Por que o BTS não teve o álbum mais vendido do mundo em 2019 e o que deu errado? 🧐

Anúncio

Por que o BTS não teve o álbum mais vendido do mundo em 2019 e o que deu errado? 🧐

As vendas internacionais do álbum Map of the Soul: Persona (2019) do BTS possivelmente podem ter sido massivamente subnotificadas à Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI) para a sua prestigiada lista anual de álbuns mais vendidos no mundo.

No início deste ano, o sexto EP do grupo sul-coreano foi nomeado como o 3º álbum mais vendido do ano em 2019, com 2.5 milhões de unidades vendidas de acordo com o Global Top Album Chart do IFPI em Londres.

Mas o que seria um feito a ser celebrado, tão logo despertou a atenção dos fãs do grupo e as especulações diante da posição do álbum na lista começaram. Um rombo no número de álbuns vendidos chamou a atenção e colocou à prova a credibilidade da lista do IFPI, uma vez que segundo o principal chart da Coreia do Sul, o Gaon, o grupo ultrapassou a marca de 3.7 milhões de álbuns vendidos no mundo todo com Persona.

Assim que a lista foi divulgada, um fã no Twitter questionou sem rodeios: “Explique-nos como você fez as contas exatamente”.

A confusão levantou algumas possibilidades, uma delas seria a de que Map of the Soul: Persona foi considerado um EP e suas vendas podem ter sido cortadas pela metade, o que o IFPI diz que não é verdade.

“Apenas downloads e vendas físicas de álbuns foram usados ​​na lista de álbuns mais vendidos”, disse Linzi Goldthorpe, executiva sênior de comunicações da IFPI, em comunicado por e-mail.

“Para as métricas da lista, os álbuns são definidos como sendo de cinco faixas ou 25 minutos em tempo de execução.”

Ela acrescentou que a classificação de cada álbum é “baseada em envios auto-certificados” das suas gravadoras. Para o BTS, os números de vendas foram enviados pela Big Hit Entertainment.

Quando perguntada sobre a enorme discrepância, a Big Hit confirmou que os dados do Hanteo Chart, que são baseados no volume de vendas na Coreia do Sul, foram os enviados ao IFPI, deixando um grande número de vendas internacionais do EP fora da contagem.

“O IFPI nos pediu dados de vendas e enviamos o Hanteo Chart, que é baseado nas vendas de álbuns em nosso país”, disse um funcionário de relações públicas da Big Hit ao The Korea Herald.

O Hanteo Chart basicamente rastreia as vendas de álbuns de música licenciados na Coreia, incluindo algumas vendas no exterior através de importadores individuais. Enquanto isso, o Gaon Chart coleta dados de todos os distribuidores oficiais ao redor do mundo. O BTS, por exemplo, tem dois distribuidores para seus registros, a Dreamers Company em casa e o The Orchard no exterior, respectivamente, os quais enviam dados para Gaon.

O funcionário da Big Hit se recusou a explicar mais detalhadamente por que eles não enviaram dados do Gaon em vez dos dados do Hanteo.

O executivo da IFPI também se recusou a comentar se a IFPI estava ciente de que os números do Hanteo Chart não refletem as vendas globais no exterior.

“Entendemos que a parceria entre distribuidores locais e o IFPI não foi renovada este ano, o que significava que o IFPI tinha que entrar em contato diretamente com cada gravadora, incluindo Big Hit”, um funcionário da Korea Music Content Association, um grupo por trás do Gaon Chart, disse sob condição de anonimato, citando a sensibilidade do problema. Ele acrescentou que a decisão da Big Hit de enviar os dados do Hanteo foi curiosa.

“Perguntamos à Big Hit por que eles enviaram dados do Hanteo, em vez de solicitar diretamente aos distribuidores. A agência apenas repetiu que o IFPI pediu que eles fornecessem dados de vendas”, disse ele. “Mas o Hanteo não pode contar o volume de vendas de exportação e por qual empresa e em que país.”

Em 2018, tanto o Love Yourself 結 ‘Answer’ como o Love Yourself 轉 ‘Tear’ do BTS entraram nos 10 principais álbuns globais da IFPI de 2018, com 2.7 milhões e 2.3 milhões de vendas unitárias respectivamente.

Os números foram ainda maiores do que os 2.19 milhões e 1.84 milhão de cópias contadas pelo Gaon Chart para os álbuns naquele ano. Nesse meio tempo, os mesmos álbuns alcançaram a marca de 1.26 milhão e 1 milhão de cópias, respectivamente, no Hanteo Chart.

Os rankings do IFPI e os dados de vendas são amplamente citados para avaliar as conquistas dos artistas no ano. Pessoas do setor em todo o mundo compram o relatório completo anual, apesar do preço elevado de 5.000 libras (US $ 6.125).

Se a Big Hit Entertainment foi ou não induzida ao erro na coleta dos números de vendas ainda é um mistério, mas os fãs do grupo certamente estão acompanhando o desempenho de perto e com atenção, resta esperar pelo resultado de Map of the Soul: 7 na lista deste ano.

Fonte: The Korea Herald
Tradução e adaptação: Caroline Piazza @ BTSBR

Artigos | por em 20/05/2020
Compartilhe:

Comentários:


Anúncio