btsbr.co.vu/archive & btsbr.wordpress.com
SITE: Bangtan Brasil - Fã Base
VERSÃO: 1.4 - SPEAK YOURSELF
DESDE: 29.03.2013
VISITAS: 5.272.752 ARMYs
Bulletproof Boy Scouts (em coreano: 방탄소년단) é um grupo masculino sul coreano de hip-hop formado pela Big Hit Entertainment. Geralmente conhecidos como BTS, são também chamados de Bangtan ou Bangtan Boys. Eles estrearam em 13 de junho de 2013 com sua... LEIA MAIS
SEJA BEM VINDO À BANGTAN BRASIL, A PRIMEIRA E MAIOR FÃ BASE BRASILEIRA DO BTS. FEITA DE FÃ PARA FÃ!

Tag: bts

Publicado em 09.09.2018
[V APP] 09.09.18 – J-Hope
Assista a live do rapper pós-show com participação de outros integrantes


Publicado em 09.09.2018
“IDOL” conquista o seu quinto troféu em programas musicais!
Pela segunda semana consecutiva, o grupo conquista o 1º lugar no Inkigayo

“IDOL” conquistou a sua quinta vitória hoje ao ganhar, por duas semanas seguidas, o troféu do Inkigayo da SBS. Mesmo com o curto período de divulgação em programas musicais na Coreia do Sul, a faixa-título para o álbum Love Yourself: Answer se mantém firme com pontuações altas que somam vendas, streaming e votação do público.

Watch: BTS Takes 5th Win For “IDOL” On “Inkigayo”; Performances By Shinhwa, Sunmi, And More

A hashtag #IDOL5thWin esteve entre os assuntos mais comentados do Twitter mundialmente neste domingo.

cr; ARMY_Reminder

 


Publicado em 09.09.2018
Love Yourself: como o BTS está reescrevendo os livros de História
Retratando a realidade através da ficção e da música no encerramento histórico

Nesse ponto, seria estranho se você ainda não tivesse ouvido falar do grupo coreano de pop/hip-hop BTS (com os rappers SUGA, RM e J-Hope e os vocalistas V, Jimin, Jin e JungKook).
Eles dominam a internet, graças aos seus fãs conhecidos como ARMYs, mas seu poder no ocidente é tangível, percebendo-se desde seus shows lotados em arenas nos Estados Unidos em 2016. Em 2018, o grupo tornou-se um “rolo-compressor” – Love Yourself: Tear chegou ao 1º lugar nos charts de álbuns nos EUA em maio, e todas as mais de trinta datas de sua turnê mundial, incluindo duas noites na O2 Arena em Londres, tiveram seus ingressos esgotados em minutos.

Com a trilogia Love Yourself completa (Her, Tear e o recém-lançado Answer) sendo a plataforma que levou o BTS a um sucesso sem precedentes, olhamos para os momentos mais memoráveis da série e sua trajetória para a dominação do pop.

Primeiramente, vale a pena relembrarmos os seus anos iniciais (2013/14), nos quais o BTS lutou para ascender nos rankings do K-Pop. No começo, no entanto, suas músicas falavam de forma direta sobre juventude e ambição. Além disso, eles criaram um grande conteúdo no YouTube sobre o que acontecia por trás das câmeras, mostrando o lado despretensioso, sociável e vulnerável de cada membro. Sem essa autenticidade, a proposta visual de um conto sobre juventude e amadurecimento que acompanhou os dois álbuns da série The Most Beautiful Moment in Life em 2015 – nos quais eles modernizaram seu estilo, bem como seu som, adicionando sintetizadores a uma vibe R&B/hip-hop – teria parecido rasa e forçada.

Foi uma combinação de som e história (pelas quais cada membro adotou um passado obscuro fictício) que os destacou, de forma que o BTS ultrapassou os limites do K-Pop para seguir seu novo caminho. Essa história – cujo protagonista é o Jin, um viajante do tempo, que tenta modificar seus destinos problemáticos – expandiu-se através do álbum WINGS de 2016 e a saga Love Yourself em 2017/18, criando uma jornada sinuosa de descobertas sobre si inspiradas pela literatura (Hesse, Le Guin, Orwell, Doty, Murakami), arte renascentista e filosofia (Nietzsche, Jung).

 

 

Sobre o Her, SUGA disse no lançamento em setembro de 2017, “há muitas canções que expressam o momento em que você se apaixona”. O amor, entretanto, tem muitos lados. “Pied Piper”, uma alusão viva ao Daft Punk, fala sobre um amor obsessivo, onde eles repreendem os fãs por negligenciarem o estudo e o trabalho enquanto sentem o prazer de serem os culpados (“Eu estou aqui para te salvar, Eu estou aqui para te destruir”).

Na doce “Dimple”, JungKook canta “Esse sorriso é mais que cruel… Eu quero cair e morrer nele, Eu quero me afogar nele, Para mim, você é um lago”; suas palavras oscilando entre adoração e loucura. Essa ambiguidade intrigante também aparece na abertura do álbum – “Intro: Serendipity” de Jimin, com tons de encanto e súplica. Suave com a presença de violão e sintetizadores extasiantes, a sua representação do amor, este advindo do destino, também constrói a premissa do single, a singular e magnética “DNA”.

Sua trajetória ascendente foi acelerada pela grande frequência de reproduções nas rádios de seu segundo single – “MIC Drop”, remixado por Steve Aoki, com um som distinto, incendiário e provocativo aos odiadores; “DNA”, no entanto, provocou um maior impacto, sendo o vídeo mais assistido do grupo com mais de 470 milhões de visualizações, além de ter sido sua primeira apresentação na televisão estadunidense, no AMA em novembro de 2017. Atingindo mais de 9 milhões de espectadores nos EUA, a talentosa performance gerou um milhão de pesquisas no Google sobre o grupo, debatendo sobre a possibilidade de uma música em um idioma estrangeiro alcançar e conectar-se com uma audiência com o inglês como língua materna tão grande.

Em maio de 2018, a capa preta de Love Yourself: Tear indicava uma virada sombria da narrativa. Love Yourself: Her havia encerrado com um som vintage, porém típico do BTS com “Outro: Her”, através da reflexão dos rappers sobre dúvidas em relação a si e transparência em relacionamentos, o que ligou-se ao single de Love Yourself: Tear e ao frágil ápice de uma mentira, “FAKE LOVE”.
Enquanto isso, o lago mencionado em “dimple” retornou em “Intro: Singularity”, a faixa pré-lançada de neo-soul cantada por V, com uma aura aveludada e contando com a presença de suas angústias. No universo do BTS, tudo conecta-se para ser absorvido, desde elementos nos vídeos (como janelas, máscaras, flores, a cor amarela) aos livros de fotos dos álbuns, as letras e a coreografia.

 

 

Love Yourself: Tear se une ao esquema do grupo, onde a temática entremeia-se com o pessoal e o empírico. Musicalmente, porém, é muito mais coerente que o seu predecessor. O peso necessário para a expressão dos sentimentos de aversão e enganação a si, o que perfura Love Yourself: Tear como espinhos, é traçado de forma excelente na sua faixa mais madura, “The Truth Untold”, guiada pelo piano.

Uma flauta divertida e o contracanto de “134340” encobrem o ressentimento amargo presente na letra, e em “Love Maze” e no sintético EDM de “So What”, os garotos reconhecem as dificuldades para se encontrar respostas na vida. A base de fãs cresceu exponencialmente entre esses lançamentos. Em casa, ambos álbuns venderam mais de 1,7 milhão de unidades cada.

Nos Estados Unidos, a onda estava começando; “DNA”, “MIC Drop” e “FAKE LOVE” ganharam ouro, e Her atingiu o sétimo lugar. Tear, todavia, venderia 135.000 cópias (100 mil puras) em sua primeira semana, tirando Post Malone do primeiro lugar na chart estadunidense – a primeira vez para artistas coreanos. Nas paradas britânicas, sem nenhuma promoção ou reproduções nas rádios, ele atingiu 8º lugar.
A primeira apresentação de “FAKE LOVE”, que atingiu o Top 10 nas paradas de músicas dos EUA, teve o foco da mídia mundial no BBMAs de 2018; eles se consolidaram não como um interesse passageiro, mas como um competidor desafiador. Com Her, o grupo – jovial, ambicioso, mas ainda nervoso – “chegou”, porém ainda deixava a mídia e o grande público um tanto confusos. O batedor de recordes Tear, indiscutivelmente, jogou um coquetel molotov na indústria e no país que luta com – e frequentemente contra – diversidade e igualdade.

O BTS ateou fogo a toda a noção preconcebida sobre o que a audiência ocidental desejava de um grupo pop – e encontrou elogios, mas também foram desprezados. Em Love Yourself: Answer, um álbum duplo que comporta-se como uma compilação e uma conclusão, é evidente que o BTS não se importa com aprovação nem opiniões superficiais.

“Você pode me chamar de artista, você pode me chamar de ídolo… Eu não me importo, eu tenho orgulho disso”, RM diz no novo single “IDOL”, que mistura trap, EDM e house sul-africano. No vídeo, sua origem coreana é celebrada em todos os momentos – a dança e as vestimentas tradicionais, o tigre, o coelho na lua, o hanok*.

“IDOL” quebrou o recorde da Taylor Swift de vídeo mais assistido em 24 horas com mais de 45 milhões de visualizações, atingindo o primeiro lugar em 66 países no iTunes, e Love Yourself: Answer conseguiu a primeira posição nos Estados Unidos, sendo a segunda vez no ano para o grupo, colocando-os no nível de Drake, Future, The Beatles e Elvis Presley.

 

 

De 16 faixas no primeiro CD (com abertura de “Euphoria”, cantada por JungKook, com sua voz atingindo o clímax como um salto nas mãos instáveis do amor), sete são inéditas e as outras são as mais importantes para a história dos álbuns anteriores.

Colocadas na ordem da narrativa, desde o amor predestinado, passando pelo amor falso e chegando ao amor próprio, o efeito é semelhante a um pequeno ponto de luz através da escuridão, inabalável até ser absorvido pela última faixa, “Answer: Love Myself”, que ultrapassa expectativas quanto à letra, mas permanece seguro no âmbito instrumental.

Os solos dos rappers adicionam mais uma camada a cada arco da história; “Trivia: Just Dance” (com J-Hope intensificando um movimentado future-house) compara o amor à dança ao sonho de se apaixonar, “Trivia: Love” (com brincadeiras com as palavras junto ao piano e a harmonia romântica de RM) fala sobre um novo amor, e “Trivia: Seesaw” tem SUGA e seu compasso áspero amaciados com synth-pop e disco funk como um dos destaques do álbum, trazendo a reflexão sobre um relacionamento no limbo.

Escalonadas entre o álbum estão as introduções, incluindo a mais recente, cantada por Jin. “Epiphany”, tocante e influenciada pelo Brit-rock, é a peça final da narrativa em quebra-cabeça, visual e liricamente, à medida que ele aceita seus defeitos. “Por que eu queria esconder meu eu tão precioso, do que eu tinha tanto medo?” ele pergunta, “eu deveria ser quem amo nesse mundo”.
Conceitualmente, “Epiphany” e “I’m Fine”, o importante equivalente de drum ‘n’ bass ao single trop-house “Save Me” de 2016, resumem Love Yourself: Answer, onde não há promessas sobre um futuro perfeito. Para toda a emersão do BTS à alegria e à luz, não há uma solução direta – “Talvez realmente não exista uma resposta”, pensa RM em “Answer: Love Myself”.

Isso não reduz a mensagem passada pelo BTS e a força que os fãs tiram disso. As representações dos medos, erros e pensamentos que nos infligimos permanecem comoventemente identificáveis – o que o álbum final da série faz é nos lembrar que cada pessoa tem de seguir seu próprio caminho, e não há uma única forma de conseguir a própria aceitação. Entretanto, o triunfo sobre seus próprios demônios é importante de se revelar.

O aspecto fictício da trilogia não impediu o BTS de continuar a usar sua música como um meio de terapia pessoal, refletindo sobre ser jovem e compreender quem são como indivíduos, enquanto sob o olhar inquisidor do público. Love Yourself: Answer é o encerramento artístico e emocional satisfatório de um capítulo – embora as inspirações do grupo sobre o próximo projeto já são alvo de especulações.

Por agora, deixamos eles no topo, com um álbum que justifica ser ouvido repetidas vezes e leituras profundas das – geralmente complexas – letras, ao mesmo tempo que o grupo segue para sua turnê internacional, onde eles continuarão, sem dúvidas, a sua reescrita incontestável da história da música.

*N/T: Casa coreana.

Fonte: Clash Music
Trans eng-ptbr; clau @ btsbr


Publicado em 09.09.2018
Político sul-coreano se desculpa por envolver BTS e ARMYs em polêmica
O grupo foi o centro de debates sobre dispensa no serviço militar

Após os Jogos Asiáticos, a cena política da Coreia do Sul começou um acalorado debate acerca de quais qualidades estelares poderiam qualificar um homem para isenções no serviço militar do país. Recentemente, um político no centro do debate pediu desculpas por envolver o BTS e seus fãs, conhecidos como ARMYs, na narrativa.

 

O debate contínuo na Assembleia Nacional do país se baseia largamente no porquê atletas,  dançarinos e músicos clássicos são elegíveis para receber dispensas do serviço militar obrigatório devido ao sucesso internacional e estrelas pop e artistas modernos não estão incluídos no parâmetros, originalmente instituídos em 1973. Em julho, o legislador da oposição Ha Tae-kyung do partido Bareunmirae citou o feito do BTS no topo das paradas da Billboard e a opinião pública sobre o sucesso do grupo como um exemplo de estrelas pop em palcos internacionais que tiveram um impacto positivo sobre a imagem da Coreia do Sul internacionalmente.

 

Com o fim dos Jogos Asiáticos de 2018, que ocorreu na Indonésia entre a segunda metade de agosto e o dia 2 de setembro e resultou em 42 atletas recebendo isenções do serviço militar, a discussão foi trazida a tona novamente na Coreia do Sul esta semana, com políticos, mídia e o público geral questionando quem, ou mesmo se alguém, deveria receber isenção do serviço militar nacional.

 

Após o aumento da atenção midiática levar a intensificação do debate, Ha divulgou um pedido de desculpas por trazer o BTS e os seus fãs para uma discussão política extremamente sensível que poderia potencialmente afetar a imagem do grupo na Coreia do Sul, onde objetores de consciência foram recentemente presos e carreiras de celebridades são impactadas com frequência pelos seus passos no exército. Ha culpou a mídia após discordâncias crescerem acerca do BTS e os fãs se tornaram o foco principal do discurso.

 

“Sinto muito por ouvir que o BTS se tornou o centro desse debate político,” Ha disse, de acordo com JTBC News. “Eu venho tentando endereçar a realidade da música popular, que sofre com severas discriminações reversas se comparada à música clássica… Não há qualquer culpa para o BTS ou seus fãs. Por favor, joguem suas pedras em Ha Tae-kyung, membro da Assembleia Nacional.”

 

Nem o BTS, nem sua gravadora, Big Hit Entertainment, comentaram sobre a polêmica.

 

Todos os homens sul-coreanos fisicamente aptos entre 18 e 35 anos precisam servir um período de cerca de dois anos nas forças armadas do país. O alistamento afeta o mundo do entretenimento com frequência por interromper as carreiras das estrelas de K-pop e jovens atores — integrantes de grandes nomes da indústria, como BIGBANG, estão servindo no momento — e as dispensas envolvendo atletas provocaram uma debate nacional sobre quem, e se alguém, deveria ter o mérito de não servir. Alguns sugeriram adiamentos no lugar de dispensas, e o Primeiro Ministro Lee Nak-yeon recentemente recebeu uma força tarefa para averiguar uma redução no período de serviço militar, o tamanho das forças armadas do país, e para revisar o serviço de isenções.

 

Lee alegadamente sugeriu que o exército “ofereça uma medida mais razoável que reflita as demandas crescentes do público,” de acordo com o The Guardian.

 

O comissário da Administração de Recursos Humanos Militares Ki Chan-soo também endereçou o assunto, com o Joogang Ilbo noticiando que o comissário está buscando restringir os parâmetros para dispensas devido ao estigma social sofrido por aqueles que não servem ao exército.

 

“Precisamos fazer os parâmetros de dispensa militar mais rigorosos,” ele declarou.

 

Fonte: Billboard
Trans eng-ptbr; nalu @ btsbr


Publicado em 09.09.2018
🎥 BTS @ Music Core
O grupo apresentou IDOL e I'm Fine encerrando o período de divulgação na TV

O grupo esteve em participação pré-gravada no Music Core que foi ao ar em 08.09.18, encerrando as atividades de divulgação do álbum Love Yourself 結 ‘ANSWER’ nos programas musicais sul-coreanos.

O grupo apresentou as já conhecidas “I’m Fine” e “IDOL” e ainda indicados ao 1º lugar com “IDOL”, conquistando o quarto troféu da faixa-título.

IDOL

I’m Fine

Pontuação final do programa, com o BTS sendo declarado o vencedor da semana


Publicado em 09.09.2018
[TWITTER] 08.09.18 – BTS_bighit
TWEET POSTADO POR @BTS_BIGHIT NO DIA 08.09.2018

[TRAD] [#BangtanHoje] A última apresentação (!) em music shows, obrigado aos nossos ARMYs que assistiram ao Music Core #OsMusicShowsAcabaram #MasEstamosEmTurnêEntão #EstáTudoBem

Trans ko-ptbr; nalu @ btsbr


Publicado em 09.09.2018
Park Jimin, Liam Payne e suas habilidades em comum!
Além de incríveis vocalistas, a dupla divide um outro talento bem inusitado...

Nos dias 5, 6, 8 e 9 de setembro, o BTS esteve com a BTS World Tour: Love Yourself no Staples Center em Los Angeles.

“So What” faz parte da setlist do show e, durante uma de suas partes da música, Jimin mostrou uma impressionante habilidade com o microfone.

Após a apresentação, uma fã postou a cena e marcou Liam Payne, que frequentemente também mostra algumas habilidades com o microfone.

[TRAD] “Isso é talento. Gostaria que ele tivesse um ‘duelo de girar microfones’ com o Liam Payne”

“Nah ele vence 😂 Estou fora 🙌”, o cantor respondeu.


Confira a apresentação:

cr; insight.co.kr


Publicado em 09.09.2018
Integrante do Golden Child agradece SUGA por verso inspirador em música
O integrante Tag comenta o quão inspirado se sentiu pelo verso do rapper

Tag, do Golden Child, escreveu pessoalmente uma mensagem de agradecimento para SUGA depois de ser comovido por “Answer: Love Myself” do BTS!

Em 8 de setembro, Tag postou uma imagem da letra de “Answer: Love Myself”, uma das faixas inéditas do último álbum, Love Yourself: Answer, do BTS.  As letras em destaque compõem a primeira linha da parte de SUGA: “Talvez me amar seja mais difícil do que amar outra pessoa/Vamos ser honestos e admitir a verdade/Você exige um nível mais alto de você mesmo [do que dos outros]”.

Tag escreveu na legenda, “Minha mãe sempre disse, quando eu era jovem, que para poder amar alguém de verdade, eu primeiro tenho que aprender a me amar, a fim de me tornar um ser humano completo. É só agora que acho que eu finalmente entendi a razão [dessas palavras]…”

“‘Talvez me amar seja mais difícil do que amar outra pessoa.’ Desde que ouvi essa letra pela primeira vez, as palavras estão se demorando nos meus ouvidos.”

Tag ainda acrescentou, “SUGA, muito obrigado por essa letra maravilhosa!”

Ele então se dirigiu aos próprios fãs, escrevendo, “Goldenness [fã clube do Golden Child], por favor valorizem e amem a si mesmos ainda mais no futuro!”

Fonte: Soompi
Trans eng-ptbr; VenomQ @ btsbr


Publicado em 08.09.2018
Como as ideias de Nicki Minaj influenciaram o MV de IDOL!
A rapper colaborou com um verso na versão exclusiva do álbum digital

O BTS lançou seu álbum Love Yourself 結: Answer e a faixa título “IDOL” em agosto. O grupo também lançou uma versão digital da música com a participação de Nicki Minaj, que recentemente ganhou seu próprio MV no dia 6 de setembro.

O BTS divulgou um vídeo alternativo para seu single “IDOL” com a participação de Nicki Minaj e imagens do “IDOL Challenge”. No novo clipe, ela aparece em uma peruca verde neon rodeada por uma mistura de itens e mobília colorida. Um aspecto notável da cena adicional com Nicki Minaj foi o uso do alfabeto Hangul no fundo roxo, atrás da rapper.

O vídeo termina com imagens dos ARMYs participando do “IDOL Challenge”, que consiste em recriar a coreografia da canção. Algumas das cenas incluem crianças e o mascote do restaurante Panda Express vestido a caráter. Você pode conferir o vídeo abaixo!

Quanto às letras de seu verso traduzido para o coreano, a Big Hit Entertainment revelou: “Nicki Minaj sugeriu a ideia e disse que seria legal escrever o seu rap em coreano no MV. Então, escrevemos a pronúncia em coreano do rap em inglês e incluímos como se fossem legendas.”

O BTS atualmente se apresenta mundialmente na “BTS World Tour: Love Yourself”, que já teve impressionantes 2,4 milhões de tweets compartilhados sobre ela até agora.


Fonte: NME, Soompi

Tradução eng-ptbr: nalu, maureen h. @ btsbr
Adaptação: beccs @ btsbr 


Publicado em 08.09.2018
Garoto popular? SUGA é um dos “Idols Músicos” mais falados do momento!
Suas habilidades como rapper, produtor e compositor encantam o público

Todos os idols que são bem sucedidos atualmente tem uma coisa em comum: Eles não apenas cantam, como também têm habilidades extraordinárias em composição musical. Muitos idols intitulados como “Idols Compositores”, vêm recebendo muito amor pelo público por demonstrarem seus talentos musicais superiores ao escreverem letras de músicas, composições das harmonias musicais, produção musical, etc.

Dessa forma, podemos considerar o B.I (iKON), SUGA, Lee Dae Hwi (Wanna One) e JB (GOT7) como os chamados “Idols Músicos”. Mas, como se deu a trajetória desses artistas até o ponto de sucesso atual?

SUGA está presente na criação e composição de muitas músicas de sucesso do BTS, e em breve comprovará seu poder como produtor musical. Particularmente, ele mostrou seu talento na música em sua mixtape de 2016 entitulada “Agust D”, dessa forma recebendo muita aprovação por parte de sua audiência. Além disso, SUGA não se limita a apenas músicas do grupo em que faz parte, e também co-produziu a música da artista solo Suran “If I Get Drunk Today (com participação especial de Changmo)”, que foi lançada em 2017. Essa música agitou os charts de música e as premiações coreanas. No mais novo álbum do BTS, Love Yourself : Answer, lançado no dia 24 de Agosto, SUGA também participou na composição da letra e harmonias da música “Trivia 轉: Seesaw.”

As partes que não faziam menção à SUGA ou ao BTS foram omitidas. Leia a matéria na íntegra, em inglês, clicando aqui.

Fonte: VLIVE
trans eng-ptbr; fer zloccowick @ btsbr

 


Publicado em 08.09.2018
[WEIBO] 07.09.18 – JungKook
POST NO WEIBO FEITO POR JUNGKOOK NO DIA 07.09.18

[TRAD] Última foto com o cabelo rosa cereja antes de pintar! Obrigado por ter gostado do meu cabelo!

Trans zh-eng; BTS_trans
Trans eng-ptbr; Caroline Piazza @ btsbr


Publicado em 08.09.2018
BTS volta aos palcos de Los Angeles e encanta o público
JungKook tem levado os fãs Estadunidenses à loucura com suas habilidades de dança

Fãs começaram a acampar ao redor do Staples Center quatro dias antes do primeiro show do BTS em Los Angeles, vindos de todas os cantos dos EUA para conseguir produtos oficiais,  garantir o lugar mais próximo do palco e para ter uma chance de conseguir alguns momentos a mais com o grupo durante a passagem de som.

Valeu a pena. Naturalmente tudo envolvendo o show foi perfeito, com Jimin encantado os fãs ao falar em inglês, RM com sua confiança já conhecida e todas as coreografias absolutamente sincronizadas.

Basicamente, um Mic Drop da vida cotidiana.

E a cereja do bolo, JungKook, que comemorou seu aniversário no último sábado (1 de setembro), simplesmente fez a platéia toda suspirar durante a coreografia de “Go Go”.

[TRAD] JUNGKOOK DURANTE GOGO!??? ELE É TÃO FOFO #LoveYourselfTourinLA

Lendário.

Ele ainda cativou os ARMYs presentes quando comentou que já fazia algum tempo desde o último show do BTS em L.A, a simples frase “It’s been a while” dita pelo caçula foi o que bastou para toda a platéia gritar de volta que sim, eles também sentiram saudade do septeto.

Sem nenhuma surpresa, o primeiro show do grupo nos EUA foi um grande sucesso, com os fãs proclamando sem nenhuma dúvida que aquele “foi o melhor show em toda a minha vida”.

E o grupo não para por aí. Com mais 12 datas pelos EUA eles ainda vão fazer uma participação especial na semi-final do America’s Got Talent, na próxima quarta-feira.

Sem nenhuma dúvida, o BTS está empolgado, celebrando o fato de seu mais novo álbum assumir o topo da Billboard 200 pela segunda vez no ano e com o vídeo de “IDOL” se tornando o mais assistido nas primeiras 24 horas no YouTube.

 

Fonte: Metro UK
Trans eng-ptbr; Bia Rehm @ BTSBR