btsbr.co.vu/archive & btsbr.wordpress.com
SITE: Bangtan Brasil - Fã Base
VERSÃO: 1.4 - SPEAK YOURSELF
DESDE: 29.03.2013
VISITAS: 5.272.752 ARMYs
Bulletproof Boy Scouts (em coreano: 방탄소년단) é um grupo masculino sul coreano de hip-hop formado pela Big Hit Entertainment. Geralmente conhecidos como BTS, são também chamados de Bangtan ou Bangtan Boys. Eles estrearam em 13 de junho de 2013 com sua... LEIA MAIS
SEJA BEM VINDO À BANGTAN BRASIL, A PRIMEIRA E MAIOR FÃ BASE BRASILEIRA DO BTS. FEITA DE FÃ PARA FÃ!

Tag: bts

Publicado em 02.10.2018
BTS x VT Cosmetics
A marca liberou o teaser promocional para sua nova campanha com o grupo

Foi divulgado um vídeo teaser da campanha do BTS em parceria com a VT Cosmetics.


Publicado em 02.10.2018
[TWITTER] 01.10.18 – BTS_twt
Tweets postados por @bts_twt no dia 01.10.18

[JungKook]

[TRAD] G.C.F em Newark versão VHS

[V]

[RM]

Trans eng-ptbr; Jojo Viola @ BTSBR

 

 


Publicado em 01.10.2018
[BANGTAN BOMB] JK faz seu próprio penteado
BANGTAN BOMB postado no canal BANGTANTV no dia 01.10.18


Publicado em 01.10.2018
[TWITTER] 30.09.18 – BTS_twt
Tweets postados por @BTS_twt e @BTS_bighit no dia 30.09.18

[SUGA]

 

[TRAD] Boa noite

[J-HOPE]

 

[TRAD] HANGSANG* Amo vocês 💓😚🌟

(*항상/Hangsang significa “sempre” e também é uma referência à “항상 (HANGSANG) Feat. Supreme Boi”, uma das faixas de sua mixtape, “Hope World”.)

[V]

 

[JUNGKOOK]

 

[TRAD] Jimin, o que você está fazendo?

[JIMIN]

 

[TRAD] Sim, JungKook, é bom te ver, você está bem?
#JIMIN
#Kkook

[JUNGKOOK]

 

[TRAD] De verdade, porque está me ligando quando está bem ao meu lado? Eu preferiria que você não me ligasse para esse tipo de coisa, Jimin-ssi.

[BTS_BIGHIT]

 

[TRAD] [BangtanHoje] Obrigado, Newark! Obrigada por fazer esse show feliz. Vamos nos ver novamente 💜 #SegundoShowEmNewark
Banner: Os ARMYs são a flor que cresce na sua Magic Shop

Trans ko-eng; bts_trans
Trans eng-ptbr; Jojo Viola @ BTSBR


Publicado em 30.09.2018
BTS confirmado no The Graham Norton Show!
O grupo vai participar do maior talkshow do Reino Unido

O BTS vai se apresentar no talkshow britânico de comédia mais famoso do Reino Unido, “The Graham Norton Show”!

O programa vai ao ar no dia 12 de outubro, e o BTS vai apresentar seu grande sucesso “IDOL”. Além do grupo, o episódio conta com a participação de Whoopi Goldberg, Jamie Dornan, Rosamunde Pike e Harry Connick Jr.

O BTS fará dois shows em Londres, com a esgotada “BTS World Tour: Love Yourself” nos dias 9 e 10 de outubro.

Fonte: Soompi
Trans eng-ptbr; beccs @ btsbr


Publicado em 30.09.2018
Setembro Amarelo: BTS e a importância do diálogo e conscientização
Ensinamentos sobre saúde mental que o BTS nos trouxe ao longo dos anos

10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio, e para conscientização da causa separamos alguns ensinamentos que o BTS nos trouxe ao longo da carreira.

No Brasil, desde 2015, através do Centro de Valorização da Vida, Conselho Federal de Medicina e Associação Brasileira de Psiquiatria, o Setembro Amarelo tem como objetivo educar as pessoas trazendo um diálogo sobre o assunto, acolhendo àqueles em situação de risco para que saibam que não estão sozinhos e conscientizando a sociedade com intuito de salvar vidas.

O assunto, que ainda é um tabu, deve ser tratado com cuidado, comprometimento e sensibilidade, por isso a OMS (Organização Mundial da Saúde) desaconselha exposições sobre métodos e processos, mas aprova a conversa sobre o tema com o objetivo de redução das pessoas em situações vulneráveis e entendimento social da complexidade que envolve o ato.

O suicídio possui uma complexa gama de motivações que são estudadas por diversas áreas do conhecimento, mas está quase sempre relacionado à uma condição de saúde mental (como transtornos de personalidade, depressão e muitos outros), por isso a importância de dialogar sobre o assunto, para que, se você alguma vez já pensou nisso ou conhece pessoas em situação de risco, saiba que com auxílio profissional as saídas e soluções que podem não ser visíveis se tornarão ao longo do tempo com ajuda, e com isso os problemas serão combatidos.

Imagem relacionada

O BTS é conhecido exatamente por tratar de assuntos marginalizados por muitos e que são de grande relevância social. Desde o início da carreira tem sido desta forma, e não seria diferente sobre este tema. O grupo já se manifestou algumas vezes sobre a importância da saúde mental em músicas como “Tomorrow” por exemplo, onde cantam sobre passar por um período sombrio da vida e almejar pelo amanhã: “Porque o amanhecer, logo antes do nascer do sol, é o mais escuro / Onde quer que você esteja agora, você está fazendo apenas uma pausa / Não desista, você sabe”.  

Em “Always” lançada no primeiro dia de 2017, RM fala sobre a sensação de impotência derivada de se sentir incompreendido pelo mundo e irreconhecível para si mesmo. Em uma live realizada alguns dias após o lançamento da música solo, RM fala que escreveu a música em um período sombrio e que já não se sentia mais daquela maneira.

SUGA, em seu trabalho solo Agust D, também reflete sobre depressão e transtorno obsessivo compulsivo (TOC); em “The Last” o rapper reforça a importância de buscar ajuda, relata todos os seus problemas vividos na juventude, e tranquiliza aqueles ao seu redor ao proclamar com esperança sua melhora: “Meus fãs, meus amigos, minha família, espero que não se preocupem porque eu realmente estou bem agora.”

Em 2017, SUGA também se manifestou sobre a importância da empatia e de buscar ajuda em entrevista com a Billboard. “Eu realmente quero dizer que todos no mundo estão solitários e tristes, e se nós tomarmos consciência de que todos estão passando por sofrimentos e solidão, espero que possamos criar um movimento onde seja possível pedir ajuda, e dizer que as coisas estão difíceis quando eles ficarem pesadas, dizer que sentimos falta de alguém quando sentimos saudades.”

Resultado de imagem para 2! 3! bts gif

A importância de não estar sozinho em situações e momentos ruins é a mensagem principal de “2! 3!”, no refrão da música que foi lançada especialmente para os ARMYs, o grupo pede para que a esperança de dias melhores não se perca, e que por estarmos todos juntos é possível sorrir em meio às dores.

Quebrar com os estigmas e preconceitos é o primeiro passo para uma mudança social, é necessário ter empatia, sair da zona de conforto, olhar ao nosso redor e enxergar as dificuldades que muitas vezes limitam os outros, tentar oferecer nosso apoio e, principalmente, não compactuar com aqueles que disseminam discursos errôneos e prejudiciais sobre assuntos e temas tão delicados.

Se você está em alguma situação que não parece ter fim ou solução, saiba que você nunca está sozinho e que existem formas de melhorar e profissionais qualificados para te ajudar.

Peça ajuda, fale com alguém que confie e conte para essa pessoa as suas aflições, ou então ligue 188 ou 141 e converse com voluntários do Centro de Valorização da Vida, eles estão lá para te ajudar! (O atendimento é anônimo e gratuito).

Busque também ajuda especializada, muitas universidades, centros de estudo e projetos voluntários oferecem tratamento psicológico gratuito, para aqueles que não tem acesso ao tratamento privado.  

E se conhece alguém que já deu sinais de alerta procure escutar aquela pessoa, seja um ouvinte e evite dar ‘opiniões’ e ‘soluções’ o melhor caminho é oferecer apoio, incentive-a a buscar ajuda profissional. Conversar com amigos e parentes é importante, mas é com o apoio profissional que se dará início à um tratamento para a melhora do quadro de saúde. E após o início do tratamento mantenha contato, com uma mente aberta e livre de preconceitos apoie a pessoa no tratamento de sua doença.

Escrito por Bia Rehm @ BTSBR


Publicado em 29.09.2018
[TWITTER] 28.09.18 – BTS_twt
Tweets postados por @BTS_twt e @BTS_bighit no dia 28.09.18

[JIMIN]

[TRAD] Finalmente postando 😁

#JIMIN

#BonVoyage

#EP1

 

[TRAD] 😎

#JIMIN

#BonVoyage

#EP1

[JIN]

[RM]

[TRAD] Muito divertido 🍯

N/T: Em coreano, existe uma expressão “노잼” (no jam) que significa “não ser divertido/legal.” Nessa legenda, RM fez uma brincadeira com essa expressão, também se referindo a uma vez que disse que Jimin era “No Jam.”

[BTS_bighit]

[TRAD]  [BangtanHoje] Obrigado, Newark! Quando estamos juntos, qualquer lugar é utopia 🌈✨ #PrimeiroShowdeNewark

Trans ko-ptbr/eng-ptbr; fer zloccowick @ btsbr


Publicado em 28.09.2018
Como abraçar a cultura coreana ajudou o BTS a alcançar o sucesso
O uso de elementos tradicionais coreanos é uma das qualidades do grupo

Apesar do K-pop vir sendo um fenômeno internacional por duas décadas, debates sobre a definição precisa do termo “K-pop” ainda estão com tudo. É difícil de resolver porque não é sempre que está claro o que é tão coreano sobre o K-pop. K-pop é K-pop porque é música apresentada (em sua maioria) por artistas coreanos, mas e além disso? Com “IDOL”, a faixa-título do álbum LOVE YOURSELF: 結 ‘Answer’, o BTS meio que dá uma resposta. Mesmo que seja exagero chamar “IDOL” de música tradicional coreana, a faixa faz amplo uso do chuimsae [추임새], uma técnica que usa de exclamações extras entre as letras para atrair a atenção da plateia (à exemplo de “얼쑤 좋다” e “지화자 좋다” no refrão de “IDOL”). Ademais, o MV de “IDOL” traz construções tradicionais da Coreia, onde os rapazes dançam em trajes de seda tipicamente coreanos.

O uso que o BTS faz de elementos tradicionais coreanos, tanto em suas músicas quanto em suas apresentações visuais, é, na verdade, uma qualidade rara. Desde que o K-pop começou sua expansão no começo dos anos 2000, ele vem tentando se misturar no mercado local. Para esse fim, a primeira geração dos artistas internacionais de K-pop não fizeram qualquer esforço particular para apelar a sua “coreanisse” para expandir seu alcance. No mercado internacional, esses artistas lançavam músicas em inglês, chinês ou japonês, falavam na língua local em entrevistas e buscavam suas músicas com os principais compositores da Suécia. Essa foi uma mudança clara dos métodos usados por Seo Taiji and Boys [서태지와 아이들] — grupo largamente conhecido como o manancial do K-pop moderno, que fez questão de incorporar aspectos da cultura coreana em suas músicas. “Hayeoga [하여가]”, o título da canção do segundo álbum do grupo, de 1993, é uma mistura de rap jamaicano, heavy metal e música tradicional da Coreia. A faixa-título do álbum seguinte, “Dreaming of Balhae [발해를 꿈꾸며]”, é uma música que clama pela unificação na Península Coreana, com um MV gravado na antiga sede do Partido Comunista, próxima da zona desmilitarizada.

O esforço para infusionar as tradições culturais e musicais coreanas na música pop ocidental vem desde a origem da música pop na Coreia. Em 1974, Shin Jung-hyeon [신중현], o “Padrinho do Rock”, compôs a icônica “Beauty [미인]” na escala pentatônica coreana. O famoso guitarrista Kim Su-cheol [김수철] foi o primeiro artista a buscar a fusão entre pop ocidental e coreano de forma consistente e sistemática, a ponto de se tornar popular o suficiente fora da Coreia para apresentar sua música nas Olimpíadas de Seul de 1988 e na Copa do Mundo FIFA de 2002, no Japão e na Coreia do Sul. A tendência continua até os dias de hoje, com bandas indies coreanas como a Second Moon e Jambinai, cujas versões exuberantes e modernizadas de músicas tradicionais da Coreia foram apresentadas na cerimônia de encerramento das Olímpiadas de Pyeongchang em 2018.

Entretanto, os grupos idol e artistas de hip-hop da Coreia têm sido relutantes em incorporar sua herança coreana em suas músicas, os primeiros devido às preocupações com a viabilidade comercial no mercado internacional, os últimos por causa da preocupação em apresentar um hip-hop “autêntico”, que é talhado mais próximo daquilo que o público americano reconhece. Ainda assim, eles fizeram tentativas esporádicas de introduzir a cultura tradicional em suas músicas. Em “Shangri-La [도원경]”, o grupo idol VIXX fez uso do instrumento gayageum [가야금] no instrumental da canção e incluiu acessórios e roupas coreanas no MV. O rapper Nuck [넋업샨] também explorou um casamento entre cultura coreana e hip-hop. Sua música, “Bulhandangga [불한당가]”, foi uma brilhante versão moderna de jeokbyeokga [적벽가], um dos números clássicos do pansori [판소리], que é uma forma de canto narrativo.

Contudo, essas tentativas (exceto, talvez, a do VIXX) não foram largamente ouvidas foram do mercado doméstico da Coreia. A incorporação da cultura coreana feita pelo BTS vem em um contexto diferente: eles já são um grupo internacional imensamente popular enfrentando um público global. “IDOL” veio depois do BTS já ter chegado ao primeiro lugar da Billboard 200. Num ponto onde a maior parte dos artistas de K-pop internacionais tentariam se misturar ainda mais no mercado local — como BoA fez após chegar ao topo da Oricon Singles do Japão em 2003 —, o BTS escolheu dobrar a intensidade da sua “coreanisse”. O grupo pareceu se dar conta que não poderiam ser como os idols pré-existentes, nem poderiam ser como boy bands americanas.

Anterior ao sucesso imenso do BTS nos Estados Unidos, parecia que a localização estratégica do K-pop encontrava um impedimento no mercado estadunidense. Muito depois do K-pop já ter se tornado uma sensação internacional no restante do mundo, as estações de rádios dos Estados Unidos resistiam em tocar K-pop apesar das tentativas de agradar especificamente ao mercado americano. O BTS foi capaz de ir além da onde seus conterrâneos foram ao tomar um caminho diferente: apresentando uma representação autêntica de si mesmos, que cresceram com seus fãs. Entretanto, eles continuam enfrentando nos Estados Unidos algumas barreiras estruturais que os impedem de receber o reconhecimento oficial que merecem. O BTS não recebeu uma indicação sequer ao Grammy no final de 2017. Jeff Benjamin, colunista de K-pop para a Billboard, sugeriu que o grupo poderia buscar por um Grammy na categoria “World Music” — uma ideia empreendedora, mas não totalmente apropriada à boy band mais popular dos Estados Unidos. Nesse ambiente desfavorável, a guinada do BTS aos elementos  coreanos pode ser o caminho certo para superar as limitações da estratégia de localização (na verdade, até as partes que não são em coreano em “IDOL” não são, em nenhum momento, ocidentais uma vez que o grupo se apoiou muito nas batidas gqom, originárias da África do Sul). É, também, uma demonstração de confiança na sua identidade coreana, independentemente do que os comitês de premiações podem pensar.

Comparando os MVs de “Hayego”, de Seo Taiji, e de “IDOL” dá um vislumbre sobre a evolução do relacionamento entre o K-pop e a cultura pop americana nos últimos 25 anos. O MV de “Hayeoga” começa em uma balada de Itaewon, um distrito multicultural de Seul, com um grupo de afro-americanos mostrando seus movimentos de dança para os locais. Um coreano, se sentindo ameaçado pelos dançarinos, pede ajuda ao Seo Taiji and Boys; o grupo exibe seus próprios movimentos, ganhando o respeito dos dançarinos. Em contraste, o MV de “IDOL” traz a participação de Nicki Minaj. Mas o BTS não procura a aprovação de Nicki, nem ela está lá para ensinar algo ao BTS. Eles estão, no entanto, participando de uma troca, com Minaj tomando emprestado elementos estéticos coreanos em seu segmento ao apresentar seus versos em hangul ao fundo. Ainda que Seo Taiji tenha, corajosamente, misturado a música coreana com o pop ocidental, ele reconheceu, em 1993, que a indústria musical dos Estados Unidos era o guardião final do sucesso global. Em 2018, o BTS é a maior boy band e esse já não é mais o caso.

Fonte: Vulture
Trans eng-ptbr; nalu @ btsbr


Publicado em 28.09.2018
[BANGTAN BOMB] Hora do exercício de JK & JIN
BANGTAN BOMB postado no canal BANGTANTV no dia 28.09.18


Publicado em 28.09.2018
A ONU foi apenas mais uma parada no caminho do BTS para dominação mundial
RM e a convicção de um idol que sabe fazer com que as pessoas o escutem

Com palavras que poderiam muito bem ter sido cantadas aos fãs que fizeram do grupo de K-pop uma sensação mundial, Kim Namjoon falou em um tipo de palco muito diferente, para uma audiência mais diferente ainda.

“Eu estou começando a me amar, gradualmente, de pouco em pouco,” o líder do BTS, também conhecido como RM, disse na ONU essa semana. RM falou ontem (24 de Setembro) em Nova Iorque, como representante do septeto no lançamento da iniciativa global Generation Unlimited, que foca na educação de jovens e empoderamento. BTS é o primeiro grupo de K-pop a se apresentar na Assembléia Geral da ONU, e suas palavras giraram em torno do tema de amor próprio que caracteriza seu trabalho. Mas love yourself não foi a única mensagem passada por BTS.

Discursar na Assembleia Geral da ONU ajuda a firmar o alcance do septeto, e foi uma amostra do crescente uso do K-pop como meio de soft power pela Coreia do Sul. Foi apenas mais um recorde quebrado pelo grupo que alcançou sucesso astronômico na América do Norte, especialmente nos Estados Unidos. O septeto foi o primeiro grupo de K-pop a levar para casa um Billboard Music Awards em 2017, os primeiros a se apresentarem na mesma premiação em 2018, e os primeiros artistas coreanos a ter um álbum número 1 na Billboard 200. No próximo mês, também será a primeira vez que se apresentam em um estádio nos EUA.

“No Oeste, onde sentimos falta dessa autenticidade por parte dos artistas, BTS realmente é a epítome do que é ser autêntico,” Jeff Benjamin, o colunista de K-pop da Billboard disse.

IMG 01

“Qual é o seu nome? O que te alegra e o que faz o seu coração bater? Me conte sua história,” RM perguntou na ONU. Demonstrações desse tipo de curiosidade e engajamento emocional foi o que levou BTS a terem fãs tão apaixonados – e uma média de mais de 250.000 retweets toda vez que postam. (Os fãs de BTS foram acusados de falsificar reproduções no Spotify para melhorar a posição do grupo nos rankings musicais, e isso em si só já é um ato de extrema lealdade.)

Apesar disso, também há um lado mais triste: Mesmo sendo incansáveis na promoção do amor próprio, eles trabalham em uma indústria que super analisa as aparências e apresentações ao ponto que passa a ser doentio. Cada integrante do BTS é esteticamente perfeito em um país onde é comum que pessoas façam cirurgias plásticas para ficarem mais parecidas aos Idols coreanos. O processo de se tornar um artista é duro, e chega ao ponto de algumas “fábricas de estrelas” recrutarem clientes de até mesmo 6 anos. No ano passado, Kim Jonghyun, do grupo SHINee deixou uma nota de suicídio falando do tanto que essas pressões o afetavam.

O contexto faz com que a mensagem deixada por BTS na ONU seja ainda mais precisa. “Eu tenho muitos erros, e tenho mais medos ainda, mas eu vou me cuidar o máximo que eu puder,” disse RM para uma sala cheia de representantes internacionais – com a convicção de um idol que sabe fazer com que as pessoas o escutem.

Fonte: quartzy
Trans eng-ptbr; fer zloccowick @ btsbr


Publicado em 28.09.2018
🎥 BTS x Puma Basket – Making Film
Confira o vídeo promocional divulgado pela marca em sua página oficial

A Puma Korea divulgou em sua página oficial do Facebook o making film com momentos durante as gravações do material para a campanha PUMA BASKET – Made by BTS.

 


Publicado em 28.09.2018
[V APP] 28.09.18 – JungKook
Assista à live aconchegante do maknae durante a madrugada antes de dormir!