btsbr.co.vu/archive & btsbr.wordpress.com
SITE: Bangtan Brasil - Fã Base
VERSÃO: 1.4 - SPEAK YOURSELF
DESDE: 29.03.2013
VISITAS: 5.272.752 ARMYs
Bulletproof Boy Scouts (em coreano: 방탄소년단) é um grupo masculino sul coreano de hip-hop formado pela Big Hit Entertainment. Geralmente conhecidos como BTS, são também chamados de Bangtan ou Bangtan Boys. Eles estrearam em 13 de junho de 2013 com sua... LEIA MAIS
SEJA BEM VINDO À BANGTAN BRASIL, A PRIMEIRA E MAIOR FÃ BASE BRASILEIRA DO BTS. FEITA DE FÃ PARA FÃ!

Categoria: Traduções

Publicado em 05.11.2018
[TWITTER] 05.11.18 – BTS_twt
Tweets postados por @BTS_twt no dia 05.11.18

[JIMIN]

[TRAD] Está muito quenteeeee

[J-HOPE]

[TRAD] HO #PE* 🤔😘

*Heemang significa “hope”, ou seja, esperança, em coreano. Mang é o nome de seu personagem BT21.

[RM]

[TRAD] Vamos ficar fortes para a apresentação de amanhã*

*RM se refere ao Music Plus x Genie Music Awards onde o BTS vai se apresentar.

trans ko-eng; peachboy_0613, bts-trans
trans eng-ptbr; fer zloccowick, beccs @ btsbr


Publicado em 05.11.2018
Como o BTS e minha irmã me ensinaram sobre a universalidade da música
Fale amor, não inglês. O poder da música ultrapassa a barreira de linguagem

Muito recentemente eu tive a honra de presenciar pessoalmente o show histórico do BTS, no Estádio Citi Field, junto com a minha irmã mais nova, Vienna, que é uma ARMY leal. Três noites antes de irmos para Nova York, ela já estava se descabelando de tanta animação, ficando acordada até tarde para ouvir a discografia inteira deles em antecipação para quando ela, finalmente, os ouviria ao vivo. Como um presente de aniversário adiantado para ela, eu consegui dois ingressos para vermos o grupo juntas. Mesmo que eu mesma não fosse fã do BTS, eu sabia o quanto ela os idolatrava, então pensei que seria o presente perfeito.

Quando chegamos no local do show, Vienna começou a ficar nervosa. Eu via suas mãos tremendo enquanto segurava a pelúcia do BT21 num aperto de aço. Pensei que fosse só “nervosismo do primeiro show” — eu mesma já me senti assim antes, vendo uma das minhas bandas preferidas ao vivo pela primeira vez, é natural. No entanto, mais tarde, eu me daria conta que o que Vienna estava sentindo era muito mais complexo e significativo do que eu poderia imaginar.

Minha irmã é cega. Vienna não consegue vê-los dançar. Não pode ver seus rostos, seus cabelos, suas roupas ou seus sorrisos. Nada disso, entretanto, a impediu de ser fã. Eu estava preocupada, a princípio, com como ela iria reagir durante o show, mas o tempo revelaria que não tinha nada para eu me preocupar.

Toda a experiência foi surreal do começo ao fim. Mesmo antes do show começar, a energia dos fãs era palpável e de tirar o fôlego. Quando os integrantes do BTS apareceram pela primeira vez no palco com um crescendo dramático de instrumentais que faziam o coração bater mais rápido, a pura alegria e entusiasmo dos fãs podia ser sentido em todos os cantos do estádio. Era revigorante, e eu aproveitei cada segundo. Os integrantes foram um grande prazer de assistir; a coreografia incrível, vocais belíssimos, a miscelânea de gêneros musicais e seus esforços encantadores de se conectar com os fãs foram todos partes e parcelas do nível de felicidade daquela noite.

O que eu considero como o momento mais memorável do show aconteceu no final, quando o BTS despiu seus corações para os fãs. Eu lembro de ver o integrante loiro — acho que seu nome era Jimin — com os olhos cheios de lágrimas e uma sinceridade que podia ser sentida mesmo com toda a distância. V, o integrante usando uma bandana vermelha, falou de um jeito tão caloroso com os fãs, os chamando de “as estrelas mais brilhantes do nosso universo”.

Eu fiquei mais emocionada pelo lindo discurso dado por RM, o líder do grupo. “Eu não sabia o que era me amar,” ele disse. “Vocês me ensinaram. Através dos seus olhos, do seu amor, seus tweets, suas cartas, tudo. Vocês me ensinaram — vocês me inspiraram — a me amar.”

Eu estava quase chorando, nesse momento, porque naquele instante eu vi — não, eu senti — um mar brilhante de milhares de corações e mentes se abrindo.

É esse tipo de reconhecimento, esse tipo de reciprocidade e honestidade, que abriu meus olhos para a importância e o significado que o BTS tem, verdadeiramente. Eu não tinha compreendido antes, mas agora, depois de experienciar o show, posso dizer com absoluta certeza que o BTS é diferente de qualquer outra banda que esse mundo já presenciou.

Durante o discurso [de RM], eu senti minha irmã puxar a manga da minha blusa. Quando me virei para encará-la, ela me puxou para perto e disse: “É o mesmo, Val.”

“O que é o mesmo?” Perguntei, confusa.

“Suas vozes. Seu amor. É o mesmo.”

Foi uma lição importante para mim, alguém que já havia rotulado o BTS como uma boyband qualquer que não tinha nada a oferecer além de músicas grudentas e um olá para os fãs de vez em quando. Naquela noite, ficou claro para mim exatamente o que eles significam para a minha irmã. Vienna não pode vê-los dançar. Ela não pode ver seus rostos, seus cabelos, suas roupas ou seus sorrisos. Tudo isso é inegável, mas ainda assim, o septeto foi capaz de tocar seu coração com a paixão que os levou aos palcos mundiais em primeiro lugar: a música. Todas as vezes que a vi com seus fones de ouvido e um sorriso luminoso no rosto, foi por causa da música do BTS. Tenho vergonha de ter acreditado numa ideia tão desinformada sobre eles antes mesmo de tê-los dado uma chance.

Minha irmã já foi bombardeada com ridicularizações passivas por gostar do BTS, infelizmente vindo de nossa família e outros conhecidos. Ela ouviu muitas coisas maldosas, seja dirigidas a ela ou ao próprio BTS. Todas as vezes que ela veio até mim, eu tentei consolá-la da melhor maneira possível, mas uma coisa que reparei foi o quão resoluta ela era em seu amor por eles. O amor inabalável que ela nutria pelo BTS excedia a aversão vaporosa que encontrava tão frequentemente. “Não importa que eles não cantam em inglês,” ela dizia. “Eu sei o que eles estão falando. Eu posso sentir o que eles dizem.”

É tão, tão enganosamente fácil de ignorá-los como estrelas pop manufaturadas. Ao ouvirem suas músicas, as pessoas que escolhem não buscar mais a fundo podem estar perdendo de entender alguns dos mais apaixonados liricistas da indústria musical. Desde o show, eu decidi escutar mais suas músicas e ler as traduções. Sim, suas danças impecáveis são hipnotizantes, mas e as mensagens por trás de suas canções? E a emoção em suas vozes? As palavras que falam para os seus fãs? Eles são coreanos. Eles, fundamentalmente, falam coreano e a maior parte das suas músicas são em coreano. Mas por que isso impediria alguém de entender a mensagem principal de amor próprio e amor ao próximo?

Fiquei deslumbrada com como o BTS recebe todos de braços abertos. Eu os via olhar para a multidão da plateia com expressões gentis e amorosas. As pessoas lá eram receptivas às suas demonstrações de afeto exuberante e universal pelo seu diverso grupo de fãs  — um espetáculo muito bem-vindo por mim e muitos outros. Durante cada música, todos ao nosso redor cantavam em uníssono, e o fato de que as músicas eram em coreano não importava nem um pouco.

Minha irmã já havia me contado diversas vezes sobre o quanto a música significa para cada integrante do BTS, mas nunca havia me atingido até aquele momento. É admirável que o BTS vá tão longe para oferecer conteúdo aos seus fãs, mas é ainda mais admirável saber que eles fazem isso porque eles amam o que fazem e infusionam esse amor em coisas que vão muito além do escopo da música e da dança, apesar das demandas físicas e temporais. Esse amor complexo e amorfo se estendeu para além das barreiras da linguagem, além de distâncias geográficas, além de tantos outros fatores que só buscam nos separar.

Talvez o conceito de que o amor pode conquistar até os males mais obscuros do mundo seja idealista, mas o que eu vi, ouvi e senti durante o show foi um indicativo do poder que o conceito intangível do amor realmente tem. Fale com qualquer ARMY  — de mulheres afro-americanas aos meninos de dez anos de idade, dos avós carinhosos à adolescente cega  —, o BTS advoga por e demonstra algo que não pode ser definido por nenhum dicionário ou limitado por nenhuma percepção. Eles não precisam cantar ou fazer rap em inglês. O que eles fazem é muito mais substancial do que chamar a atenção do mercado ocidental abandonando suas raízes.

Não sou nenhuma filósofa. Não sou historiadora, nem sou cientista. Não sou uma aficionada por música e só sei falar uma língua. Mas não é necessário um gênio perfeito ou um acadêmico super preparado para entender o que o BTS está tentando dizer ao mundo.

Quando voltamos para o nosso quarto de hotel, minha irmã me abraçou e disse, “Essa foi a melhor noite de toda a minha vida.”

E acho que foi a minha também.

Fonte: Valonea Renhern @ Medium
Trans eng-ptbr; nalu @ btsbr


Publicado em 04.11.2018
[TWITTER] 03.11.18 – BTS_twt
TWEETS POSTADOS POR @BTS_TWT NO DIA 03.11.18

[RM]

[TRAD] outono 🍂🍃

[TRAD] outono 🍁🌿

[V]

[TRAD] Primeira vez vendo o mar, certo~ Fascinante, certo~?

*O nome do restaurante na quarta foto é Yeontan Costelas Grelhadas no Carvão e também o nome cachorro do V, Yeontan!

Trans ko/eng-ptbr; jojo viola @ btsbr


Publicado em 04.11.2018
As melhores parcerias do BTS, de Waste It On Me até IDOL
As parcerias incluem grandes artistas, de Nicki Minaj a Fall Out Boy!

Em mais de uma ocasião, os ARMYs ficaram animados com a ideia do BTS poder estar trabalhando em novos materiais com outros músicos — mais recentemente, por exemplo, foi o músico porto-riquenho Daddy Yankee que atraiu especulações sobre estar trabalhando junto com o grupo. Um simples tweet ou curtida pode levar os fãs a um frenesi, montando diversas teorias (muito plausíveis) sobre possíveis colaborações. Quando se trata do BTS, as parcerias são algo sério.

E por uma boa razão, já que o histórico do BTS de trabalhar com outros artistas é bem admirável: por exemplo, você já ouviu o novo hit de verão do grupo com Steve Aoki, “Waste It On Me”? Acontece que eles têm um rico histórico de parcerias, desde músicas com Nicki Minaj, até participações especiais em trechos com o Fall Out Boy.

Sendo você um fã dedicado do BTS ou alguém que acabou de descobrir o K-Pop, preste atenção nessa extensa discografia de parcerias com outros músicos e produtores – que inclui The Chainsmokers, HONNE e Wale! – que resultou em músicas verdadeiramente mágicas. Quando você perceber, estará ouvindo à elas sem parar.

1. JungKook e RM x Steve Aoki – “Waste It On Me” (2018)

Uma das mais frequentes parcerias do BTS, o produtor e DJ Steve Aoki, surpreendeu os ARMYs com o lançamento de “Waste It On Me”, sua terceira parceria com o grupo, em um tweet no dia 25 de outubro. Com os vocais suaves de JungKook e RM, letras cativantes como “Eu não sei seus segredos, mas vou juntar os pedaços de mim” e o gênio de Aoki, indicado ao Grammy, “Waste It On Me” é tem uma batida pop e elétrica que chocou aos fãs. Nós mencionamos que também é a primeira música do BTS inteiramente em inglês?

2. RM x HONNE – “Seoul” (2018)

RM lançou recentemente sua segunda mixtape solo, e ela é incrível. Em 22 de outubro, o rapper encantou os ARMYs com o lançamento de mono., que apresenta sete novas faixas, incluindo “Seoul”, uma melodia lírica co-escrita e produzida pela dupla de electro-soul londrina HONNE. Na música, RM canta hipnoticamente sobre sua relação de amor e ódio com a capital sul-coreana  — a cidade que os garotos do BTS chamam de lar. “mono.” subiu rapidamente para o topo das paradas do iTunes em 86 países ao redor do mundo.

3. BTS x Nicki Minaj – “IDOL” (2018)

O que você ganha quando uma rapper e uma boyband coreana se juntam? Um single de sucesso, um desafio de dança viral e um videoclipe ambientando em um país das maravilhas de cores, com roupas tão impressionantes quanto sua coreografia. “Idol ft. Nicki Minaj” foi lançada em 24 de agosto, horas antes do lançamento do tão esperado álbum do grupo, Love Yourself: 結 Answer, que levaria o grupo de K-pop pela segunda vez ao primeiro lugar no chart da Billboard 200 e deixaria ARMYs ao redor do mundo cheios de orgulho e emoção.

4. BTS x The Chainsmokers – “Best Of Me” (2017)

Em setembro de 2017, Andrew Taggart, do The Chainsmokers, se uniu ao BTS para co-escrever “Best Of Me”, uma música de EDM do álbum Love Yourself: 承 Her. Essa foi a primeira vez que o BTS colaborou com um artista americano para um álbum, e a letra da música “Você tem o melhor de mim, então, por favor, não me deixe” mostrou de quão longe o grupo vem desde seus primeiros dias, cantando faixas de hip-hop com temas envolvendo o sistema educacional.

5. RM x Wale – “Change” (2017)

A história de como RM e o rapper americano Wale se conheceram é uma que você, provavelmente, já conhece se você é um ARMY se seguindo no Twitter. Uma coisa levou a outra e, alguns meses depois, em março de 2017, eles lançaram o hit de abordagem política que é “Change”. Na música, RM faz o rap sobre um mundo dividido: “Todos nós temos alguns professores loucos e algumas classes visíveis, espaços divididos e estresses para sempre”.

6. RM e JungKook x Jo Kwon, Joo Hee e Lim Jeong Hae – “Perfect Christmas” (2013)

Não existe hora ruim para música festivas, e o BTS trouxe isso quando RM e JungKook se juntaram a seus colegas idols da Big Hit Entertainment Jo Kwon, da 2AM, Joo Hee, do 8eight, e Lim Jeong Hae na obra de arte festiva sobre a época mais maravilhosa do ano que estava faltando na sua playlist. A música, inteiramente em coreano, apresenta letras que dizem: “Esta é a época perfeita do ano, eu te mostrarei o quanto você é precioso. Porque você está aqui, eu estou incrivelmente feliz neste Natal”. O que significa que é, basicamente, uma comédia romântica em forma de música.

7. Fall Out Boy x RM – “Champion” Remix (2017)

2017 foi um grande ano para RM. O rapper participou de um remix do single do Fall Out Boy, “Champion”, do álbum Mania, entrando pela primeira vez no chart Hot 100, na 18ª posição. No verdadeiro estilo RM, o rapper canta letras significativas como “Não é preciso ser alguém, ser alguém. É melhor ser ninguém do que viver em um corpo morto”. De acordo com o Soompi, RM compartilhou que seus versos eram sobre “pessoas que se tornaram campeãs serem pessoas que não podiam se tornar campeãs”.

8. BTS x Steve Aoki ft. Desiigner – “MIC Drop (Remix)” (2017)

Quando a notícia de uma parceria tripla entre BTS, Steve Aoki e Desiigner saiu pela primeira vez em novembro de 2017, os fãs começaram a se animar (e com razão). O poderoso sucesso do hip-hop, onde o BTS canta sobre seu crescente sucesso internacional, fez história ao atingir a certificação de ouro nos Estados Unidos  — fazendo do septeto o primeiro grupo coreano com certificação de ouro da Associação Americana da Indústria de Gravação (RIAA, em inglês). A parceria é tão icônica que Aoki e Desiigner fizeram tatuagens de “MIC Drop”.

E se todas essas parcerias (além de muitas outras que eles fizeram no passado) não foram suficientes, os ARMYs podem esperar pelo fato que artistas como Zedd, Khalid, Niall Horan, Shawn Mendes e muitos outros, já expressaram seu interesse em trabalhar com o BTS — ou pelo menos já falaram sobre eles.

Fonte: Teen Vogue
Trans eng-ptbr: Jojo Viola @ BTSBR


Publicado em 04.11.2018
A dualidade de Park Jimin… 😍
Jimin é fofíssimo em um minuto e extremamente sexy no outro!

O Jimin do BTS é um caleidoscópio de traços brilhantes de personalidade, tanto em cima quanto fora dos palcos, que fazem os fãs acharem fofo em um minuto – e corarem no outro.

Às vezes, é difícil acreditar que essa figura ousada…

…e esse bobo amável…

…são a mesma pessoa.

Animated GIF

Como pode isso acontecer?
Nos palcos, o Jimin nunca falha em nos dar uma performance ousada e carismática.

Animated GIF

Ele dança em frente a milhares de fãs com uma confiança absurda…

Animated GIF

…e seduz a plateia com cada coreografia sexy.

Gif Animado

No passado, ele nos mostrou seu abdômen definido…

Animated GIF

…e nos deu essa apresentação inesquecível no MAMA 2014.

Animated GIF

A coragem do Jimin nos palcos pode fazê-lo parecer intimidador…

…até você ver seu lado “mochi*”.

Na verdade, o Jimin é muito mais tímido e bobo nos bastidores.

Animated GIF

Quando os fãs o encheram de elogios, o Jimin ficou tão tímido que bateu no Jin!
É impossível não se apaixonar pelo sorriso de garoto do Jimin…

…e suas brincadeiras absurdas.

Gif Animado

Tudo desde seus olhos que desaparecem quando ele sorri…

…às suas reações tímidas…

Animated GIF

…vão fazer você querer colocar ele na sua lista de bias!

(Se ele já não está nela!)
Em um piscar de olhos, esse cantor-dançarino pode ir de doce…

…a sexy.

Isso enfraquece os corações de suas pobre fãs, mas eles não trocariam isso por nada!

Animated GIF

*Jimin é apelidado de mochi (doce japonês) por parecer com um ao fazer pose com beicinho – ele faz suas bochechas parecem super fofas e macias.

Fonte: Koreaboo
Trans eng-ptbr; clau @ btsbr


Publicado em 04.11.2018
BTS é considerado inelegível para a categoria Best New Artist no Grammy
O nome do grupo continua aparecendo em muitas listas de previsões

O prazo de elegibilidade para o Grammy Awards se encerrou no dia 30 de setembro, o que significa que este é o momento para realizar previsões sobre quem receberá uma indicação ou qual música e álbum será lamentavelmente ignorado. Todo mundo parece ter uma opinião acerca de quem é merecedor, mas quando se trata do prêmio de maior prestígio da indústria musical, existem rígidas regras, e essas delimitações podem impedir que populares líderes das paradas musicais sejam reconhecidos.

Um nome que continua aparecendo em muitas listas de previsões é o BTS, o grupo de K-Pop que fez história (várias vezes, de fato) nos Estados Unidos este ano. Os ARMYs — a dedicada fanbase do grupo — falam há meses sobre uma possível indicação na categoria Best New Artist, mas, infelizmente, isso não irá acontecer.

De acordo com uma fonte próxima à premiação, o grupo foi considerado inelegível para o cobiçado prêmio.

2018 foi um ano extraordinário para o grupo sul-coreano, tendo alcançado não um, mas dois álbuns em primeiro lugar na Billboard 200,  fazendo história ao se tornar o primeiro grupo de K-Pop a fazer algo de tamanha importância.

Enquanto este foi o ano em que o BTS mudou todas as regras sobre quem pode liderar as paradas musicais nos Estados Unidos, o grupo tem estado e lançando músicas no país há anos, e é por isso que eles não poderão competir por este prêmio. Eles conseguiram seu primeiro álbum no Top 10 em setembro de 2017, quando o mini-álbum Love Yourself: Her chegou na sétima posição. Tecnicamente, esse sucesso ocorreu no período de elegibilidade do ano anterior.

Antes disso, eles colocaram outros quatro títulos na Billboard 200 durante um período de alguns anos,  embora nenhum deles tenha causado um grande impacto (apenas um deles entrou no Top 40). Então, mesmo que seja discutível que eles não tenham ganhado destaque até este ano, eles simplesmente lançaram muita música para competir por essa honra única na vida.

De acordo com a Recording Academy (organização responsável pelo Grammy), para se tornar elegível para a categoria Best New Artist, o artista “deve ter lançado o mínimo de 5 singles/faixas ou um álbum, mas não mais que 30 singles/faixas ou três álbuns em sua carreira até o momento.”

Com inúmeros álbuns tendo chegado a parada musical mais importante dos Estados Unidos ao longo dos anos, é claro que o BTS presenteou seus fãs com mais de 30 músicas, não sendo o grupo elegível para a categoria.

Fonte: Forbes
Trans eng-ptbr; fernanda azevedo @btsbr


Publicado em 03.11.2018
SUGA revela sua opinião sobre K-Pop: “Não quero defini-lo como um gênero”
O rapper partilhou sua opinião e conhecimento sobre música em entrevista

O erudita rapper sul-coreano de língua afiada, SUGA – frequentemente elogiado por sua inteligência e habilidades na indústria musical, revelou e debateu em entrevista o que K-Pop significa para ele e como é muito mais do que um gênero musical.

Durante sua recente turnê pelos EUA, o grupo coreano participou de uma sessão de perguntas e respostas no Museu do Grammy com o diretor executivo Scott Goldman, que se provou inesperadamente profunda.

Goldman perguntou se K-Pop era uma descrição precisa para o trabalho do BTS, SUGA respondeu e enfatizou que o K-Pop transcende sua música – ele acredita que é um reflexo de toda a cultura que envolve o grupo.

“Eu tenho um pouco de cuidado ao falar sobre o K-pop como um gênero, porque eu não quero definir o K-Pop como um gênero”, disse ele à Goldman. “Sou um pouco cauteloso com isso, mas acho que, ao invés de abordar o K-Pop apenas como um gênero musical, uma abordagem melhor seria enxergar todo o conteúdo que o integra.”

Suga's definition of Kpop comes to light Picture: Grammy Museum METROGRAB

“K-Pop inclui não é apenas a música, mas as roupas, a maquiagem, a coreografia… Todos esses elementos que eu acho que resultam, juntos, em um pacote de conteúdo visual e auditivo, o que o diferencia de outras músicas ou talvez de outros gêneros. Como eu disse, em vez de abordar o K-Pop como seu próprio gênero, acho que abordar essa integração de diferentes conteúdos seria melhor.” O rapper explicou em seu habitual tom sereno.

Suga's definition of Kpop comes to light Picture: Grammy Museum METROGRAB

O maknae de ouro, JungKook, também abordou o tema, contando que ele enriquece seu conhecimento musical ouvindo muitos gêneros diferentes – não apenas o K-Pop.

“Eu tento não categorizar as músicas que escuto. Então, eu ouço muito K-Pop, ouço muita música pop internacional. Eu ouço as letras e tento não separá-las da música. Eu escuto as letras em inglês e às vezes isso me traz inspiração,” o mais novo contou

Encerrou a questão com: “Então, agora, para mim, estou tentando ouvir a maior quantidade de gêneros musicais possível e da forma mais ampla que eu conseguir.”

O BTS está na Coreia do Sul para uma breve pausa em sua turnê mundial, que volta em 13 de novembro em Tóquio onde o grupo se apresenta em Estádio lotado.

Fonte: NME & Metro UK
Trans eng-ptbr & adaptação do texto; Caroline Piazza @ BTSBR


Publicado em 02.11.2018
BTS agradece ARMYs por arrecadarem 1.6 bilhão para “Love Myself” 😱
A campanha completou o primeiro ano desde o seu lançamento em 1º de novembro

O BTS e a UNICEF conseguiram um feito incrível através da campanha “Love Myself” que comemorou 1 ano!

Em 2 de novembro, um representante da UNICEF Korea declarou: “No primeiro ano desde que o BTS e a UNICEF se uniram para erradicar a violência contra crianças, nós levantamos mais de 1,6 bilhão de won (aproximadamente $1,4 milhão de dólares) e continuaremos levando a influência positiva do grupo através de atividades como o discurso para a Assembleia Geral da ONU ‘Speak Yourself’“.

No ano passado, a UNICEF, a Big Hit Entertainment e o BTS trabalharam juntos em apoio a campanha #ENDviolence, que visa acabar com a violência contra crianças e jovens. Como parte da campanha #ENDviolence, Love Myself é uma campanha ativista que visa espalhar uma influência positiva na sociedade, compartilhando a mensagem: “O começo do amor verdadeiro é com o amor por si mesmo”. Com essa mensagem positiva e influente, BTS, Big Hit Entertainment e ARMYs em todo o mundo mostraram seu apoio através de doações para a campanha.

O BTS agradeceu aos seus ARMYs e comemorou o primeiro aniversário da campanha em um vídeo divulgado no Twitter.

“Olá, somos o BTS. Hoje, 1º de novembro, faz um ano que o BTS e a Big Hit começaram a campanha Love Myself. Graças aos ARMYs, a campanha foi capaz de alcançar todo o mundo no ano passado. Você se lembra da mensagem que queremos levar com a campanha Love Myself? Falamos sobre a importância de se amar, de amar aos outros e de criar um mundo melhor.”

O grupo continuou: “Gostaríamos de agradecer aos ARMYs em todo o mundo que participaram desta campanha. Graças ao interesse e participação de todos, a campanha foi bem-sucedida e conseguimos chegar à ONU.”

Sobre o seu discurso na 73ª Assembleia Geral da ONU, RM comentou: “Foi uma honra. Eu nunca imaginei que seria capaz de estar na Assembleia Geral das Nações Unidas, e muito menos fazer um discurso. Eu já disse isso antes, mas as minhas mãos estavam tremendo de tanto nervosismo”. Eles concluíram dizendo que esperam que as pessoas continuem a mostrar atenção e dar apoio a campanha Love Myself.

[TRAD] OBRIGADO AOS ARMYS
Primeiro Aniversário da campanha LOVE MYSELF

O BTS agradece seus ARMYs de todo o mundo que fizeram parte da campanha LOVE MYSELF durante o último ano. Se junte a celebração deixando um comentário! #BTSLoveMyself #ENDviolence #unicef

Para comemorar o aniversário de um ano da campanha “Love Myself”, um evento está sendo realizado no Sinchon Star Plaza de 1 à 4 de novembro. No evento, os participantes podem ver por si mesmos como a UNICEF está combatendo a violência contra crianças globalmente, bem como o estado atual da questão. Os participantes também podem observar o mural de fotos do BTS, assistir a mensagem em vídeo do grupo, ganhar um slogan “BTS Love Myself” e contribuir com a campanha.

O Secretário-Geral da UNICEF na Coreia do Sul, Lee Ki Cheol, declarou: “Fiquei impressionado ao ouvir o discurso comovente do BTS na Assembleia Geral das Nações Unidas em setembro. Mais tarde naquela noite, ouvi de um diplomata: “Nos últimos 60 anos, a Coreia deixou sua marca com duas grandes conquistas. A primeira foi a conquista da democratização e industrialização e a segunda foi a criação do BTS”.

Ele continuou: “Eu pude medir a grande quantidade de esperança que o BTS foi capaz de dar, a boa influência que eles levam à jovens de todo o mundo com a campanha Love Myself e o quanto eles contribuíram para o aumento do prestígio nacional. Com isso em mente, é muito significativo manter o aniversário de um ano e celebrar o sucesso da campanha aqui na Coreia.”

Parabéns ao BTS!

Fonte: Soompi
Trans eng-ptbr; Caroline Piazza @ BTSBR


Publicado em 02.11.2018
[TWITTER] 01.11.18 – BTS_twt
TWEETS POSTADOS POR @BTS_TWT E @BTS_LOVE_MYSELF NO DIA 01.11.18

[JIN]

[TRAD] Odengie Gukmulie* Seokjinie

*Eles receberam nomes de ingredientes da cozinha coreana, Fish Cake (odeng) e sopa (gukmul) respectivamente. Fish Cake é uma prato processado, feito de peixe branco moído e outros ingredientes, como amido de batata, açúcar e legumes, sendo muito utilizado em sopas e no kimbap, ou como acompanhamento.

[RM]

[TRAD] Eu estava falando muito rápido??*
Me desculpem… Achei que ficaria entediante se eu demorasse muito..
E também, eu queria abrir o chat da live para me falar com vocês, mas acabei encerrando ela por engano.. Me desculpem pelo engano.. ** Eu estou me curvando [ao pedir desculpas] também

*RM se referiu a sua transmissão no VLIVE.
**RM digitou isso em inglês, usando os caracteres coreanos.

[LOVE MYSELF]

[TRAD] Olhe toda essa agitação! 👀
A celebração do primeiro aniversário da Campanha LOVE MYSELF começou!
Participe dos diversos programas e poste uma foto em suas redes sociais com a hashtag!

Local: Cabine da UNICEF, SINCHON Yonsei-ro Star Plaza
Horário: De 1 de novembro (quinta-feira) à 4 de novembro (domingo) #BTSLoveMyself

[TRAD] Obrigado ARMYs!
Primeiro aniversário da Campanha LOVE MYSELF!
O BTS agradece os ARMYs do mundo todo que participaram da Campanha LOVE MYSELF durante esse primeiro ano.
Se junte às celebrações deixando um comentário!

[VÍDEO]
BTS: Oi nós somos o BTS!
RM: Hoje, dia 1º de novembro, faz um ano que o BTS e a BigHit começaram a Campanha #BTSLoveMyself!
J-Hope: Uau, um ano!
RM: Graças aos ARMYs, nós pudemos divulgar a Campanha Love Myself no mundo todo. Vocês, por um acaso, se lembram da mensagem [da campanha]? Perceber o quão importante é amar a si próprio, e ao próximo, para criarmos um mundo melhor.
Jin: É isso mesmo. Nós queremos expressar nossos sinceros agradecimentos aos ARMYs de todo o mundo que se juntaram a nós nessa campanha. Ela foi bem sucedida, e nós pudemos participar da Assembleia Geral das Nações Unidas, graças à sua atenção e participação.
J-Hope: Sim, é isso aí. E nosso RM até fez um discurso, como nosso representante.
RM: Isso foi à um mês atrás! Foi uma honra. Eu sabia que era algo muito importante. Nós estarmos presentes na Assembleia Geral das Nações Unidas… nenhum de nós jamais poderia imaginar algo do tipo! E até fazer um discurso… Eu estava nervoso ao ponto de minhas mãos tremerem.
SUGA: Sim, e para que muitas pessoas continuem recebendo essa mensagem, por favor continuem mostrando suporte e dando atenção à Campanha Love Myself. Vocês estarão conosco nesta, certo?
RM: Todo mundo…
BTS: Por favor, “Love Myself”
J-Hope: Obrigado!

Trans ko-eng; bts-trans e btstranslation7
Trans eng-ptbr; Jojo Viola @ btsbr


Publicado em 01.11.2018
Começaram as votações para o MAMA 2018!
A premiação acontece em dezembro, durante 3 dias em 3 países diferentes

Está quase na hora do MAMA deste ano!

No dia primeiro de novembro foram anunciadas as indicações para o Mnet Asian Music Awards 2018.

A cerimônia deste ano começa no dia 10 de dezembro, no Dongdaemun Design Plaza, na Coreia do Sul, e continua no dia 12, na Saitama Super Arena, no Japão. O grande final acontece no dia 14 de dezembro, novamente na AsiaWorld-Expo Arena em Hong Kong.

O critério para os vencedores será o seguinte:

‘Artist of the Year’ e prêmios das categorias de artistas — 20% dos votos no site Mwave, 30% do painel de jurados (coreanos + internacionais), 30% de vendas digitais e 20% de vendas de álbuns físicos.

‘Song of the Year’ e prêmios das categorias de gênero — 20% dos votos no site Mwave, 40% do painel de jurados (coreanos + internacionais), 30% de vendas digitais e 10% de vendas de álbuns físicos.

‘Album of the Year’ — 40% do painel de jurados (coreanos + internacionais), 60% de vendas de álbuns físicos.

‘Worldwide Icon of the Year’ — 60% dos votos no site Mwave, 20% dos votos em redes sociais, 20% de visualizações globais nos MVs, + 10% votos ao vivo (durante a premiação) nas redes sociais.

‘Global Top 10 Fans’ Choice’ — 60% dos votos no site Mwave, 20% dos votos em redes sociais e 20% de visualizações globais nos MVs.

Prêmio especial — 30% dos votos no site Mwave e 70% do painel de jurados (coreanos + internacionais).

Para ser elegível, a música precisa ter sido lançado entre os dias 18 de outubro de 2017 é 31 de outubro de 2018.

Resultado de imagem para bts mama 2017 artist of the year gif

A votação online acontecerá do dia primeiro de novembro, às 6h da manhã (horário de Brasília), ao dia 9 de dezembro, às 11h59 da manhã (horário de Brasília). Você pode votar clicando aqui.

Você pode votar para o ‘Global Fans’ Choice’ clicando aqui.

O BTS está indicado nas seguintes categorias:

Best Male Group (Melhor Grupo Masculino)

Best Music Video (Melhor MV) com ‘IDOL’’

Best Dance Performance Male Group (Melhor Apresentação de Dança por Grupo Masculino) com ‘FAKE LOVE’

Song of the Year (Música do Ano) com ‘FAKE LOVE’

Artist of the Year (Artista do Ano)

Mwave Global Fans’ Choice (Escolha dos Fãs Globais) com ‘FAKE LOVE’

As categorias que não incluíam o BTS foram omitidas. Você pode conferi-las na íntegra no artigo original em inglês, clicando aqui.

Fonte: Soompi
Trans eng-ptbr; nalu @ btsbr


Publicado em 01.11.2018
RM é participação confirmada no álbum de Drunken Tiger!
RM já citou Tiger JK como um de seus ídolos e modelos da música

RM do BTS participou no último álbum do Drunken Tiger!

No dia primeiro de novembro, a agência de Tiger JK, Feel gHood Muzik, anunciou que RM participará do super esperado décimo e último álbum do Drunken Tiger. Um representante da agência afirmou, “RM do BTS está no décimo álbum do Drunken Tiger como um rapper convidado. Ele já terminou as gravações [para o álbum].”

O próximo álbum não marcará a aposentadoria do Tiger JK da indústria, mas será o último álbum que ele lançará sob o nome Drunken Tiger.

RM já citou Tiger JK como um de seus ídolos e modelos da música. Ele já trabalhou com Tiger JK anteriormente ao participar da faixa “Buckubucku” do MFBTY em 2015, e declarou com alegria em mais de uma entrevista, “Eu cresci assistindo ao Tiger JK. Eu sou um fã que encontrou o sucesso.”

O último álbum do Drunken Tiger vai ser lançado dia 14 de novembro e, supostamente, ostenta várias participações de grandes artistas.

Fonte: Soompi
Trans eng-ptbr; clau @ btsbr


Publicado em 01.11.2018
Como o BTS alcançou o sucesso que outros grupos não conseguiram?
O jeito diferente de trabalhar os permite atingir uma audiência maior

Depois da BTS World Tour: Love Yourself esgotar em todo mundo, não foi incomum ver a mídia americana comparando a turnê do grupo coreano com a chegada dos Beatles aos EUA e a Invasão Britânica de 1960. O BTS tem deixado em seu caminho uma longa trilha de estádios lotados de fãs gritando por eles. A comparação veio quando o grupo se apresentou em dois grandes locais — o Citi Field em Nova Iorque e a O2 Arena em Londres — trazendo de volta a imagem da histórica apresentação da banda inglesa no Shea Stadium.

Ser a maior boyband do mundo não é pouca coisa. Há alguns anos, era difícil imaginar que um grupo de Kpop herdaria o trono antes ocupado por nomes como New Kids on the Block, N’SYNC e One Direction. — todos de países com a língua materna inglesa e quase todos brancos. Mas um olhar mais atento à música e a mensagem do BTS pode mostrar que até mesmo chamá-los de boyband pode, na verdade, estar diminuindo o que eles realmente são.

O termo “boyband” é um produto da história da música pop anglofônica e vem com um conjunto de suposições. Começando com o Jackson 5 e The Osmonds e culminando com New Kids on the Block, o termo era usado para denominar um ato de pop formado por jovens bonitos, apresentando músicas criadas por produtores gananciosos. Seu público alvo eram garotas adolescentes, no qual as músicas e mensagens da boy band eram dirigidas. As letras eram geralmente melosas, e as músicas sobre entrar ou sair de um relacionamento romântico com uma mulher jovem. Normalmente, as músicas das boybands raramente eram ousadas, e consistiam em músicas pop chiclete, fáceis e previsíveis.

De certa forma, não é errado chamar o BTS de “boyband”. O sistema de produção de ídolos no K-Pop é totalmente associável com a produção de ídolos nos EUA e no Reino Unido. As boybands do mundo pop anglófono também tiveram enorme popularidade na Coreia do Sul, tanto que quando o New Kids on the Block fez um show em Seul em 1992, o tumulto foi tão grande que chegou a matar um fã e hospitalizar outros 50. Os produtores coreanos procuraram imitar o sistema que criou o Jackson 5 e New Kids on the Block. Isso eventualmente resultou no terrível sistema de trainees do K-Pop, que também criou o BTS sobre o apoio da Big Hit Entertainment. Como outras boybands e grupos de K-Pop, o BTS é um grupo formado de jovens bonitos que apresentam músicas que se apoia fortemente na estética visual.

photo

Mas é aí que as similaridades acabam, já que muitos conceitos históricos sobre boybands não se aplicam ao BTS. Acima das semelhanças superficiais, o BTS trabalha de um jeito diferente que os permite atingir uma audiência maior do que os reinos anteriores desse cenário.

Nesse ponto, as bandas de K-Pop estão musicalmente em um lugar diferente. Enquanto alguns grupos de K-Pop que se entregam ao pop chiclete, os principais artistas do gênero frequentemente apresentam músicas ousadas e inovadoras. Em sua música “Rum Pum Pum Pum”, o f(x) estabeleceu novos limites para a música pop eletrônica e “The 7th Sense” do NCT U deu certo por ser construída com um som minimalista e hipnótico. Essas músicas são ousadas ao ponto de não terem muito em comum com outras músicas de K-Pop.

As boybands ocidentais dos anos 90 também experimentaram sons inovadores que iam além da música pop, mas os grupos de K-Pop deram um passo adiante. Nesse sentido, eles são herdeiros musicais de Michael Jackson, cujo a música deixou uma marca inesquecível na cena pop coreana dos anos 90 (O Seo Taiji and Boys, a fonte do K-Pop moderno, eram obcecados pelas músicas do Rei do Pop). É válido lembrar que Jackson também começou sua carreira com o Jackson 5, a boyband protótipo que surgiu antes mesmo que o termo “boyband” fosse tão usado. Michael Jackson levou sua música a um nível único visualmente e audivelmente, hipnotizando os fãs. Seguindo o padrão dos Jacksons, os grupos de K-Pop sempre procuram apresentar um pacote completo, coreografias excelentes e presença de palco carismática. Esse aspecto do K-Pop tem sido crucial para reviver o gênero dos grupos masculinos que vem decaindo nos EUA e no Reino Unido. O BTS tem tido sucesso porque eles são os melhores apresentando todo esse pacote. Eles são um grupo diversificado, composto de três rappers e 4 cantores, em contraste aos EUA/Reino Unido, onde em tais grupos geralmente todos são cantores com um ou dois papéis principais.

Para as boybands dos EUA e do Reino Unido, o produtor é inseparável do produto. É difícil imaginar o New Kids on the Block sem Lou Pealrman, ou One Direction sem o Simon Cowell. O mesmo modelo foi importado para o K-Pop, e a maioria dos grupos estão intimamente ligados às suas produtoras geralmente SM Entertainment, JYP Entertainment ou YG Entertainment, todas com os nomes correspondentes às iniciais de seus fundadores. Mas com a Big Hit Entertainment e seu fundador Bang Si-hyuk, que enfatizou a liberdade artistística no “house style”. Com a ajuda de um pequeno número de produtores, os integrantes do BTS participaram da produção de músicas desde o começo, compondo as próprias músicas e escrevendo as próprias letras.

Apesar da influência de Bang Si-hyuk e os produtores da Big Hit esteja claramente presentes nas músicas do BTS, tal influência é menos pronunciada em comparação com as marcas que por exemplo, dá Starr em New Kids on the Block ou Max Martin no Backstreet Boys e N’SYNC. A música do BTS é orgânica porque sai naturalmente da mente dos integrantes. Não é uma coincidência que o BTS começou sua jornada musical com o hip-hop, gênero que talvez tenha a maior barreira para a autenticidade. No começo, o BTS estava mais perto de ser um grupo de hip-hop em formato de boyband do que uma boyband experimentando o hip-hop.

A autenticidade artistística do BTS brilha ainda mais em suas letras e mensagens. Enquanto o BTS canta sobre amor e namoro, é mais frequente a autorreflexão e a observação sobre as pessoas e o mundo ao redor. Eles olham para dentro, em vez de cantar apenas sobre o exterior. O grupo é honesto em suas lutas; e eles são críticos e desafiadores aos problemas impostos por seus adversários na sociedade em geral. A sua mensagem — que ultimamente se resume a amar a si mesmo —  é positiva e otimista, pois vem originalmente de sua energia juvenil. Essa nota esperançosa, que ecoa a mensagem de Michael Jackson “Heal The World”, coloca o BTS em lugares que raramente estrelas pop chegariam, como a campanha da UNICEF contra a violência e um discurso proferido durante a Assembleia Geral da ONU.

O que diferencia o BTS da maioria das maiores boybands anteriores é também o que permite que o septeto atinja um alcance maior de fãs do que seus antecessores. Os fãs do BTS são mais diversificados culturalmente, eticamente e geracionalmente do que qualquer outro grupo que veio antes deles. A fanbase ARMY é realmente uma força global, com centenas de milhões de fãs espalhados pela Ásia, Oriente Médio e África. Notavelmente, a BTS World Tour: Love Yourself atraiu um grande número de fãs de meia-idade. Para a maioria das boybands, uma multidão de fãs de meia-idade só viria em um show de reencontro, mas em qualquer show do BTS, não é incomum ver três gerações de ARMYs presentes, ou uma mãe e uma filha em que a mãe é a fã e a filha apenas uma acompanhante.

A média falante da língua inglesa ainda está tentando processar o aumento súbito do BTS. Como o  BTS apareceu completamente do nada, houve uma dificuldade em encontrar um quadro de referência, que é como chegamos a “boyband”. Embora a chegada do BTS nos EUA tenha sido comparada com a chegada dos Beatles e a invasão britânica, podemos estar realmente vendo os herdeiros do Michael Jackson do século XXI.

Fonte: Vulture
Trans eng-ptbr; natália feitosa @ btsbr