btsbr.co.vu/archive & btsbr.wordpress.com
SITE: Bangtan Brasil - Fã Base
VERSÃO: 1.3 - WINGS BLUE
DESDE: 29.03.2013
VISITAS: ARMYs
Bulletproof Boy Scouts (em coreano: 방탄소년단) é um grupo masculino sul coreano de hip-hop formado pela Big Hit Entertainment. Geralmente conhecidos como BTS, são também chamados de Bangtan ou Bangtan Boys. Eles estrearam em 13 de junho de 2013 com sua.. LEIA MAIS
SEJA BEM VINDO AO BANGTAN BRASIL, A PRIMEIRA E MAIOR FÃ BASE BRASILEIRA DO BTS. FEITA DE FÃ PARA FÃ!

Tag: artigo

Publicado em 28.05.2017
[ARTIGO] BTS nos EUA: ainda somos um grupo subestimado na Coréia
“Ainda existem pessoas que são hostis quanto ao nosso trabalho ainda hoje", [...]

“Ainda existem pessoas que são hostis quanto ao nosso trabalho ainda hoje, mas eu acredito que isso é algo que podemos tolerar. Eu acho que isso vai depender muito do nosso sucesso e se pudermos mostrar respostas positivas, então eu quero continuar produzindo bons resultados.”

Essa é a aspiração do BTS (Rap Monster, SUGA, Jin, J-Hope, Jimin, V e JungKook) revelada durante entrevista com o Newson após o lançamento do seu segundo álbum “Wings” em outubro do ano passado, e em apenas sete meses, eles já conseguiram alcançar um novo recorde que ficará para a história do K-Pop e provar seu aspecto como “ídolos em ascensão”. Esse é um reconhecimento que surpreendeu as fãs ao redor do mundo e aos especialistas da indústria, independente de gostarem ou não do grupo.

 

BTS ganhou o prêmio de “Top Social Artist” no Billboard Music Awards 2017, que aconteceu em 21 de maio, na T-Mobile Arena, em Las Vegas, EUA. Depois do PSY (que ganhou o prêmio de Top Streaming Song and Video quatro anos atrás), eles são os segundos a ganharem um prêmio no “BBMAs”, uma premiação que é conhecida por ser rigorosa com artistas coreanos e, o BTS foi o primeiro grupo de K-Pop a vencer.

Essa categoria escolhe o vencedor somando a quantidade de vendas de músicas e álbuns online, streaming [música e vídeo], número de vezes que uma(s) música(s) foi tocada na rádio, número de shows e participação social, etc, que são coletados durante um ano, além dos votos dos fãs que começaram a ser contabilizados no dia 1 de maio. Após alcançarem o primeiro lugar no “Social 50” em 29 de outubro, BTS ficou no topo dos charts 24 vezes, ultrapassando Justin Bieber, que também conta com um forte fandom. O grupo também superou o cantor canadense com uma quantidade gigantesca de votos, introduzindo o K-Pop para um número ainda maior de pessoas. Os indicados para a mesma categoria incluíam outras estrelas globais, como Selena Gomez e Ariana Grande, o que torna sua vitória ainda mais surreal.

Quando as mídias coreanas foram informadas de que um grupo nacional ganhou um prêmio em uma prestigiada premiação americana, elas deixaram de lado o conteúdo normal para reportar a notícia. Talvez esse tenha sido o momento em que o grupo recebeu mais atenção em mídias nacionais [coreanas] desde o seu debut.

Eles não só conseguiram a classificação mais alta (nº 26) entre artistas de K-Pop em um dos principais charts da Billboard, “Billboard 200”, eles estabeleceram um recorde na história do K-Pop ao entrar no chart com quatro álbuns consecutivos. BTS também conseguiu resultados significativos, como entrar no “TOP 10” no principal chart do iTunes americano, o “Top Songs”, e ainda no “Bubbling Under Hot 100”, em 15º lugar. Desde então, mídias de grande porte, como The New York Times, relataram sobre a passagem do grupo pelos Estados Unidos com sua turnê em março e outras mídias estrangeiras, como Times e People Magazine, CNN, BBC e Nikkan Sports, fizeram reportagens sobre a vitória do BTS no Billboard Music Awards, com muito mais detalhes comparado às reportagens transmitidas pela mídia coreana.

O produtor de sucesso, Bang Sihyuk, que previamente trabalhou na JYP Entertainment, fundou a empresa Bighit Entertainment em 2013 e, com ela, o grupo de sete ídolos com a seguinte mensagem: de se defender contra balas, ou “bulletproof”, e como os integrantes tinham uma idade média de 19.7 durante o seu debut, os denominando de “Boy Scouts”. O grupo então começou a se promover com o nome de “Bulletproof Boy Scouts”, que expressava sua intenção de se proteger contra o preconceito e repressão da sociedade atual. No entanto, é verdade que o nome único do grupo criou um certo tipo de estereótipo não relacionado às suas músicas, assim, não lhe dando muita liberdade [na mídia].

De qualquer maneira, eles continuaram fazendo seu estilo característico “BTS” de música, assim como o nome do grupo implica [à prova de balas] e procederam construindo seu próprio mundo. Os membros estavam completamente cientes do preconceito que o pública tinha com eles, não estava relacionado com o seu talento e eles humildemente aceitaram esse fato e, sem ter medo disso, seguiram em frente com determinação para quebrar esse estereótipo pré-estabelecido com músicas boas. “School Trilogy”, as duas partes da série “HYYH” e o conjunto de álbuns do “Wings” (Wings e Wings: You Never Walk Alone), lançados em outubro e em fevereiro, respectivamente, abraçaram e confortaram as dores sentidas por muitos grupos de jovens na mesma faixa etária vivendo nessa geração e levantaram simpatia ao corajosamente apontar as irracionalidades que acontecem no mundo de vez em quando.

Se você perguntar, “Por que tinha que ser o BTS?”, nós provavelmente podemos providenciar uma resposta do tipo, eles têm visuais reconfortantes, habilidade para se comunicar com fãs ao redor do mundo, performances intensas e várias outras coisas, mas, no final, nós avaliamos o desempenho do BTS até agora claramente se destaca de outros grupos que oferecem as típicas canções de amor ou raps auto-apreciativos e pretensiosos. Ainda que eles não tenham uma versão oficial de seus álbuns em inglês lançados nos Estados Unidos, sua mensagem que transcende o idioma e gênero amado pelo público local pode ser uma das razões na qual o BTS conseguiu conquistar os fãs americanos.

Mesmo durante o momento em que eles são parabenizados pelos fãs ao redor do mundo pela vitória no Billboard Music Awards, pessoas que vão subestimar e não entender as músicas e as apresentações do BTS ainda vão existir. Embora seja inútil comparar ídolos e artistas atualmente, alguns podem estar desesperadamente lutando para derrubar as conquistas do BTS como “grupo de ídolos”. Contudo, como os membros vêm dizendo pelos últimos quatro anos, eles vão continuar acreditando que é sua obrigação convencê-los, aos poucos, do contrário. Tudo o que podemos esperar daqui pra frente é o quão mais alto eles podem voar, destruindo o preconceito que alguns ainda mantém contra eles com músicas ainda melhores.

 

Fonte: Peachisoda e Newsen
Tradução pt-br: Vics


Publicado em 25.05.2017
[ARTIGO] Jin se torna viral durante o BBMAs 2017 por ser realmente bonito (novamente).
Jin chama atenção na Billboard Music Award

Ah, a extraordinária e árdua tarefa de ser o visual de um grupo de K-pop: Jin certamente sabe o quão difícil é o cometimento de ser, bem, tão malditamente bonito.

Na última noite, antes do BTS levar para casa a vitória histórica de Top Social Artist como o primeiro grupo coreano a ganhar um Billboard Music Award (parabéns novamente, garotos!), o grupo massivamente popular já estava causando uma agitação nas redes sociais — e no tapete vermelho. Mas houve um integrante em particular que fez com que tanto A.R.M.Y.s devotas quanto novas fãs sofressem uma síncope: Jin — não oficialmente nomeado agora como “o terceiro da esquerda”.

Mesmo sem nenhum conhecimento sobre o BTS, os telespectadores em casa rapidamente notaram Jin se destacando pelo seu visual no tapete vermelho, levando a centenas de tuítes apaixonados, todos destacando o mesmo integrante.

Essa não é nem mesmo a primeira vez que Jin causou pânico em uma cerimônia de premiação pela sua mera aparência. Dois anos atrás, no MelOn Music Awards, Jin se tornou conhecido como “garoto da porta do carro” por simplesmente ser bonito enquanto saía de um carro.

Novamente, são tempos difíceis para o Jin.

Você é um dos que desesperadamente busca descobrir quem o terceiro da esquerda é? Ou você já é uma A.R.M.Y., se divertindo com a súbita preocupação do oeste com o Jin? De qualquer forma, a sede do público não passou despercebida.

[TRAD] Eu não ficaria surpreso se “Um terceiro da esquerda” tornasse tendência em todo o mundo… impacto do Seokjin

https://twitter.com/dadaseok/status/866525477208502274

[TRAD] De “o cara da porta do carro” para “o terceiro da esquerda”, ele arrebatou as perucas novamente #BBMAs #BTS

[TRAD] “Quem é o terceiro do esquerda é fofo” seokjin kim: vocalista, dançarino, graduado em cinema, rei do visuais, o membro mais velho do BTS

 

[TRAD] De ‘o cara da porta do carro’ para ‘o terceiro da esquerda’ para ‘quem é o segundo cara’ Ele é Kim Seok Jin visual, vocalista, estilista e diretor de dança do BTS

[TRAD] Kim Seokjin, residente em ‘terceiro cara da esquerda’, meio período como #CaraDaPortaDoCarro, visual do topo das paradas BTS no resto do tempo.

 

https://twitter.com/WKJ92/status/866494788970962944

“O terceiro membro da esquerda” SEOKJIN é visuais em todos os lugares 💪 #Bangtan Sonyeondan #BTS #SejaSuaAsa #BBMAs #BTSBBMAs

 

Trad; BTSBR


Publicado em 25.05.2017
[ARTIGO] Como a vitória de BTS nos BBMAs prova que o k-pop pode competir e vingar em uma escala global
Vitoria do BTS mostra que o K-POP veio para ficar!

Os nomes Justin Bieber, Selena Gomez, Ariana Grande e Shawn Mendes são tão enraizados na cultura pop que dificilmente precisam ter seus sobrenomes mencionados para serem identificados por qualquer pessoa. Mesmo assim, todos os quatro nomes da casa foram vencidos por BTS no prêmio de Top Social Artist no Billboard Music Awards desse domingo. Embora o grupo coreano tenha conquistado a nomeação graças à sua enorme e comprometida presença nas redes sociais — que renderam a eles 25 semanas em primeiro lugar nas paradas da Billboard’s Social 50 até agora — e ganhado a honra votada pelos fãs graças à força daqueles que os apoiam, chamados carinhosamente de ARMY,  a vitória se relaciona com o poder e abrangência do k-pop globalmente.

A música pop coreana é feita com o sólido foco no consumo e popularidade em alta escala, visto nos vários gêneros e estilos de canto colocados em cada grupo repleto de integrantes especializados em cantar, fazer rap e dançar para resultar no supremo pacote do pop. E no mercado musical global onde o inglês é de longe o idioma mais comum para se ouvir música, é executado bem. Artistas de k-pop encontraram sucesso pela Asia por anos enquanto suas pegadas continuam crescendo na América graças a vendas maiores de álbuns, festivais maiores e mais datas de turnê. O fanatismo que vem com o k-pop também não é exclusivamente doméstico, com fãs ao redor do mundo traduzindo letras de música e entrevistas para suas línguas nativas e apoiando seus favoritos em todas as plataformas online possíveis. Isso levou à vitória de Rain na Time 100 Poll três vezes (superando a Beyoncé no caso mais recente em 2011), à nomeação de BIGBANG para o prêmio de Best Worldwide Act no MTV EMAs de 2011 (cortando a Britney Spears nessa honra), a Girls’ Generation ganhando o primeiro Video of the Year no Youtube Music Awards (também vencendo Bieber, junto com One Direction e Lady Gaga), e T-ara ganhando os últimos dois anos do anual Fan Army Face-Off da Billboard.com.

Indiscutivelmente, a noite de domingo confirmou que esse grupo de k-pop socialmente consciente trouxe esse fanatismo a outro nível. Não somente tiveram um ano absurdo de atividades sociais na mídia mostrando que eles podem reunir o mesmo nível de animação que os maiores pop stars do mundo, mas também podem provar coisas muito importantes nesse processo.

Quando Logan Paul e Lindsey Stirling anunciaram BTS como vencedores do Top Social Artist, as câmeras cortaram mostrando o septeto elegantemente vestido, exibindo uma mistura de roupas casuais e formais. O grupo aceitou o prêmio de forma humilde e animada com Rap Monster falando pelo grupo em inglês e jogou até mesmo um pouco de coreano no final. O discurso não foi esquisito ou inapropriado na enérgica arena — esta que parecia ter integrantes do ARMY em peso — que cobria o grupo de gritos de apoio. A premiação foi televisionada pela ABC, uma das maiores redes norte-americanas que certamente não está acostumada a exibir artistas coreanos. Mesmo assim, Rap Monster, Jimin, Suga, J-Hope, Jin, V e Jungkook se mostraram como qualquer outro artista mundialmente conhecido no palco, com a câmera flagrando até mesmo Miley Cyrus encantada pelos meninos.

BTS não conquistou a maior semana de vendas de um álbum de k-pop ou quase quebrou o Hot 100 por pura sorte. Sem dúvidas, o seu foco em questões sociais que são importantes para seu público — como saúde mental, política e experiências adolescentes — impactou tanto seus ouvintes que aqueles que os apoiam criaram um interesse que se compara facilmente a alguns dos maiores pop stars do mundo. Isso não passa despercebido por BTS, já que o grupo inteiro se certificou de que suas agendas estavam livres para provavelmente aceitar o prêmio e conhecer outros artistas, sempre elogiando seus fãs e aproveitando o máximo da experiência de uma premiação nos Estados Unidos.

Os BBMAs mostraram que algo maior está acontecendo com um grupo como o BTS e isso é uma verdadeira afirmação de como a tecnologia e as mídias sociais colocaram um dos artistas mais amados do mundo em um campo igual e sem barreiras linguísticas, deixando seus fãs ao redor do mundo provarem como são grandes em número. BTS está assumindo o que os artistas coreanos antes deles construíram e representando a cena com humildade, estabilidade e uma animação inegável. Embora BTS tenha sido o assunto mais popular dos BBMAs — pergunte ao Twitter — com uma atitude e aproximação entusiasmadas para com o evento e a indústria, quem sabe para onde eles (ou qualquer outro artista do k-pop) pode levar esse gênero caso a oportunidade seja dada.

 

 

Fonte: Billboard

trans eng-ptbr; gabriela @ btsbr


Publicado em 24.05.2017
[ARTIGO] Pessoas discutem representação asiática após vitória histórica do BTS no Billboard Music Awards.
A vitória do BTS no Billboard Music Awards gerou debate da representação [...]

Após algumas pessoas reduzirem o grupo para “esses asiáticos,” uma discussão sobre representação na mídia foi reavivada.

O grupo de K-Pop BTS venceu a categoria “Top Social Artist” do Billboard Music Awards no último domingo, 21 de maio, tornando-se o primeiro grupo do gênero à levar um Billboard Award para casa.

A vitória deles contou com o suporte extremamente leal de seus devotados fãs, chamados de ARMY.  A hashtag de votação para o grupo, “#BTSBBMAs,” foi postada mais de 300 milhões de vezes no Twitter.

“Ainda não podemos acreditar que estamos aqui no palco do Billboard Music Awards,” disse Rap Monster no discurso de vitória.

Imediatamente após a vitória do BTS, a mídia social revelou que uma boa parte dos telespectadores não conhecia o grupo. Alguns diminuíram o septeto para “esses asiáticos.”

[TRAD] “Quem são esses asiáticos!?”

[TRAD] “Quem são esses asiáticos com cabelos de tigela no #BBMAs”

A vitória do grupo realmente irritou alguns fãs de outros artistas pop que concorriam na mesma categoria que o BTS. “Sem querer ser racista, mas você não vê nenhum cantor ou banda americana participando de premiações coreanas, então, BTS por favor só volte para a Coréia,” uma pessoa escreveu.

https://twitter.com/blowmycherry/status/866472179201867776

[TRAD] “Kpop ainda é irrelevante, ninguém nos Estados Unidos vai escutar à uma música coreana só porque o BTS ganhou um prêmio”

As reações à vitória fez com que os fãs de K-Pop e do BTS virassem os olhos. Cheyenne Taveras-Ramirez, uma fã de 19 anos do grupo disse: “Os comentários racistas são os que me entristecem. Eu queria que as pessoas soubessem que o BTS é mais que apenas um grupo sul coreano, eles trabalharam muito pra chegar onde estão hoje.”

https://twitter.com/fentyschaelin/status/866426912192815104

[TRAD] “Quem é BTS e por que as pessoas gostam deles #BBMAs”

Outros simplesmente lembraram àqueles que estavam chateados com a vitória que “há um mundo inteiro fora dos Estados Unidos, por sinal,” como mostra o tweet abaixo:

[TRAD] “Esse é o BTS. Não a versão asiática do One Direction ou os irmãozinhos do PSY. Eles trabalharam duro para chegar até aqui e eu não poderia estar mais orgulhosa #BTSBBMAs”

Também inspirou diversas discussões sobre a representação asiática na indústria musical, mídia e cultura pop.

https://twitter.com/etherealfool/status/866479907387228161

[TRAD] “Ei é por isso que nós precisamos de representação asiática aqui, as pessoas não estão acostumadas a ver asiáticos talentosos sucederem na indústria musical”

Vida Saelee de 22 anos (@etherealfool) tirou print de alguns tweets que ela viu no domingo. “Definitivamente existe uma falta de representação asiática aqui nos EUA e eu acho que é isso que levou algumas pessoas a fazerem comentários racistas sobre o BTS. Eu sou asiática e foi difícil crescer sem ter muito uma pista sobre minha identidade já que simplesmente não há famosos asiáticos o suficiente aqui nos EUA para se ter de modelo.”

[TRAD] “Tão feliz que um grupo de kpop como o BTS pavimentou um novo caminho e abriu novas oportunidades para a representação asiática por aqui. Mídia social é uma poderosa ferramenta”

“Eles estabeleceram o objetivo,” Triet Minh Tran de 21 anos escreveu. E disse, como um ásio-americano, que a vitória no Billboard Awards foi como se fosse pessoal para ele.

[TRAD] “Vendo o BTS ganhar, eu quero ver mais reconhecimento e representação de asiáticos na música e na atuação. Eles estabeleceram o objetivo.”

“Sinto que muitos artistas orientais não são apreciados, sejam atores ou cantores. Eles estão na indústria, eles só não recebem reconhecimento ou oportunidades, então eles acabam por ficar em seus respectivos nichos. Espero que haja um despertar, e que mais oportunidades para asiáticos aspirantes na música ou na atuação sejam abertas.” Disse Triet.

Triet Minh Tran

“Eu sei que muitas pessoas não entendem a língua então a primeira reação é se fechar e não dar uma chance,” disse o jovem. Porém ele desafiou as pessoas a escutarem ao BTS. “Só dê uma chance, e se você não gostar não tem problema, você não gostou.” Foi como ele se tornou fã em 2015, ele disse.

[TRAD] “Me chame de dramático, mas eu nunca vou superar isso. Eu vivo para ver artistas asiáticos sendo reconhecidos pelo seu trabalho e talento. #BTSBBMAs #BBMAs”

O simples acontecimento serviu como uma nova esperança para artistas orientais aspirantes da música. “Eu costumava me sentir tão insegura e com medo já que não é um caminho profissional convencional, mas o BTS é a razão pela qual fui confiante o suficiente e escolhi continuar a seguir meus sonhos na música,” disse a jovem Anna Tamura de 17 anos. “Isso é enorme, não apenas para o K-Pop mas também para asiáticos em geral.”

[TRAD] “A vitória do BTS não é sobre ganhar aprovação ou reconhecimento de americanos, é sobre eles terem quebrado barreiras para asiáticos na indústria musical”

 

 

Fonte: BuzzFeed News
Trans eng-ptbr; Bia Rehm @ btsbr


Publicado em 16.04.2017
[NEWS] BTS ganha atenção da mídia nos Estados Unidos.
BTS ganhando atenção da mídia nos EUA. Confira!

O grupo Bangtan Boys está ganhando mais atenção da mídia nos Estados Unidos depois de finalizar com sucesso sua passagem pela América do Norte com a “2017 BTS Live Trilogy Episode III: The Wings Tour.”

A revista Billboard cobriu a grandeza do grupo e seu produtor Bang Si-hyuk, também conhecido como “Hitman Bang,” na edição do dia 15 de abril.

“Com mudança social em mente, o BTS está deixando a mais forte impressão nos ouvintes americanos desde o Psy,” dizia o artigo.

É raro a mídia musical dos Estados Unidos dar tanta cobertura para um artista coreano.

“Uma vez que o K-pop não é convencional, a Billboard normalmente (apenas) cobre sobre o assunto em artigos online,” diz um funcionário da firma de relações públicas PR Effective Immediately. “Esse artigo significa muito.”

A revista People, uma das revistas mais lidas nos EUA, também realizou uma entrevista com a boy band, que foi postada em seu site na terça-feira.

O grupo de sete integrantes foi nominado para o 2017 Billboard Music Awards como Melhor Artista das Redes Sociais, juntamente com Justin Bieber, Selena Gomez, Ariana Grande e Shawn Mendes.

O BTS vai para Bangkok iniciar sua turnê na Ásia nos dias 22 e 23 de abril, e então seguirá para Jakarta, Manila e Hong Kong.

Fonte; Kpop Herald

Trans eng-ptbr; Gio @ btsbr


Publicado em 04.04.2017
[NEWS] Mídia e celebridades norte-americanas se apaixonam pelo BTS
BTS chama atenção da mídia estadunidense!

Com todos os shows esgotados, BTS chama atenção da mídia estadunidense. O grupo alcançou um novo recorde no Billboard Social 50, onde ficou por mais de 18 semanas em primeiro lugar, e também quebrou o recorde de live mais assistida com a recente entrevista feita através da página do facebook da Billboard. Não é nenhuma surpresa que cantores pop como Charlie Puth, Kehlani e a atriz mirim Kylie Rogers já tenham confessado seu amor e admiração pelo trabalho dos sete integrantes.

Depois de uma bem-sucedida turnê sul-americana no início de março, o grupo está agora apresentando suas músicas em território norte-americano, onde tiveram uma curta estadia no México para a Kcon e estão atualmente quebrando novos recordes com seus cinco shows sold-out pelos EUA, confirmando mais uma vez a popularidade do movimento Hallyu.

BTS, que recentemente quebrou o recorde de Ariana Grande ao permanecer por 18 semanas consecutivas no topo do Billboard Social 50, o maior período já registrado desde a criação do chart, também tem se mostrado influente ao aparecer em mídias como The New York Times, FOX e iHeartradio, onde concederam entrevistas e falaram mais um pouco sobre seu trabalho e o sucesso de sua turnê, WINGS TOUR, pelos EUA.  Isso é mais um sinal de que o K-pop não é apenas mais uma tendência apreciada por alguns grupos em particular, mas sim um estilo que tem caído nas graças do público em geral.  
Fonte: Peachisoda
Trans eng-ptbr; Bia Rehm @ btsbr


Publicado em 29.03.2017
[NEWS] BTS começa sua turnê nos Estados Unidos com show esgotado no Prudential Center
BTS no palco do Prudential Center em Newark, Nova Jersey.

Apenas alguns poucos artistas de K-pop são capazes de lotar estádios nos Estados Unidos, mas na noite de quinta-feira (23 de março), o BTS fez o primeiro de dois shows esgotados no Prudential Center, em Newark, Nova Jersey.

Com seus ARMYs leais torcendo por eles do começo ao fim, o boy group de sete membros começou a parte americana da sua turnê mundial, 2017 BTS Live Trilogy Episode III: The Wings Tour, com um show de quase três horas de duração que incorporou os hits mais estridentes do grupo, bem como as músicas introspectivas do seu álbum que quebrou recordes, WINGS.

Os membros Rap Monster, SUGA, J-Hope, JungKook, V, Jimin e Jin abriram e fecharam o show com dois dos seus singles mais recentes, começando a noite com a incontrolável “Not Today” e, quase 30 músicas depois, se despedindo com a inspiradora “Spring Day”. Após a primeira música e sua coreografia de precisão militar, o septeto se direcionou para a plateia e expressou sua animação em se apresentar no país. Depois da eletrizante “Not Today” definir o tom, o grupo apresentou a música de inspiração sulista e com samples do Keb’ Mo’ “Am I Wrong”, e a favorita dos fãs com coreografia habilidosa, “Silver Spoon”, a única música que não está presente no álbum WINGS apresentada naquela noite.

Apesar de parecerem um pouco letárgicos – eles tinham voado do Brasil após dois shows e uma parada no México na semana anterior – o BTS mostrou sinceridade e vontade de agradar ao tentar se conectar com os fãs que os levaram a se tornar uns dos artistas mais populares do K-pop. Cada um dos membros se esforçou para falar inglês ao longo da noite, fazendo surgirem gritos de apoio por todo o estádio enquanto agradeciam ao seu fandom, os ARMYs, e deram aos fãs o crédito pela disparada do grupo ao topo da indústria musical coreana.

A porção inicial do show chegou ao fim com o hit enérgico de 2015, “DOPE”, antes de seguirem para o segmento que destacou os solos e as subdivisões do grupo (“Lost”, “BTS Cypher pt. 4”) no álbum WINGS. As demonstrações solitárias e reflexivas moveram a audiência, culminando em gritos receptivos de “nós te amamos” durante a música “Reflection”, do Rap Monster. (Nem ele nem SUGA apresentaram qualquer música presente nas suas fervorosas mixtapes ou outros projetos separados do resto do grupo.) Embora terem sido muitos os momentos memoráveis – Jin sendo erguido em plataformas enquanto cantava sobre ser incapaz de voar durante “Awake”, SUGA tendo o apoio de uma orquestra e tocando o piano enquanto fazia rap sobre como o instrumento é seu “First Love”* – e algumas inconsistências no áudio, quando J-Hope desenvolveu seu segmento com o alegre e cheio de elementos de coral ode à sua “MAMA”, a audiência estava pronta para ver todos os sete juntos novamente.

O BTS se reuniu com a bombástica “Fire” antes de fazer uma pausa para conversar com a plateia mais uma vez. O grupo continuou com um medley de algumas de suas músicas mais antigas, incluindo a faixa de debut “No More Dream”, para evocar uma jornada sônica ao passado que Jin mais tarde comparou a um “foguete através da história do BTS”.

Após uma interpretação divertida de “21st Century Girl” que levou o BTS para fora do palco em uma fila de conga, a primeira noite no Prudential Center começou a desacelerar com J-Hope voltando sozinho para apresentar a dança de “Intro: Boys Meets Evil” antes do grupo se envolver na performance dinâmica de “Blood Sweat and Tears”.

Quando eles deixaram o palco após garantir para a plateia que tinham apresentado sua “última” música (“Outro: Wings”) da noite, fãs ao longo do estádio colocaram sacolas plásticas coloridas por cima de seus light sticks, criando um efeito arco-íris por todo o Prudential Center, esperando pelo bis. Com o sucesso do primeiro evento coordenado por fãs dessa magnitude nos Estados Unidos, o BTS ARMY provou em primeira mão o tipo de apoio que ajudou o BTS a chegar no Top 40 da Billboard 200 e no Top 10 da parada de singles do iTunes.

https://twitter.com/TamarWrites/status/845138267494277120

Ao voltarem para o palco para apresentar suas duas últimas músicas (“2! 3! (Still There Will Be Better Days)” e “Spring Day”), os membros do BTS demonstraram choque e encanto com a visível demonstração de amor que receberam de seus fãs. Rap Monster tomou a oportunidade para agradecer aos fãs pelas colocações impressionantes do grupo nas paradas americanas, declarando que foi graças ao esforço dos seus ARMYs: “Vocês fizeram isso por nós”, ele disse à plateia que gritava. “[A] glória é toda de vocês”.

A primeira noite no Prudential Center foi seguida de outro show na sexta-feira. O BTS vai para Chicago e Los Angeles, mais tarde esta semana.

N/T: *A tradução do título “First Love” significa, literalmente, primeiro amor.

Fonte; Billboard
Trad eng-ptbr; nalu @ btsbr


Publicado em 06.03.2017
[NEWS] Três razões especiais para a crescente popularidade do BTS
Confira as razões para o enorme sucesso do BTS!

O sucesso global do BTS é um caso raro para um grupo que não vem de uma das três grandes agências – S.M. Entertainment, YG Entertainment e JYP Entertainment.

A gravadora do grupo pode parecer pequena, mas seu motor é poderoso o suficiente para impulsionar o sucesso do grupo na Ásia e em muitas outras partes do mundo, cativando milhões de fãs de K-pop.

A agência do BTS, BigHit Entertainment, é comandada pelo ex produtor-chefe da JYP Entertainment, Bang Shi-hyuk, que esteve por trás da criação de alguns hits monumentais do K-pop, como “Sky Blue Balloon” (2000), do g.o.d; “Bad Guy” (2002), do Rain, e “Can’t Let You Go Even If I Die” (2010), do 2AM.

Bang Shi-hyuk é a figura paterna musical do BTS. Ele apresenta cuidadosamente as ideias para as músicas e atividades do grupo enquanto, ao mesmo tempo, se mantém aberto às opiniões dos artistas quanto às direções da produção. A atenciosidade, que difere do microgerenciamento que outras empresas de entretenimento preferem, é o que os críticos consideram como o maior motivo por trás do sucesso desse grupo desfavorecido.

(Bang Shi-hyuk)

O BTS fez seu debut em 2013 sem muito estardalhaço, mas desde então conquistou títulos sem precedentes para um artista de K-pop no cenário global. Entre grupos de K-pop, a banda é a primeira a chegar ao topo das paradas do iTunes em 26 países, a primeira a ser reconhecida na parada da Billboard 200 com quatro álbuns consecutivos e a primeira a receber mais de 10 milhões de visualizações em um vídeo do YouTube em menos de 24 horas.

De acordo com os rankings lançados pela Billboard para a semana de 4 de março, o álbum mais recente do BTS, WINGS: You Never Walk Alone, ficou em 61º lugar na lista da Billboard 200, colocando o grupo ao lado de cantores como Adele e John Legend. Anteriormente, em dezembro de 2015, The Most Beautiful Moment in Life Pt. 2 ficou em 171º lugar; em maio de 2016, The Most Beautiful Moment in Life: Young Forever ficou em 107º lugar e, em outubro de 2016, WINGS alcançou o 26º lugar.

1. Talento Puro

O BTS possui talento puro. A banda não é somente formada por homens convencionalmente bonitos, mas cada integrante do grupo é capaz de fazer fortes apresentações solo com êxito.

O último show da da banda em Seul nos dias 18 e 19 de fevereiro provou esse ponto: a cada integrante do BTS foi atribuída uma apresentação solo do álbum mais recente deles. O resultado foi um um palco saturado com sete estilos únicos, que animaram o show e deram ao BTS crédito como um grupo de legítimos músicos.


O grupo multitalentoso também escreve e produz suas próprias músicas. Para o álbum WINGS, o líder Rap Monster e J-Hope participaram escrevendo letras e produzindo a música para “Boy Meets Evil” e “Blood, Sweat & Tears”; Suga participou escrevendo “Blood, Sweat & Tears” e “First Love”; Jimin ajudou com “Lie”, e V, com “Stigma”.

Ao se envolverem na produção, o BTS lança músicas originais que impressionam com sua identidade única, diferente das narrativas genéricas que frequentemente saturam o K-pop.

Os sete cantores do BTS são também ótimos dançarinos que possuem domínio das coreografias sincronizadas, icônicas dos artistas de K-pop. Confira o clipe de “Dope” e veja alguns passos intensos.

Quem quer que esteja dirigindo os vídeos para o BTS precisa de um prêmio. O clipe de “Not Today” atingiu mais de 10 milhões de visualizações no YouTube em menos de 24 horas. Para sermos bem precisos, após o seu lançamento, o vídeo conquistou 10,293,859 visualizações em 21 horas e 38 minutos.

2.Presença ativa em redes sociais

O BTS é informal frente às câmeras. Os integrantes não têm medo de falar diretamente com os fãs e também não veem problema em mostrar seu lado desleixado “natural”. Os fãs gostam muito de ver as estrelas agindo como garotos comuns.

No K-pop, mesmo entre as estrelas mais famosas, muitos não falam tanto em ambientes públicos com medo que algo dito possa lhes trazer problemas. É possível que também não sejam bons em falar de improviso. O resultado é uma grande quantidade de estrelas bonitas, mas sem cor, altamente dependentes da imagem imaculada montada por suas empresas de entretenimento.

Os meninos do BTS, em contraste, mostram suas características com o uso extensivo de redes sociais. Muitos fãs internacionais dizem terem se deparado com o grupo pela primeira vez através do projeto original de entretenimento, os “Bangtan Bomb”, episódios que são exibidos regularmente no canal do grupo no YouTube.

A banda também possui uma conta no Twitter que é coletivamente usada por todos os integrantes. O BTS posta fotos intencionalmente ridículas de cada um para o fã clube, Army, para provocar risadas.

3. Um exército de fãs*

O BTS tem fãs solícitos que fazem questão de ajudar o grupo a ir cada vez melhor nos charts e premiações.

O fã clube tem o nome de ARMY como em referência ao vínculo perpétuo com os Bangtan Boys. Bangtan significa à prova de balas em coreano, e ARMY, exército em inglês.

Os ARMYs fazem stream sem parar nos charts online, ajudando seus ídolos a ganhar reconhecimento e criar terreno para prêmios.

Os participantes do fã clube abertamente aconselham uns aos outros a deixar seus telefones no mudo e fazer stream das músicas do BTS durante o dia, e até mesmo enquanto dormem.

Para se juntar ao feroz grupo de apoiadores oficias, os fãs têm que se registrar no cafe online dos ARMYs e fazer testes que provam seu conhecimento sobre o BTS. Se passarem no teste, o cafe permite que sejam elegíveis para concorrer a um lugar na escolha anual de um grupo exclusivo para essa rede social.

Membros do fã clube oficial têm o privilégio de saber primeiro sobre as atividades do BTS e conhecer o grupo em eventos.

N/T: *No original, “an Army of fans”; trocadilho com o nome do fandom do BTS, ARMY que, em inglês, significa exército.

 

Fonte; KpopHerald
Trans eng-ptbr; nalu @ btsbr