 7 anos de idades e durar uma década sem garantia de que ele faça o seu debut; e por seu tratamento hostil aos idols que lidam com casos de extrema exaustão e sua saúde mental. Muitos já desmaiaram no palco, enquanto Leeteuk (Super Junior) silenciosamente montou um grupo de apoio – já extinto – chamado de Milk Club, para idols que lidam com depressão. Enquanto isso, os fãs são constantemente retratados como adolescentes histéricas e de mentes vazias. “Não faz sentido discutir ou lutar sobre isso”, SUGA afirma, rispidamente. “Francamente, não consigo entender pessoas que querem degradar um certo tipo de música, seja qual for. A música clássica era o que hoje temos como música pop na época em que surgiu. É uma questão de gosto e compreensão – não é bom ou ruim, não há intelectual ou sem cultura.”

O som do BTS começou como R&B e hip-hop old-school, mas desde então incorporou uma miríade de gêneros, do EDM à house sul-africana. As letras também tornaram-se cada vez mais complexas, mais próximas da prosa do que o simples pop. Em muitos aspectos, o BTS se encaixa nos moldes de uma boyband clássica – eles são bonitos e se apresentam bem – mas também são homens crescidos que choram, abraçam e expõem suas vulnerabilidades e falhas, mesmo quando uma cultura de masculinidade tóxica prospera dentro e fora da mídia. Fortalecendo suas mensagens de força, amor, esperança e aceitação, indo além do que qualquer boyband já ofereceu.

Os artistas no K-pop trabalham incansavelmente, em um mundo onde algumas carreiras duram mais de uma década, a maioria chega ao fim em apenas 12 meses. Este ano, o BTS lançou três álbuns inéditos (dois em coreano e um japonês), viajou pelo mundo e produziu uma terceira temporada de seu reality show de férias, Bon Voyage. Cada minuto de sua rotina é calculado. “Acredito que houveram momentos em que estávamos muito perto da exaustão”, admite SUGA, “mas é inevitável e é o mesmo para pessoas em qualquer profissão, na verdade”.

Idols do cenário atual e da geração passada migraram para a atuação, aparecendo em programas de variedades na TV sul-coreana e explorando carreiras solo. Os interesses de SUGA incluem arquitetura e iluminação. JungKook, o integrante mais jovem com apenas 21 anos, começou a produzir vídeos no estilo documentário, tendo o seu mais recente curta capturado os extremos de sua vida – a intensidade do palco e a calmaria do seu quarto. Ele diz, “Sinto uma enorme alegria quando penso em coisas que posso fazer no futuro”. JungKook tem energia de sobra para gastar – mais tarde, fomos informados de que este se machucou antes do primeiro show em Londres, o limitando a se apresentar sentado, no que o jovem desculpou-se inúmeras vezes com os seus fãs.

Durante uma recente transmissão ao vivo na plataforma V Live, V, integrante de voz rouca que dá ao grupo um toque soul, tocou trechos de um trabalho solo criando uma agitação no fandom. Os rappers do BTS já lançaram mixtapes solo com letras e produções autorais, mas os vocalistas ainda não seguiram seus passos. “Estou trabalhando nisso”, diz JungKook, quando J-Hope começa a rir.

RM complementa de forma divertida: “Ele está se preparando para muitas coisas! Filmes, boxe – ele está planejando tanto que ninguém sabe quando vai sair.”

Uma discussão bem-humorada se inicia, “Quando J-Hope me der batidas, talvez eu possa começar a meu projeto”, insiste Jin, o integrante mais velho com 25 anos.

J-Hope finge indignação, “Eu já produzi batidas para você! Ele gostou do que eu dei a ele!” O rapper diz enquanto Jin gargalha histericamente.

“Em todas as músicas que eu faço,” V entra na conversa, após ter passado a maior parte da entrevista quieto, “sinto que algo que não está lá. Eu tenho uma lacuna, não consigo terminar uma música, preciso de alguém para me ajudar [a preenchê-la]. Quando eu aparecer com algo que eu possa divulgar, eu vou.”

SUGA ataca novamente, “Vai ser daqui a 20 anos.”

Para os fãs, esse é um tipo de provocação brincalhona e mostra a camaradagem natural que torna o BTS tão atrativo. Para o grupo, sua conexão os ajuda a suportar o ritmo de trabalho frenético.

Declaradamente ambicioso, SUGA constantemente afirma que uma vitória no Grammy é seu próximo objetivo e recentemente adicionou o show do intervalo do Super Bowl (71 mil pessoas no Estádio, 120 milhões assistindo em casa) à lista. As duas hipóteses podem cimentar o status do BTS como um grande nome [na história da música]. No presente momento, nenhum dos dois parece inalcançável. “Queremos mostrar o máximo que pudermos”, diz Jimin, seu olhar inabalável. “Só queremos poder mostrar o nosso melhor sempre”.

Fonte: The Guardian
Trans eng-ptbr & adaptação do texto; caroline piazza & fernanda azevedo @ btsbr


Publicado em 13.10.2018
🎥 Entrevista do BTS para NME UK
ASSISTA AO VÍDEO LEGENDADO EM PORTUGUÊS PELA EQUIPE DA BANGTAN BRASIL

Em passagem por Londres com a BTS World Tour: Love Yourself, o BTS foi entrevistado pelo portal NME e respondeu divertidas perguntas do portal no primeiro vídeo, além de perguntas enviadas por seus ARMYs no segundo.

Para mais vídeos com legendas em português, se inscreva no canal da Bangtan Brasil e ative as notificações.


Publicado em 12.10.2018
Vogue encontra BTS, o grupo que está roubando corações
O grupo conversa sobre moda, Londres e cuidados com a pele

Nos anos 60, a Beatlemania era caracterizada por fãs extremamente animados, ansiosos para assistir o Fab Four. Em 2018, é a vez da BTS-mania. O grupo coreano de sete integrantes é incomparável no quesito fãs dedicados – os ARMYs – os quais estudaram todas as coreografias, aprenderam todas as palavras de todas suas canções e são rápidos para copiar os looks das apresentações.

Tendo como integrantes JungKook, V, Jimin, RM, J-Hope, SUGA e Jin, eles são um charmoso septeto de garotos, os quais também mantêm seu foco na dominação mundial.

Pela primeira vez, como parte da BTS World Tour: Love Yourself, o grupo subiu ao palco em Londres nesta semana. Tendo os ingressos esgotados na Arena O2 nas duas noites consecutivas, o BTS provou que o poder do K-Pop é grande e está realmente pronto para atingir em massa os charts no Reino Unido.

Como alguém que nunca perdeu uma turnê do One Direction, meus ouvidos já se adaptaram a estádios cantos e gritos empolgados. No entanto, o show chegou a um outro nível. Pirotecnias, normalmente reservados para o bis, são empregados logo no início, coreografias são perfeitamente sincronizadas e, enquanto eles estão trocando para novas roupas aprovadas para passarelas, os vídeos transmitidos em grandes telões são dignos de uma campanha da Gucci. Oohs, ahhs e gritos marcam presença e não param por um segundo.

Sete pode parecer muito para apenas um grupo, mas cada integrante tem seu próprio momento para brilhar e para deixar sua personalidade única se destacar. “Nós fazemos questão que nenhum de nós tenha mais destaque que os outros,” disse JungKook para a Miss Vogue. “Mas nós somos realmente únicos. Cada um tem seu estilo, então acredito que todos nós chamamos a atenção. Cada um tem seu papel e sua posição no grupo e, desta forma, trabalhamos juntos para que demos nosso máximo para os ARMYs.”

“Nós também jogamos pedra-papel-tesoura para ter certeza de que tudo seja justo,” RM, o líder ri. “O BTS é uma democracia.”

Esta é a primeira vez que o grupo se apresentou no Reino Unido, e se os fãs estão empolgados com isso, então o BTS está ainda mais. “Eu acredito que estamos tão animados, porque durante a nossa turnê anterior na Europa, tivemos um show cancelado aqui, o que nos fez bem triste. Pedimos desculpas por não termos vindo da última vez, e estamos bem animados para nossa apresentação. Vamos dar o nosso melhor e fazer o melhor show possível,” explicou Jimin.

Londres era um destino que os sete integrantes esperaram muito visitar. Filmes moldaram a sua visão sobre a cidade, e eles não se desapontaram: “Vir a Londres é empolgante, porque podemos ver coisas que antes só havíamos visto por filmes,” explicou V. “E agora nós as vemos de verdade.”

A conversa com o BTS volta a ser sobre os fãs assim que o tópico muda. Os ARMYs são tudo e a principal razão pela qual eles estão tão felizes de visitar a cidade neste momento. O local ideal para eles para encontrar os fãs seria no Big Ben.

O tempo na cidade é precioso, mas existe um pequeno tempo livre que – para quem os conhece, não é uma surpresa – está reservado para a moda.

SUGA quer muito investir em uma jaqueta de couro e RM gostaria de passear pelas pequenas lojas independentes, mas todos do grupo concordam que idas à Kingsman na Savile Row e ao andar masculino na Liberty são imprescindíveis.

A moda é uma parte intrínseca do K-Pop e o BTS é um ótimo exemplo. “Nós usamos roupas tradicionais coreanas para o vídeo de “IDOL” e acredito que isso tornou-se memorável para o grupo – foi um tanto quanto chique,” admite RM.

Resultado de imagem para idol hanbok bts gif

“Além disso, em 2017, para apresentar “MIC Drop” em uma premiação coreana, todos usamos ternos pretos,” comentou Jimin. “Mas acho que nós também estamos bem bonitos hoje.”

Todos concordam que J-Hope – que declara à Miss Vogue que é um “rei fashionista”- é o integrante mais naturalmente fashion do grupo.

Depois de Londres, eles vão para Amsterdã, Berlim, Paris, Tóquio, etc. Eles vão ter pouco tempo para descansar, mas quando eles o fazem, eles agem como “garotos normais”. SUGA apenas dorme, Jimin joga videogames, RM opta por caminhadas em parques ou visitas à galerias, JungKook ouve música (James Blake é um favorito), mas J-Hope explica que parar com as turnês pode ter uma reviravolta ruim. “Se temos um dia livre, provavelmente faremos um piquenique, um churrasco em um Hibachi, e então ficaremos doentes no dia seguinte. Eu sei disso, porque realmente aconteceu há alguns meses!”

A rotina de cuidados da pele coreana é uma tendência no ocidente nos últimos anos, e não há dúvidas que o brilho de estrelas do K-Pop ajuda nesse interesse.

“É maquiagem, muita maquiagem,” admite JungKook. O grupo – que dá importância a esses cuidados – reconhece que existem muitos fatores, incluindo genes e dieta. “Sabe que eu não faço nada em relação a minha pele,” diz Jin. “Creio que a gente nasce com ela, para ser sincero. Eu agradeço minha mãe pela minha pele.”

Como indica a turnê do BTS, o K-Pop está pronto para dominar as charts ocidentais. Por que o momento parece certo, justo agora? “Acho que existiram alguns artistas muito bons antes de nós que expuseram o K-Pop. É como um pacote. Inclui vídeos, roupas, coreografias, redes sociais e uma boa pele também,” RM ri. “K-Pop é um pacote artístico completo.”

O K-Pop também faz nos sentirmos bem. A mensagem do palco na noite passada foi sobre inclusão. Perceba as pessoas que estão próximas de você, nós somos todos ARMYs. O público em Londres foi uma mistura de idades, raças, estilos – uma união de fãs e o surgimento de novas amizades.

O BTS – e sua mensagem – são exatamente o que o mundo precisa agora.

Fonte: Vogue
Trans eng-ptbr; clau @ btsbr


Publicado em 11.10.2018
O BTS fala sobre “mais uma primeira vez” ao se apresentar no Estádio Citi Field
Entrevista exclusiva com o grupo antes do maior e mais importante show na América

Antes do seu show histórico no Citi Field, em Nova Iorque, os integrantes do BTS separaram um tempo para compartilhar seus pensamentos e expressar sua gratidão para os fãs.

Dia 6 de outubro, o grupo tornou-se o único artista coreano na história a se apresentar com um show solo em um estádio nos Estados Unidos. Enquanto preparavam-se para se apresentar para dezenas de milhares de fãs, os sete integrantes concordaram que o evento era uma grande honra e uma noite que ficaria em suas lembranças por um bom tempo.

J-Hope observou, “O fato de estarmos fazendo um show aqui, no Citi Field, é realmente importante. Eu acho que será uma grande parte da minha história como o cantor J-Hope e também um grande momento na vida de Jung Hoseok [seu verdadeiro nome]. Até agora, nós temos escalado lentamente uma etapa de cada vez, enquanto nos apresentamos em diferentes lugares, e eu sinto que, finalmente, o auge está dentro do nosso alcance.” Ele adicionou, “Eu quero agradecer aos nossos ARMYs, que nos deram essa imensa honra. Como esse é uma das melhores oportunidades e momentos, eu quero trabalhar duro para fazer uma apresentação incrível.”

V comentou, “Por fim, nós acabamos sendo capazes de conquistar lugar no Citi Field, como nós sonhamos. Nós nos apresentamos em diversos lugares grandes durante as nossas turnês, mas eu nunca imaginei que seríamos capazes de nos apresentar em um lugar tão grande quanto esse. Nós mostraremos ainda melhor desempenho para os ARMYs que estão nos esperando lá fora. Eu acho que iremos ter um dia incrível.”

img01.jpg

Após V, SUGA disse, “Eu acho que conseguirmos um show em estádio no Citi Field é profundamente significativo como um estádio principal na Coreia, ou o Dome no Japão. Até mesmo a definição do tamanho do local, eu me sinto especialmente emocionado porque é um  palco onde apenas uma minoria de cantores conseguem se apresentar.” Ele continuou, “Em vez de ficarmos satisfeitos com as nossas conquistas atuais, eu quero mostrar apresentações ainda melhores para audiências futuras. Espero que o Citi Field seja o nosso começo.”

“É verdadeiramente uma honra e uma satisfação poder me apresentar no Citi Field. Eu ainda não consigo acreditar, e tudo o que eu sinto agora é gratidão pelos fãs que vieram assistir nosso show e nos alegrar. Estou ansioso imaginando como o Citi Field ficará quando estiver cheio com os nossos fãs. Eu expressarei esses sentimentos de gratidão dando o meu melhor no show hoje!”,disse Jimin.

Jin concordou com ele, dizendo: “É sempre uma honra poder nos apresentar em lugares tão grandes, não só na Coreia, mas também nos Estados Unidos. Muitas pessoas cantam conosco as músicas durante o show, e só de pensar em todas aquelas pessoas [no Citi Field] cantando nossas músicas me deixa arrepiado. Eu estou muito feliz.”

JungKook comentou, “Essa é nossa primeira vez em um estádio nos Estados Unidos. É algo muito especial, e é realmente uma honra. Eu acho que esse deve ser um dos melhores dias do meu ano todo. Estou ansioso para aproveitar o palco e me divertir com os nossos fãs, e eu também quero dizer aos nossos ARMYs que eu estou incrivelmente grato.”

Por fim, RM disse: “Eu ainda não consigo acreditar nisso, e eu acho que um dos meus preciosos sonhos finalmente se realizou. Nós ouvimos que há muitas pessoas esperando lá fora, e irei me certificar de trabalhar duro para retribuir as expectativas delas através do nosso  show.”

O show do BTS no Citi Field marcou o final das datas estadunidenses da turnê BTS World Tour: Love Yourself, que deixou Seul em agosto.

Parabéns para o BTS por sua conquista histórica!

Fonte: Soompi
Trans eng-ptbr: jumaria @ btsbr


Publicado em 13.09.2018
Perguntas e respostas com o BTS no Museu do Grammy
O grupo bate-papo e contam o que tem ouvido, o que os inspira e mais!

O BTS participou do evento “Uma conversa com o BTS”, promovido pelo Museu do Grammy em Los Angeles no dia 11 de setembro. Os integrantes do grupo são os primeiros artistas coreanos a receberem tal convite.

É esperado que a entrevista na íntegra seja lançada em vídeo pelo próprio Museu, mas de antemão, um curto vídeo onde os integrantes respondem algumas perguntas sobre seus gostos pessoais já foi disponibilizado via Twitter.

 

Trechos da entrevista e um olhar geral no evento já foram traduzidos pela Equipe da BTSBR e você pode acessar o conteúdo aqui.

 

cr. Grammy Museum
Trans eng-ptbr; Beccs @ btsbr


Publicado em 25.08.2018
[VÍDEO] 25.08.18 – Entrevista do BTS para Beats 1
O grupo comenta o lançamento de 'Love Yourself: Answer', IDOL e a turnê

Em entrevista para a Rádio Beats 1 da plataforma Apple Music, o BTS fala sobre o lançamento de Love Yourself: Answer – a terceira e última parte de sua trilogia Love Yourself – além da faixa “IDOL” em parceria com a rapper Nicki Minaj e os planos para sua nova turnê mundial. 

cr; beats1 @ youtube


Publicado em 30.06.2018
[VÍDEO] 29.06.18 – Tiffany Young fala sobre amizade com V
Tiffany se considera uma irmã mais velha do V.

Em entrevista à Billboard, Tiffany (SNSD) falou sobre o BTS, amizade com V e se sentir como uma irmã mais velha.

[TRAD] Tiffany Young fala sobre o BTS & experiencia com amigo do K-pop

“Conheço o V e lembro de ver notícias do grupo e tive que parabeniza-lo eu mesma! ‘É tão bom ver isso acontecer com você~’”

 

cr; billboad @ twitter


Publicado em 25.06.2018
[FOTOS] 25.06.18 – Edição Especial do BTS para Teen Party Magazine
Edição conta com posteres e entrevista exclusiva do BTS.

A Party Teen Magazine lançará uma Edição Especial do BTS com posteres e entrevista exclusiva. A edição será publicada no dia 29 de Maio. A revista contou com a ajuda da Bangtan International, uma das maiores fanbases do grupo, conversando sobre a importância das fanbases para o crescimento do grupo.

cr; bangtanitl


Publicado em 16.06.2018
[VÍDEO] 15.06.18 – Entrevista do BTS para o Beats 1
O BTS mostra suas notas altas e revela sua obsessão por Kanye West, Drake e [...]

Em entrevista à Beats 1, rádio online da Apple, o BTS fala sobre seu álbum ‘’Love Yourself: TEAR’’, mostra suas notas altas e revela sua obsessão por Kanye West, Drake e John Cena.

 

cr; beats 1 on apple music @ youtube


Publicado em 12.06.2018
[VÍDEO] 11.06.18 – KBS posta entrevista com o BTS
A entrevista foi pré-gravada devido aos compromissos do BTS.

O BTS deu uma entrevista exclusiva para a KBS. A entrevista foi pré-gravada devido a agenda do grupo, ao invés de passar ao vivo.

 

cr; mylovekbs


Publicado em 10.06.2018
[VÍDEO] 09.06.18 – BTS no Entertainment Weekly
O BTS deu uma entrevista ao programa da KBS.

A KBS World publicou o episódio completo da Entertainment Weekly com a entrevista com o BTS (7:54). A entrevista foi gravada antes da transmissão do programa devido a agenda do grupo, comentando sobre o sucesso e vitórias do grupo e qual suas metas futuras.

cr; kbs world tv


Publicado em 04.06.2018
[VÍDEO] 03.06.18 – Entrevista do BTS para a SBS News
Na entrevista, eles destacam o crescimento do grupo, sua conquistas [...]

A SBS disponibilizou a entrevista completa do BTS para o jornal SBS News. Na entrevista, eles destacam o crescimento do grupo, sua conquistas mundiais, sonhos e metas.

via; bangtanitl