» love yourself: her | Bangtan Brasil
btsbr.co.vu/archive & btsbr.wordpress.com
SITE: Bangtan Brasil - Fã Base
VERSÃO: 1.3 - WINGS BLUE
DESDE: 29.03.2013
VISITAS: ARMYs
Bulletproof Boy Scouts (em coreano: 방탄소년단) é um grupo masculino sul coreano de hip-hop formado pela Big Hit Entertainment. Geralmente conhecidos como BTS, são também chamados de Bangtan ou Bangtan Boys. Eles estrearam em 13 de junho de 2013 com sua.. LEIA MAIS
SEJA BEM VINDO AO BANGTAN BRASIL, A PRIMEIRA E MAIOR FÃ BASE BRASILEIRA DO BTS. FEITA DE FÃ PARA FÃ!

Tag: love yourself: her

Publicado em 19.07.2018
Uma forma de interpretar a saga “Love Yourself”, do BTS
Os estágios do amor em "Love Yourself" merecem múltiplas interpretações.

Não é segredo que o BTS tem talento para transmitir mensagens profundas através de sua música.

Conhecido por sua narrativa social orientada a millenials, o septeto aventurou-se no campo do romance em seus lançamentos mais recentes.

BTS lançou “Love Yourself: Tear” em 18 de maio, a sequência de “Love Yourself: Her” de 2017. Como qualquer canção do BTS, a saga “Love Yourself” é cheia de pistas misteriosas e um rico imaginário.

Uma forma de interpretar as canções da saga de “Love Yourself” é compará-las à diferentes fases da paixão. Inúmeras interpretações sobre as músicas do BTS existem, mas aqui segue uma sobre a jornada romântica do grupo.

“Love Yourself: Her” (2017) retrata o processo de se apaixonar

Estágio 1: “Serendipity”

 

Revelados duas semanas antes do lançamento oficial do álbum em setembro do ano passado, “Serendipity” põe-se como um trailer ao começo da história de amor de “DNA”.

 

A canção de amor R&B é a única faixa solo de um total de nove no álbum, cantada por Jimin, com a letra escrita por RM.

 

“Você tem que vir me salvar”, canta Jimin sobre um primeiro encontro afortunado, chamando o objeto de amor “minha salvação, meu anjo, meu mundo”.

 

Apaixonar-se é espontâneo e natural. Tudo funciona a partir de uma simples premissa: “Você me ama e eu te amo”.

O videoclipe é matizado com sépia dourada, junto de objetos com variações de tons de amarelo, criando uma esfera quente e aconchegante.

Estágio 2: “DNA”

Depois do primeiro encontro, o amor, agora, está florescendo. Cores vivas explodem ao fundo enquanto o BTS dança com mechas coloridas em seus cabelos e lentes de contato de tons pastéis, emitindo uma energia vibrante e bombástica.

O amor é comparado a uma “fórmula matemática” (um fato totalmente comprovado) e a uma “providência divina” (o destino criado pelo universo).

A canção descreve o amor em seu clímax, elevando-o ao status paradoxal de ser tanto científico quanto religioso. Ciência e religião são dois pilares da humanidade que alegam autoridade sobre a verdade em questões mutuamente excludentes, e o BTS, apaixonado, afirma que o amor é sustentado pelos dois.

O vídeo fala de outro tema ligado à ciência e religião – as estrelas. O imaginário celestial torna-se presente, com o grupo aparecendo entre as estrelas da galáxia e dançando em frente a uma grande lua.

“Meu DNA me diz que é você que eu venho procurando”, a letra diz, confiante de que “tudo isso não é uma coincidência”.

Estágio 3: “Her”

Na faixa final de “Love Yourself: Her”, percebe-se que o BTS já passou pelo encantamento inicial do amor, reconhecendo, agora, suas complexidades irônicas.

“Nós estávamos procurando por amor”, começa o hip hop. Cantada no passado, a música já aponta para o início do fim de um amor: “Você significou tudo pra mim”.

“Talvez para você, eu sou amor e ódio, céu e inferno, orgulho e humilhação”; a letra fala sobre as duas facetas do amor, proporcionando um contraste com o êxtase incessante de “DNA”.

O que vem depois, então, entende-se como o erro fatal: “Eu nunca posso tirar essa máscara. O homem atrás dessa máscara é alguém que você não conhece”. Ser amado neste relacionamento significa esconder-se atrás de uma máscara.

“Love Yourself: Tear” (2018) revela o processo de deixar de amar

Estágio 4: “Singularity”

Como “Serendipity” foi para “DNA”, “Singularity” funciona como uma introdução a um tema mais extenso da faixa principal, “Fake Love”.

O arco romântico do protagonista alcançou o ponto da singularidade – talvez haja uma brincadeira com as palavras entre o sentimento de estar por si só e o termo científico que descreve um ponto onde as coisas não ocorrem mais previsivelmente.

A letra fala sobre o surgimento da “dor fantasma” do amor.

O relacionamento é sustentado a um preço: a perda de si. “Perdi a mim? Ou ganhei você?” canta V sentimentalmente junto a uma melodia de jazz, consciente de que não pode ter os dois cenários.

No videoclipe, máscaras brancas voam em torno de V enquanto ele segura uma flor do tipo Smeraldo (uma flor ficcional – bonita, porém falsa), outro símbolo de disfarce. O personagem de V no clipe parece ter compreendido que seu amor depende da capacidade de enganar a si próprio.

Estágio 5: “Fake Love”

O BTS começa a falar sobre frases sugestivas como “mentiras bonitas” e “apagar a mim” relacionadas ao amor nessa faixa poderosa que está impactando a indústria musical mundial.

O refrão admite o desencantamento: “Eu estou cansado desse amor falso”. (Apesar do tom negativo neste verso, você pode nunca cansar do BTS cantando sobre “falso amor”.)

Olhares vazios, objetos quebrados e cores sombrias caracterizam o videoclipe. Opondo-se ao laranja brilhante e as mechas turquesa dos cabelos em “DNA”, todos os membros estão com cabelos pretos. A iluminação é, definitivamente, mais escura e não há quase sorrisos, a exceção do pequeno riso momentâneo de SUGA enquanto ele assiste o quarto ser tomado pelo fogo no minuto 4:17 do vídeo.

“Eu brotei uma flor em um sonho desesperançoso”, a letra conta. Em vão, Jin tenta cuidar de uma flor enquanto tudo à sua volta se desmorona.  A flor transforma-se em cinzas, seguida por seu total desaparecimento. O ambiente é inundado em torno de Jimin enquanto ele encara o nada, e o fogo consome SUGA enquanto este o contempla, imóvel.

Estágio 6: “Tear”

O encerramento do romance é simples e claro, como evidenciado na última faixa do álbum. “Rompimento” é a primeira palavra da canção.

“Você uma vez foi a minha querida”, mas agora “você é minha lágrima”, canta RM. “Você teria me amado da mesma forma se eu lhe mostrasse meu rosto limpo, o rosto que só eu conheço?” ele pergunta, pensando sobre o fracasso do amor.

“Rompimento é o preço que eu tive de pagar no final do meu show” a letra diz, sugerindo o que acabou com o amor.

O ceticismo substituiu a confiança inicial: “Todo o começo tem um fim”.

Enquanto canções de amor são abundantes na cena de música pop, é reconfortante saber que existe uma canção do BTS para cada estágio do amor, até mesmo para os momentos complexos de se definir como “parcialmente apaixonado” e “começando a sentir incertezas”.

 

O BTS é, talvez, um dos poucos grupos que fazem o sentimento de deixar de amar soar tão sonhador quanto a sensação de se apaixonar.

 

Fonte: The Korea Herald
Trans: eng-ptbr; clau @ btsbr


Publicado em 28.06.2018
Colocação do BTS na Billboard em Junho
O BTS aparece 17 vezes nas listas da Billboard.

O BTS aparece 17 vezes nas listas da Billboard com seu último álbum “Love Yourself: Tear”, com o single “Fake Love” e com o grupo BTS.

Hot 100:
65. “FAKE LOVE” (5ª semana)

Billboard 200:
27. ‘LOVE YOURSELF: Tear’ (5ª semana)
130. ‘LOVE YOURSELF: Her’ (35ª semana)

Artist 100:
12. @BTS_twt (89ª semana)

Social 50:
1. BTS (89 – 80ª semana em 1º lugar)

Streaming Songs:
45. “FAKE LOVE” (re-entrada / 3ª semana)

On-Demand Streaming Songs:
48. “FAKE LOVE” (re-entrada – 3ª semana)

Pop Songs:
36. “FAKE LOVE” (3ª semana)

Top Album Sales:
19. ‘LOVE YOURSELF: Tear’ (5ª semana)
53. ‘LOVE YOURSELF: Her’ (21ª semana)

Independent Albums:
6. ‘LOVE YOURSELF: Tear’ (5ª semana)
12. ‘LOVE YOURSELF: Her’ (35ª semana)

World Albums:
2. ‘LOVE YOURSELF: Tear’ (5ª semana)
3. ‘LOVE YOURSELF: Her’ (40ª semana)
12. ‘You Never Walk Alone’ (46ª semana)

Billboard Canadian Hot 100:
61. “FAKE LOVE” (5ª semana)

Canadian Albums:
19. ‘LOVE YOURSELF: Tear’ (5ª semana)

 

via; bts_national
cr; BTS_billboard


Publicado em 27.05.2018
[NEWS] BTS ‘Love Yourself: Tear’: Por dentro do novo álbum da sensação do K-pop
Nos Estados Unidos, o vídeo de “Fake Love” é um dos 10 clipes mais [...]

O produtor Steve Aoki tem boas memórias do seu primeiro encontro com o grupo de K-pop BTS. “Pegamos uma caixa de som Bluetooth, nos reunimos em volta e só curtimos,” Aoki relembra. “A última vez que vi eles em Los Angeles, eu dei meu moletom para o RM; ele me deu sua jaqueta. Fizemos o ‘salto Aoki’ juntos. De cara, estávamos em sincronia — a barreira da linguagem não nos impediu de nenhuma maneira.”

Aoki tem um papel importante na história do BTS: em 2017, ele produziu o remix cafeinado da música “MIC Drop”, que se tornou o primeiro hit do grupo a entrar no Top 40 dos Estados Unidos. De repente, ouvintes americanos perceberam que um dos grupos mais populares do planeta vinha do outro lado do globo. A indústria musical americana também se deu conta: após Aoki deixar a casa do BTS em Los Angeles, ele encontrou a cantora Halsey à caminho para encontrá-los. E tudo isso aconteceu antes da pré-venda do último álbum do BTS, Love Yourself: Tear, chegar próximo das 1.5 milhões de cópias. Em termos de comparação, um feito notável foi quando a pré-venda de Taylor Swift chegou às 400 mil unidades nos Estados Unidos.

Devido ao fervor da fanbase do BTS — quando apresentou o grupo no Billboard Music Awards, no último domingo, a apresentadora Kelly Clarkson teve dificuldade de se fazer ouvida com os gritos de antecipação da plateia — a gravadora do grupo, Big Hit Entertainment, se mantém discreta sobre suas operações. A Big Hit recusou um pedido de entrevista em razão de “proteger a vida diária de nossos membros da equipe de potenciais incômodos com os fãs.” Talvez isso não seja insensato: “Eu trabalhei com a Beyoncé por dois anos — fui seu engenheiro de som, mixei, e viajei com ela ao redor do mundo — e nunca antes vi um fandom como esse,” conta DJ Swivel, que produziu a música “Euphoria”, lançada em abril, e co-escreveu duas músicas do Love Yourself: Tear.

À medida que o perfil do BTS cresceu, eles passaram a trabalhar com mais pessoas como DJ Swivel, figurões por trás das cenas do pop dos Estados Unidos e Reino Unido. Essas colaborações que ultrapassam oceanos se intensificaram com o álbum de 2016, Wings, que trouxe contribuições de compositores como Tricky Stewart (Beyoncé, Rihanna), Sam Kempner (Emeli Sande, Niall Horan) e Tony Esterley (Sia). Love Yourself: Tear inclui a maior porcentagem de músicas co-escritas por americanos e britânicos — sete das onze faixas — de qualquer um dos projetos do BTS até agora. “Eles vindo e trabalhando com produtores, escritores, mixers, do mercado americano faz parte da sua estratégia de fazer essa mistura acontecer,” diz DJ Swivel.

Falar com alguns desses escritores oferece um vislumbre do processo do BTS. (Ainda que exista um nível de sigilo acerca dessas colaborações, com um dos compositores comentando, “eu sinto que me meteria em um grande problema se lhe contasse muito.”) Enquanto algumas empresas gostam de trazer compositores peritos para maratonas de escrita hiper-produtivas — Jonathan Yip, do grupo The Stereotypes, por exemplo, lembra de escrever quatro músicas por dia durante viagens à Coreia do Sul para a SM Entertainment –, as colaborações com o BTS são, em sua maioria, feitas de forma remota. Às vezes, o grupo obtém instrumentais pré-produzidos, incluindo a batida de Stewart para “BTS Cypher pt. 4” e “Euphoria”, que DJ Swivel escreveu com Candace Sosa. O BTS manteve o instrumental quase intacto, exceto por acrescentar o que ele descreveu como “o vocal ‘hey yah eh yay eh yay’ depois do refrão”.

Para o Love Yourself: Tear, o BTS decidiu mandar ao DJ Swivel faixas que ele usou como base para as melodias vocais. (Isso é chamado de toplining.) Uma das músicas foi “Love Maze”, uma destilação astuta de rap dos anos 90 e R&B. A outra foi “Magic Shop”, que tem uma parte com sintetizador que parece uma clara homenagem aos Chainsmokers. Uma vez que DJ Swivel já havia trabalhado extensivamente com os Chainsmokers no passado, ele foi altamente qualificado a ajudar com esse álbum. Ele entrou no Skype com Sosa e “jogou melodias”; ela deu guias vocais. Algumas das letras em inglês na canção — “So show me/I’ll show you” — foram escritas durante essas sessões de Skype e apareceram na versão final da música. Muitas das outras letras e partes de raps foram reescritas na Coreia do Sul.

Assim como a Big Hit escolheu DJ Swivel para trabalhar numa faixa estilo Chainsmokers, a gravadora entrou em contato com Ali Tamposi para produzir a batida de entonação latina para “Airplane pt. 2”, porque ela já teve sucesso nesse espaço: Tamposi co-escreveu “Havana”, de Camila Cabello. Ela trouxe também colaboradores frequentes como Liza Owen e Roman Campolo. Eles receberam instruções específicas, de acordo com Owen: “BTS queria algo que explicasse sua jornada, vindos do nada e agora voando de país para país.”

Campolo deu as primeiras ideias melódicas para “Airplane pt. 2”. “O BTS é uma fusão de tudo que está acontecendo na música pop americana, e eles trazem porções iguais de entusiasmo para tudo,” ele diz. “As possibilidades como compositor são infinitas.” No fim, os três escritores acabaram com um faixa que dança entre vocais ricos e raps diretos em staccato. “O BTS combinou com cada uma de nossas melodias de forma impecável,” acrescentou Tamposi.

Enquanto o grupo frequentemente mistura toplines diferentes, o processo de mixagem requer mais tempo, e a equipe do BTS envia notas detalhadas para se certificar de que o som está combinando perfeitamente com as suas especificações. “Eu lembro que tiveram vários momentos que estávamos trabalhando em álbuns e eu pensava, ‘esses caras não dormem?’” diz Sam Kempner, que vem mixando a música do grupo com James Reynolds desde 2013. “Nós entregávamos uma mixagem e eles estavam de pé depois de uma hora de sono nos dando pontos para revisar.”

Essa atenção com os detalhes não é surpreendente; os álbuns do BTS são casos complexos. “Eles estão tentando mais do que artistas pop normalmente tentam — é um tanto ambicioso, musicalmente,” diz a cantora e compositora irlandesa Orla Gartland, que ajudou com a melodia de “134340”. O instrumental dessa música inclui passagens de flauta e baixos ágeis que sugerem uma ala aventureira de funk dos anos 70. “Você não escuta instrumentos como esses em pop nesse nível,” acrescenta Gartland. “O BTS faz jogadas corajosas.”

Essas coragem pode estimular os colaboradores do BTS também. Aoki, por exemplo, pode jogar contra o seu time em “The Truth Untold”, a faixa que ele produziu para o Love Yourself: Tear. “Eu fiz uma música totalmente inesperada,” ele diz, com felicidade. “Quando as pessoas ouvem ‘MIC Drop’, elas falam, ‘Ok, é uma batida do Aoki.’ Essa é uma balada; o drop só acontece no final.”

Para um grupo que frequentemente se inclina ao maximalismo, “The Truth Untold” é uma virada e tanto, uma vitrine para vozes nuas no que é, talvez, a música mais sobressalente que o grupo já gravou. “BTS está ganhando força em questões melódicas agora,” diz Tricky Stewart, que envia músicas ao grupo desde 2016, ainda que não tenha ganhado espaço no Love Yourself: Tear. “É mais voltado para o mercado dos Estados Unidos.”

É um fato que ouvintes americanos estão cada vez mais dispostos a se envolver com o BTS. No último dia 21, o grupo ganhou a honra do Top Social Artist no Billboard Music Awards — pelo segundo ano consecutivo — e apresentaram sua nova música “Fake Love”. É uma das conquistas mais impressionantes do BTS, uma faixa que pode, aparentemente, agradar uma vasta coalizão de ouvintes: fãs de “XO Tour Llf3”, de Lil Uzi Vert, ou Dashboard Confessional de meados dos anos 2000, junto com qualquer um que sintonize na rádio para ouvir as melodias açucaradas do Top 40.

Nos Estados Unidos, o vídeo de “Fake Love” é um dos 10 clipes mais populares do YouTube e uma das 30 faixas mais populares do Spotify desde a sexta-feira de seu lançamento. Escrita pelo membro do BTS, RM, junto com o fundador da Big Hit, “Hitman” Bang, e produtor de longa data, Pdogg, parece que esse grupo, ao final de tudo, pode não precisar de escritores americanos para conquistar o pop dos Estados Unidos.


Fonte; Rolling Stone
trans eng-ptbr; nalu @ btsbr


Publicado em 23.04.2018
Love Yourself: 轉 ‘Tear’ assume primeiro lugar na Amazon Canadá
"Love Yourself: Her" foi o álbum mais vendido no Amazon Canadá!

“Love Yourself: Tear” assumiu o primeiro lugar entre os CDs mais vendidos na Amazon Canadá apenas 20 horas após ser colocado à venda.

Para os ARMYs nos Estados Unidos, Porto Rico e Canadá, por favor, comprem o “Love Yourself: Tear” apenas pelos links disponibilizados pela Big Hit.

 

via; BTS_National


Publicado em 23.04.2018
Love Yourself: 承 ‘Her’ entra novamente na Billboard 200
O grupo entra novamente no chart da Billboard.

“Love Yourself: Her” conseguiu entrar novamente na Billboard 200, na 146 posição, para a sua 26ª semana no chart. Para ajudá-los a manter sua posição por mais semanas, continue fazendo streaming e compre o álbum ou suas faixas!

via; BTS_Billboard


Publicado em 13.11.2017
[VÍDEO] 12.11.17 – Vlog de SUGA
SUGA fala sobre o lançamento de "Love Yourself: HER" e suas expectativas [...]

SUGA postou um vlog no BANGTANTV referente ao dia 18.09.17

cr; BANGTANTV @ Youtube


Publicado em 01.11.2017
[NEWS] “Love Yourself: Her” permanence pela 6ª semana seguida no Billboard 200
O quinto mini-álbum do grupo continua a provar seu enorme sucesso!

Love Yourself: Her se mantém nas paradas como nenhum outro álbum de um artista coreano jamais conseguiu, e já acumula 3x mais tempo na tabela da Billboard 200 do que qualquer outro álbum do grupo lançado anteriormente. O álbum aparece na posição de número 144 esta semana.

Enquanto isso Her aparece em 3º lugar no World Albums após passar cinco semanas em primeiro lugar e na Canadian Albums o álbum subiu algumas posições e agora se encontra em 17º lugar.

O grupo continua em primeiro lugar no Social 50, e aparece em número 38 no Artist 100.

Fonte: Soompi
Trans eng-ptbr; Bia Rehm @ btsbr


Publicado em 19.10.2017
[NEWS] BTS fica no topo da tabela de álbuns Oricon para o mês de setembro
"Love Yourself: Her" ficou no topo de mais uma tabela musical, desta vez no [...]

O quinto mini-álbum do septeto ficou em primeiro lugar na tabela de álbuns Oricon do mês de setembro. O site calcula aproximadamente um número de 69,075 mil unidades vendidas, dez mil a mais que o segundo colocado da tabela.

 

Love Yourself: Her é o álbum coreano mais bem colocado dos três que apareceram no top 10 da tabela. Enquanto isso o álbum continua a conquistar novos recordes tanto nacionalmente como internacionalmente, recentemente tendo quebrado um recorde de 16 anos do Gaon Chart como álbum mais vendido.

 

Fonte: Soompi
Trans eng-ptbr; Bia Rehm @ btsbr


Publicado em 18.10.2017
[INFO] BTS se mantém a quarta semana consecutiva na Billboard Hot 100
O apresentador comenta sobre o desempenho do BTS na Billboard!

Mike Adam da rádio americana Fresh 102.7, postou em seu Twitter o desempenho de “DNA” e ‘Love Yourself: Her’ nos charts da Billboard essa semana.

[TRAD] “DNA” do BTS está na quarta semana consecutiva na Billboard Hot 100 ocupando a posição #98. O álbum ‘Love Yourself: HER’, subiu 20 posições na Billboard 200, ocupando o #15 lugar essa semana.

 

Trans eng-ptbr; Amanda @ btsbr
Via; MikeAdamOnAir


Publicado em 18.10.2017
[VÍDEO] 17.10.17 – Integrantes do programa “Mnet Stray Kids” mencionam BTS
Shin Ryujin é uma das garotas que aparece em "Love Yourself"!

Shin Ryujin é uma das garotas de ‘Love Yourself’ Highlight Reell.

O trainee Lee Minho já foi back dancer do BTS.

 


Publicado em 15.10.2017
[NEWS] “Love Yourself: Her” define novo recorde no Gaon Chart após 16 anos com 1.2 milhões de álbuns vendidos
BTS faz novo recorde na história do K-Pop com "Love Yourself: Her"!

No dia 13 de outubro, Gaon Chart divulgou a tabela mensal de álbuns do mês de setembro de 2017, mostrando que o álbum do BTS, Love Yourself: Her em primeiro lugar. Mesmo sendo lançado apenas no dia 18 de setembro, 1.203.533 cópias do álbum foram vendidas.

Essas vendas são as mais altas na história do Gaon Chart para um álbum (não sendo repackage). Anteriormente, o grupo “g.o.d” vendeu 1.441.209 cópias em seu quarto álbum em 2001. Isso significa que é essa a primeira vez que mais de 1.2 milhões de cópias de um álbum foram vendidas em 16 anos.

Além disso, BTS vendou 1.120 milhões de cópias do novo álbum apenas na pré-venda. Mais de 760 mil álbuns foram vendidos na primeira semana de seu lançamento. Somando com o sucesso das vendas físicas, o grupo conseguiu um resultado impressionante em diversas tabelas musicais ao redor do mundo.

Enquanto isso, BTS está atualmente em turnê no Japão para seu primeiro show em um estádio.

Parabéns, BTS!

 

Fonte: Soompi
Tradução pt-br: Vics @ BTSBR


Publicado em 04.10.2017
[PT-BR] 방탄소년단 (BTS) – Sea (바다) (Hidden Track)
Assista ao vídeo legendado em português!