btsbr.co.vu/archive & btsbr.wordpress.com
SITE: Bangtan Brasil - Fã Base
VERSÃO: 1.3 - WINGS BLUE
DESDE: 29.03.2013
VISITAS: ARMYs
Bulletproof Boy Scouts (em coreano: 방탄소년단) é um grupo masculino sul coreano de hip-hop formado pela Big Hit Entertainment. Geralmente conhecidos como BTS, são também chamados de Bangtan ou Bangtan Boys. Eles estrearam em 13 de junho de 2013 com sua.. LEIA MAIS
SEJA BEM VINDO AO BANGTAN BRASIL, A PRIMEIRA E MAIOR FÃ BASE BRASILEIRA DO BTS. FEITA DE FÃ PARA FÃ!

Tag: news

Publicado em 30.05.2018
[NEWS] Como o BTS está quebrando os maiores tabus do K-Pop
O grupo coreano já se manifestou sobre os direitos LGBTQ, saúde mental e [...]

O grupo coreano do topo dos charts já se manifestou sobre os direitos LGBTQ, saúde mental e muito mais.

Na moderna Coreia do Sul, estrelas do pop e política não se misturam normalmente. Enquanto alguns artistas do meio hip-hop (como o Epik High) falam sobre assuntos controversos, muitos grupos de idol tendem a uma postura arredia, com uma forma apolítica para atingir sucesso.

BTS, primeiro artista do gênero a alcançar o topo do Billboard 200, tornou-se um quebrador de recordes em sucessão por causa de sua vontade de contrariar essa convenção. Os sete jovens que integram o grupo são conhecidos por expressar suas opiniões desde o debut, discutindo abertamente sobre os direitos LGBTQ, saúde mental, e a pressão do sucesso – todos tópicos tabus na Coreia. Uma postura particularmente corajosa vista a histórica tendência do governo coreano de se manter de olhos abertos para temas controversos no meio do entretenimento. Ao se manterem entre a tênue linha de imagem respeitável e voz crítica, BTS ofereceu uma mudança refrescante para o que críticos e fãs costumam desgostar sobre a indústria K-Pop.

A histórica mente aberta do grupo data de 2013, quando ainda inexperientes de palco já falavam sobre relações entre pessoas do mesmo sexo, poderia ser um tiro certeiro para o fracasso. O líder do grupo, RM, fez um tweet em admiração pelo hit “Same Love”, de Macklemore & Ryan Lewis, “Esta é uma música sobre homossexualidade. A música é duas vezes melhor agora que escuto a mensagem.” Naquele tempo ele era relativamente um artista desconhecido com pouco a perder. Mas no começo deste ano, RM mais uma vez usou o Twitter para recomendar a música “Strawberries and Cigarettes”, de Troye Sivan, um artista abertamente gay que escreveu a música para a comédia romântica “Com amor, Simon” que trata de um jovem descobrindo sua sexualidade ao se apaixonar por um amigo que conhece online.

São pequenos gestos, mas significam muito para os fãs do grupo. Os direitos LGBTQ certamente não são perfeitos nos EUA, mas na Coreia a situação é abismal, tanto que a Anistia Internacional se envolveu no ano passado após o país ter sentenciado um soldado a seis meses de prisão por ter uma relação consensual com outro homem.

Por trás dos gritos de animação que enchem qualquer arena onde o BTS se apresente há milhões de devotos que ultrapassam gerações, gêneros, religião, nacionalidade e sexualidade. E esses fãs – coletivamente conhecidos como ARMY – escutam atentamente às letras e mensagens escritas pelo grupo, antes de disseminá-las e traduzi-las para as mais diversas línguas.

Para o BTS e seus fãs, atitudes de generosidade majoritariamente carregam uma mensagem política. Após a balsa Sewol Ferry afundar em abril de 2014 na Coreia, matando aproximadamente 300 estudantes, políticos coreanos tentaram se distanciar da tragédia. Os pais em luto participaram de greves de fome, enquanto os defensores conservadores da então presidente Park Geun-Hye minimizavam as mortes, dizendo que era necessário ultrapassar os tempos de calamidade. Jornalistas tempos depois expuseram uma lista-negra sancionada pelo governo coreano de artistas que aparentemente criticaram o governo de Park Geun-Hye; enquanto o BTS provavelmente não tinha nenhum conhecimento disso, eles demonstraram o lado que apoiavam ao doar 100 mil won para beneficiar as famílias das vítimas.

Anos atrás, SUGA disse a seus fãs que quando ele se tornasse rico, ele compraria carne para todos eles – um caro presente na atual Coreia devido às altas taxas de importação do país. Em seu 25° aniversário, este ano, ele cumpriu sua promessa. Mas ao invés de escolher a dedo alguns fãs para jantar, ele fez uma doação de 19 mil won em carne e doou para orfanatos em nome do ARMY. Seus fãs ficaram encantados e seguiram o exemplo se juntando a ele e fazendo suas próprias doações.

Quando o BTS se juntou em parceria com a UNICEF para a campanha antiviolência “Love Myself”, seus fãs se interessaram em ajudar e em dois dias arrecadaram 1 milhão de dólares para alimentação de crianças desnutridas.

Com o amadurecimento do septeto de adolescentes para jovens-adultos, suas letras ganharam mais seriedade. Assim como também sua franqueza em relação às questões que importam para eles. O grupo tem conhecimento que sua fama permite a eles ter uma grande voz e plataforma.

Trinta e seis sul coreanos cometem suicídio todos os dias, de acordo com números do Ministério da Saúde da Coreia. Enquanto o governo tem sido lento em dar atenção a esse problema, alguns integrantes do BTS falam abertamente sobre suas lutas contra a depressão. No recente documentário em série “Burn the Stage”, um fã disse, “Tem momentos que o BTS é a única razão pela qual eu acordo de manhã.”. No mesmo episódio, RM falou sobre como sua depressão previamente fez com que ele tivesse medo de estar no palco: “Eu era incapaz de aproveitar as coisas como eu deveria.” E na mensagem anual de fim de ano do grupo para seus fãs, SUGA frisou que, “Está tudo bem viver sem ter sonhos.”

Os integrantes do grupo sabem em primeira mão como a intensa pressão que muitos de seus compatriotas sofrem na época escolar podem afetar negativamente na saúde mental. Com suas músicas, o BTS diz a seus fãs para lutar e se manterem vivos. “Viva como você quiser, é sua vida de qualquer maneira,” eles cantam na vibrante “Fire”. Eles continuam o tema de sobrevivência em suas novas músicas, como é “Paradise”, onde eles dizem para seus ouvintes que está tudo bem em ter objetivos modestos: “Nós merecemos viver.”

E o governo sul coreano está ouvindo. Após a histórica conquista do BTS no topo do Billboard 200 nesta semana, o presidente Moon Jae-In disse, “BTS possui uma habilidade mágica de transformar tristeza em esperança, e diferenças em similaridades.” E nós concordamos.

 

Fonte: Rolling Stone
Trans eng-ptbr; Bia Rehm @ BTSBR


Publicado em 27.05.2018
[NEWS] Crítica: BTS – Love Yourself: Tear
Estiloso e ambicioso, Love Yourself: Tear é uma representação do BTS!

Apenas um mês após o lançamento de seu álbum japonês “Face Yourself”, a banda de K-pop BTS lançou seu terceiro álbum completo oficial, Love Yourself: Tear (Bighit Entertainment). Abordando tendências contemporâneas do pop, Tear fez uso do tropical house, atmosfera de sintetizadores elegantes e canto suave inspirado pelo R&B de uma forma muito mais sutil (se tratando do BTS) do que seu último lançamento. Até mesmo a colaboração com Steve Aoki, “The Truth Untold”, trocou o lado energético característico do DJ por uma balada suave ao som de piano, daquelas que inspiram a audiência a acenderem seus isqueiros (ou lanternas do celular) em uma arena durante um show. “134310” mistura uma vibe de hip-hop lounge com o som de uma flauta alegre, ao contrário do hit em colaboração com MNEK, “Paradise”, que traz um som eletrônico fino que é agradável aos ouvidos. “So What” é a música que chega mais próximo de ser tão empolgante quanto “Not Today” ou “Fire”, mas, ao contrário dos antigos hits, que trazem um som mais agressivo, “So What” aposta em uma energia de êxtase.

Estiloso e ambicioso, Love Yourself: Tear é uma representação do BTS em um pico focado e refinado, coeso o suficiente que passa a sensação de que foi feito em um único período específico, e não montado de maneira aleatória como alguns de seus últimos lançamentos.

 

Fonte; Neil Z. Yeung @ allmusic
trans eng-ptbr; fer @ btsbr


Publicado em 20.04.2018
[NEWS] As músicas do BTS transmitem uma mensagem sobre a sociedade coreana, aqui está o que eles estão dizendo
BTS nunca teve medo e abre a discussão sobre questões políticas.

As músicas do BTS transmitem uma mensagem sobre a sociedade coreana, aqui está o que eles estão dizendo. Mas suas letras também podem se aplicar aos fãs internacionais.

Enquantos vários artistas de K-pop cantam sobre romance, amizade, e festas, BTS nunca teve medo de quebrar com os moldes e abrir a discussão sobre questões políticas.

Mesmo a música de debut do BTS “No more Dr4eam” certamente não se esquivou de questões políticas na Coréia do Sul. Diz ao fãs que sigam seus sonhos, ao invés de fazer o que a sociedade espera deles.

J-Hope inclusive tem uma linha que apressa os ouvintes a “rebelar-se contra a sociedade infernal.” Várias pessoas notaram que isso é uma alusão ao apelido “Hell Joseon” o que descreve ao estado da Coréia com o seu foco extremo na educação e falta em carreiras para os indivíduos.

Similarmente, “N.O” faz referências ao foco na educação e toca na crença que escolas são somente responsáveis em tornar crianças em máquinas de estudos. A música também expressa o desejo de que isso mude

Enquanto “Dope” possa parecer um hino para festa de início, a música na verdade possui várias mensagens políticas. Durante o rap de RM, ele faz referência às “sampo, ohpo, e yookpo” gerações.

Isso é uma referência direta aqueles que são considerados por serem a terceira, quinta e sexta gerações e o que eles tiveram que desistir. Isso inclui desistir de relacionamentos românticos, casamentos, crianças, emprego adequado, ter casa própria e renunciando vida social.

RM também afirma, “Por que vocês estão nos matando antes de podermos tentar?”, o que aponta para aqueles que culpam a geração Y pelos problemas atuais chamando-os de preguiçosos.

Enquanto isso, “Baepsae” aborda a lacuna entre as gerações em relação à riquezas e oportunidades. Ao longo da música, os garotos fazem referência à metáfora popular da colher na Coréia do Sul.

Muito semelhante ao ditado de que uma pessoa rica nasce com uma colher de prata em sua boca, a versão Sul-coreana diz que cada pessoa nasce com um diferente tipo de colher que reflete a sua situação sócio-econômico.

Uma outra metáfora que aparece ao longo da música é a referência aos pardais (Baepsae)*. Há um ditado coreano que afirma que “se um pardal anda como uma cegonha, ele irá quebrar suas pernas.” Isso é geralmente citado como um aviso para pessoas ficarem no seu lugar e desencorajar aquelas pessoas vistas como classe baixa a alcançarem melhores lugares na sociedade.

*뱁새/Baepsae é um pássaro da família Paridae, e pode ser um termo para chamar alguém que destrói a si mesmo tentando imitar/copiar pessoas que são melhores do que ele.

Provavelmente uma das músicas com maior carga política do BTS, “Am I Wrong”, foca em alguns dos principais eventos noticiados no momento do lançamento.


Por exemplo, durante esse período o Ministro da Educação chamou pessoas comuns de “porcos e cães” e queria um sistema de castas. Suga menciona diretamente a isso em seu rap.

A música também mostra uma forte conexão com a tragédia de Sewol Ferry e seus posteriores efeitos no país.

Desde que BTS lançou “Cypher pt. 4” eles têm dado forte ênfase em amar a si mesmo. Como músicas como “Fire” dizendo para que você “viva como você quiser, é sua vida de qualquer forma”

Então temos “21st Century Girls” que encoraja as mulheres a serem indivíduos fortes com letras como “Diga a eles que você é forte. Diga a eles que você é suficiente.”

“Not Today” apoia os oprimidos e diz aos ouvintes que “corra se você não puder voar, ande se você não puder correr” enquanto pede para os ouvintes para nunca desistir dos seus sonhos para o futuro.

Enquanto o BTS talvez esteja fazendo colocações sobre a Coréia do Sul, suas letras são relevantes para os fãs internacionais também. Talvez isso seja a parte da razão pela qual eles se tornaram uma potência globa.

 

Fonte: Koreaboo
Tradução por Isabella @ BTSBR


Publicado em 04.02.2018
[NEWS] Redefinindo a masculinidade do jeito do BTS
BTS redefiniu a masculinidade de várias maneiras e o mais óbvio é como eles [...]

Numa época em que as construções da masculinidade são sufocantes e destrutivas, músicos asiáticos quebram barreiras e redefinem o que significa ser “másculo”. O grupo de K-Pop Bangtan Soneyondan (BTS), em particular, estão reimaginando a masculinidade – e é sobre muito mais do que como eles se vestem. Sua popularidade crescente significa que eles estão criando novos padrões de como ser um homem, artigo escrito por Shaazia Ebrahim e Fatima Moosa.

O tradicional padrão do crescimento masculino e masculinidade são constantemente mencionados nas ciências sociais como um ‘masculinidade tóxica’ por seu efeitos prejudiciais sociais e psicológicos.

A Masculinidade Tóxica é construído pelo machismo e define um homem real como quem é forte, controlado, dominante, sem emoções, racional, obcecado em sexo e intitulado a ser respeitado. Masculinidade também é enquadrado como o oposto de qualquer coisa nominada feminina ou queer – e ser tarjada como feminina ou queer é considerado ofensivo para aqueles que se enquadram nessa visão de masculinidade.

A masculinidade asiática foi menos fabricada do que outras construções da masculinidade – para  a fúria do homem asiático de hoje. Comunidade do Reddit como “Masculinidade Asiatica” demonstram o ódio de homens asiáticos que sofrem prejuízos da “feminização” – assim, “emasculação” de homens asiáticos pelos padrões ocidentais.

O ator Eddie Huang, cujas memórias foram transformadas na sitcom da ABC, Fresh Off The Boat, escreveu no New York Times sobre a singularidade da identidade do homem Asiático-Americano em cultura dominante: “Nós contamos bem, nos reverenciamos bem, nossa tecnologia é competente, nós somos naturalmente subordinados, nossa anatomia masculina é do tamanho de um polegar e nós nunca em milhares de milênios poderíamos ser uma ameaça a sua namorada.” Essa tão-chamada “emasculação” dos homens Asiáticos-americanos volta ao século 19, quando imigrantes homens asiáticos na América eram classificados como femininos por seu complexo pálido (pele). Em um jornal sobre a feminização de homens asiáticos, esses homens asiáticos são definidos como “Estranheza humana na mente dos brancos”. Os homens asiáticos eram mais baixos e magros, vestiam túnicas de seda, e eram considerados fora do comum e femininos por homens brancos. E isso conta uma história universal da feminização dos homens Asiáticos na cultura pop – e idéias sobre a masculinidade.

Mas os músicos asiáticos estão mudando o jogo. A coisa marcante nisso neles não é somente em abraçar a masculinidade asiática, mas também derrubar as noções ocidentais dessa masculinidade tóxica. Músicos asiáticos trocam perfeitamente entre o que é considerado feminino e o que é considerado masculino de uma maneira aterrorizante – e libertadora. Sua tremenda plataforma global fornece a eles significados de criar uma norma da masculinidade, mais orgânica e experimental.

BTS redefiniu a masculinidade de várias maneiras e o mais óbvio é como eles se apresentam fisicamente. Sendo fashionistas e expressando a si mesmos com a moda é considerado feminino. Mas todos os membros se vestem em roupas que evitam os duros padrões tradicionais de ternos ou jeans grandes e sem formato e suéteres de seus artistas de hip hop favoritos para silhuetas acentuadas que são decididamente femininos. O grupo não se inibe de cores pasteis, estampas brilhantes, glitter, lantejoulas, flores – e acessórios como brincos, anéis e gargantilhas.

O grupo sempre se apresentou com maquiagem completa numa perfeição como bonecos – seja com pele perfeita, iluminador perfeito ou olhos delineados. O BTS tem uma rotina de cuidados com a pele que envergonharia qualquer um de nós. Os membros também mudam a cor de seu cabelo com frequência, saindo de cinza desbotado para vermelho gritante e então azul como chiclete. Isto é revolucionário à cultura ocidental que abrangentemente condena o cuidado pessoal como feminino.

O BTS, lamentavelmente, passou por uma fase durante seu tempo de debut que foram submetidos à tóxica construção masculina. Em músicas como War Of Hormones, Boy in Luv e Danger, eles objeficam mulheres no centro da letra, como “Mulheres são como equações, nós homens só usamos elas. Use mais, seus saltos alto”. Porém, os dois escritores natos do grupo, RM e SUGA, responderam ás criticas, dizendo que a partir daquele momentos eles irão consultar fontes feministas para suas letras. Amadurecimento, eu te digo.

O aestético (visual) do BTS não é o único motivo pelo qual eles conseguiram transformar a ideia sobre a masculinidade. Eles não hesitam em ir contra a masculinidade de que homens não poder chorar, compartilhar seus sentimentos e mostrar emoções. Eles choram, eles demonstram seus sentimentos completamente, sem fazer isso parecer que é um grande caso. Não teve uma premiação que o grupo ganhou um prêmio em que eles não choraram, lágrimas escorrendo por seus rostos claramente mostrando o quanto isso significa a eles.

Tem incontáveis vídeos no YouTube e V-Live onde o grupo senta-se juntos e conversam sobre suas esperanças, sonhos e ansiedades. Em umas das séries do grupo chamada “Bon Boyage”, onde eles saíram de férias no Havai, eles escreveram cartas uns aos outros sobre o quanto o outro membro significa para ele, livremente compartilhando seus sentimentos.

Outro do lado do BTS que eles falam sobre são as doenças e problemas mentais. Tradicionalmente a sociedade coreana é construída dos valores do Budismo e Confucionismo sobre a sobre diligência e estoicismo, de acordo com o documento de pesquisa de Berkeley. Enquanto isso não afeta diretamente nas conversas sobre doenças mentais, a pesquisa diz que isso criou um estigma na cultura envolvendo o assunto. Os membros do BTS, especialmente SUGA, frequentemente falam sobre sua luta com os problemas mentais.

SUGA lançou uma mixtape inteira sobre o nome de Agust D, onde ele documenta sua luta com a depressão, fobia social e TOC. O grupo também escreveu diversas músicas onde falam sobre a pressão social dos pais, professores e outros para serem os melhores. Não apenas para mudar a masculinidade mas o BTS consegue definir o jeito em que a juventude deve ser vista na sociedade.

Um artigo da Daily Dot menciona, “K-Pop não é uma pomada que cura todas as coisas erradas na construção masculina. Esses ídolos comemoram quem eles são com as pessoas que os ama – e os gêneros são esquecidos. Nós estamos todos simplesmente juntos ali, exuberantemente aprendendo quem nós somos”. E isso é importante para que todos sejam capazes de se expressar verdadeiramente quem são de uma maneira que não os amarre aos papéis de gênero arbitrários.

Homens deveriam ter liberdade para serem lindos, desejados e estilosos como eles desejarem. Homens deveriam ter liberdade para se expressarem com autenticidade, seja vestindo lantejoulas e iluminadores ou calças largas e barbas. Homens deveriam ter a liberdade de chorar, e mostrar seus sentimentos e falar sobre problemas mentais. As pessoas deveriam ter liberdade para abraçarem quem eles são além dos confins do arbítrio dos papéis de gênero.

E apesar da crescente influência dos musicas asiáticos agora mundiais tem orquestrado: homens asiáticos podem agora abraçar sua identidade com toda sua complexidade e permitirem-se a serem seus verdadeiros-eu sem se sentirem “emasculinados”.

 

Fonte: The Daily Vox
Tradução e adaptação por Isabella @ BTSBR


Publicado em 05.01.2018
[NEWS] LINE FRIENDS BT21 do BTS traz milhares de fãs à abertura na Times Square
Esse ano o BTS foi visto no topo das paradas, quebraram recordes e agora [...]

Esse ano o BTS foi visto no topo das paradas, quebraram recordes e agora eles são designers, graças a sua recém-lançada colaboração com o Line Friends.

BTS e seus personagens da marca, que é um aplicativo coreano de mensagens chamado Line, lançou sua coleção BT21 último sábado (16 de Dezembro) em Nova Iorque e Seul. Fãs vieram aos montes para a locação na Times Square, com a Line Friends reportando um média de 35,000 visitantes no dia da abertura.

Uma multidão de fãs lotaram a loja de Nova Iorque cedo da manhã com uma fila antecipada de 2,000 antes da abertura, e a loja ficou aberta até mais tarde para aqueles que não conseguiram fazer suas compras antes do horário de encerramento previsto, as 1h00 am. Apesar dos flocos de neve estarem na região no dia anterior, fãs disseram que chegaram na fila às 04h00 am para a abertura as 09h00, onde os clientes foram recebidos com uma comemoração dos funcionários. A fila lenta-porém-organizada quase contornou um quarteirão inteiro da Times Square.

A loja de Seul presenciou uma multidão similar, com quase 1,000 visitantes formando fila antes da abertura.

Na sexta-feira (22 de Dezembro), uma segunda onda de fãs chegaram a loja graças ao lançamento de novos itens.

Entre o lançamento dos produtos, a conta oficial de Twitter da BT21 compartilhou que a loja temporária em Boontheshop Cheongdam em Seul esgotou a maioria de seus produtos relacionados a marca BT21, assim como produtos do grupo e as lamy pens. A loja de Nova Iorque permaneceu bem em estoque ao decorrer da semana, porém com o estoque limitado de certos produtos foi criado o limite de 10 items por cliente.

BT21 é uma coleção de roupas e itens baseados no design de 8 personagens criados pelos sete membros do BTS. Em Outubro, o CEO da Line Friends America, Sehoon Chang, contou à Billboard que sua colaboração iria focar fortemente em roupas de street wear; e no dia da inauguração, a loja de Line Friends em Nova Iorque foi estocada com almofadas, pelúcias, casacos e outros itens dos personagens da BT21, enquanto chaveiros e mais pelúcias foram adicionados a linha na sexta-feira.

A linha em colaboração irá continuar a lançar itens em breve, como mochilas, chaveiros e bonecos em stand que serão disponibilizados no dia 22 de dezembro. Os produtos da BT21 não estão disponíveis online no momento, mas as vendas estão previstas para começar no inicio de 2018.

https://twitter.com/BT21_/status/942231020278915072

Fonte: Billboard
Tradução por Isabella @ BTSBR


Publicado em 13.12.2017
[NEWS] O ano do BTS: Os maiores momentos do grupo em 2017
2017 foi o ano do BTS!

2017 foi o ano do BTS!

O grupo rompeu as barreiras e deixou sua marca na América e provou que vieram para arrasar alcançando números impressionantes e batendo recordes atrás de recordes, entrando até mesmo para o livro dos recordes!

O septeto sul coreano trouxe sua coreografia energética, hits pop irresistíveis e personalidades charmosas e arrebatou os EUA, desde o BBMAs, Love Yourself: Her, a chegada no aeroporto LAX que nos lembrou das multidões de seguidores dos Beatles até seu mais recente single-remix ‘MIC Drop’ que alcançou posição #28 no Hot 100 da Billboard.

 

Billboard Music Awards

BTS já era um dos maiores artistas em sua terra natal, mas eles chocaram a indústria musical quando venceram de nomes como Justin Bieber e Selena Gomez e levaram o prêmio de Top Social Artist no BBMAs 2017 em maio. O grupo fez história ao ser o primeiro do gênero a conquistar tal vitória, mas a participação deles na cerimônia se provou ir muito além de “só” fazer história.

O grupo fez grande uso da noite ao conhecer artistas como Desiigner, Steve Aoki, The Chainsmokers, Camila Cabello, Halsey… E lançando material em parceria com alguns dos listados acima e fazendo seu nome ser ainda mais conhecido.

Love Yourself: Her

O grupo lançou o que viria a ser o mini-álbum de maior sucesso da carreira deles em setembro em meio a muita expectativa. O lançamento destruiu recordes com mais de 1 milhão de pedidos durante a pré-venda na Coreia, chegou no topo do iTunes Albuns em 73 países, o maior lançamento já visto para um artista sul-coreano. Her foi o ponto de virada da carreira do BTS, e provou mais uma vez a força global do septeto.

O single-promocional, “DNA” não ficou atrás e alcançou resultados impressionantes, ficando durante quatro semanas consecutivas no Hot 100 e se tornando o maior hit de um grupo de k-pop nos EUA da história. O vídeo-clipe da música também se tornou o sexto vídeo musical mais visto em 24 horas no mundo; na frente da gigante Taylor Swift com “…Ready for It” e “Bad Blood” como também de “Anaconda” da Nicki Minaj.

2017 BTS Live Trilogy Episode III: The Wings Tour

<IMG 1>

Poucos artistas lotam casas de shows e estádios como o BTS. E menos ainda podem se orgulhar de lotar por completo uma turnê mundial com 40 shows que passaram pela Ásia, Américas e Oceania com um público total estimado em mais de meio milhão de pessoas!

O BTS se apresentou e viajou o mundo durante sete meses levando seu show com os maiores sucessos do grupo e apresentações solo dos integrantes para lugares como Brasil, Chile, Hong Kong, Japão, Estados Unidos , Austrália entre muitos outros.

Vale dizer que nos dois dias de show no Brasil a receita bruta foi de aproximadamente 1,2 milhões de dólares!!  Sem dúvidas a maior turnê do grupo e também a primeira a contar com shows em um estádio com público para 40 mil pessoas por noite, em Osaka, Japão.

American Music Awards

Com a popularidade ocidental crescente, o BTS foi uma das principais atrações do AMAs 2017. Sendo os penúltimos a se apresentar, o grupo não decepcionou e arrebatou a muitos com sua impecável coreografia e forte presença de palco durante “DNA”.

“Será uma oportunidade de alcançar novos fãs e mostrar que nossa música e apresentações são algo com que eles possam se identificar, mesmo que a letra seja em coreano,” disse RM em uma das entrevistas durante os dez dias que o grupo passou nos EUA se preparando para a o que veio a ser sua grande estréia na TV norte-americana.

Recorde Mundial do Twitter

ARMY estava lá também para dar apoio ao grupo na platéia e também online, uma semana após o AMAs, o Guinness revelou que BTS oficialmente são os que recebem mais engajamentos no Twitter no mundo todo, como também o grupo de música com mais engajamentos.

O septeto recebe em média um número impressionante de 250 retweets por tweet segundo números oficiais do Twitter. É isso aí, ARMY!

 

“MIC Drop” Remix

BTS continuou a quebrar recordes com o lançamento do remix de “MIC Drop”, que contou com a participação de Desiigner e Steve Aoki. Apenas algumas horas após o lançamento da música o grupo se tornou o primeiro do gênero a alcançar o topo do iTunes norte-americano — e a hashtag #MicDropRemix se tornou tendência mundial no Twitter.

O remix também entrou para o top 40 da Billboard Hot100 na posição #28, o que também fez do BTS o primeiro grupo do gênero a alcançar tão grande resposta e ótimos resultados no ranking.

MAMA

 

E se alguém tinha dúvida da força do nome BTS, o MAMA 2017 fez com que todos se certificassem do poder que o grupo tem dentro (e fora) do K-Pop. Fechando a cerimônia como o grupo mais esperado da noite, o septeto não economizou no espetáculo que foi os quase 16 minutos de apresentação com direito a coreografia inédita e muita presença de palco.

Por fim, o BTS levou o principal prêmio da noite, o Daesang de Artista do Ano pelo segundo ano consecutivo o que faz deles os únicos artistas a receber tal prêmio consecutivamente.

Love Myself

<IMG 2>

E por fim, mas de maneira alguma menos importante, a parceria do BTS com a UNICEF em apoio ao fim da violência infantil e contra a mulher. O grupo apoia a campanha #ENDviolence e se comprometeu a doar 3% de todo o lucro com as vendas de álbuns da série Love Yourself, que até o momento só conta com Her que oficialmente já ultrapassou a marca de 1 milhão de cópias físicas vendidas. Além de um valor em dinheiro já doado pelo septeto e a empresa Big Hit Entertainment, o BTS também lançou produtos oficiais com o logo ‘Love Myself’, que serão 100% revertidos em prol da campanha anti-violência.

 

Fonte: et online
Trans eng-ptbr; Bia Rehm @ btsbr


Publicado em 22.11.2017
[NEWS] J-Hope fala sobre suas experiências nos Talk Shows no EUA
J-Hope fez uma live com os fãs e falou sobre as gravações para os Talk Shows.

No dia 17 de novembro, J-Hope tirou um tempo para fazer uma live com os fãs e falou sobre as gravações para os Talk Shows no EUA.

Nessa live, J-Hope disse “Assim que chegamos nos Estados Unidos, nós tivemos um bom cronograma. Foi uma experiência muito chocante”. E continuou “Nós fomos em programas que eu normalmente assisto pelo YouTube e gravamos para os Talk Shows americanos. Nós também conhecemos James Corden e gravamos para o Jimmy Kimmel Show. Foi tudo muito novo, eu fiquei muito surpreso”.

E ainda acrescentou “Acho que irá parecer mais real, quando retornarmos à Coréia e assistirmos as transmissões. Mas até agora ainda estou surpreso e não parece real, então acho que quando voltarmos para a Coréia e assistirmos irá parecer mais surpreendente ainda”.

J-Hope também respondeu perguntas dos fãs sobre planos para sua mixtape e falou “Estou me preparando para isso. Penso que devo organizar as faixas da mixtape”. J-Hope ainda falou sobre o amor do grupo pela comida coreana e o próximo show do grupo em Seul.

 

Fonte: Soompi
Trans eng-ptbr; Vii @ btsbr


Publicado em 18.10.2017
[NEWS] Misteriosos dirigíveis do BTS são avistados pelo céu da Coreia do Sul
Confira sobre os dirigíveis que estão sobrevoando o país sul coreano!

No dia 16 de outubro vários dirigíveis com o rosto dos integrantes do BTS foram avistados voando pelo céu de diversas cidades da Coreia do Sul e chamaram a atenção dos fãs.

Um dirigível com a foto de Jin foi visto voando pela cidade de Gwacheon, cidade natal do vocal e integrante mais velho do grupo. Além da foto as frases “Love Myself” [TRAD: Amo a mim mesmo.] e “I Will Always Love ARMY” [TRAD: Eu sempre amarei os ARMYs.] também estavam estampadas no dirigível.

Em Busan, cidade natal de Jimin e JungKook, um dirigível de Jimin foi visto e também vinha acompanhado da frase “Love Myself” e também “I Love the Sea of Busan” [TRAD: Eu amo o mar de Busan.]

Em relação aos misteriosos dirigíveis uma fonte da Big Hit Entertainment comentou, “Dirigíveis individuais dos integrantes são um novo tipo de projeto que planejamos dar continuidade. Detalhes específicos ainda serão revelados.”

O grupo finalizou as promoções de Love Yourself: Her com grande sucesso e agora se prepara para continuar com sua turnê de shows que terá datas em Taiwan nos dias 21 e 22 de outubro.

 

Fonte: Soompi

Trans eng-ptbr; Bia Rehm @ btsbr

 


Publicado em 15.10.2017
[NEWS] “Love Yourself: Her” define novo recorde no Gaon Chart após 16 anos com 1.2 milhões de álbuns vendidos
BTS faz novo recorde na história do K-Pop com "Love Yourself: Her"!

No dia 13 de outubro, Gaon Chart divulgou a tabela mensal de álbuns do mês de setembro de 2017, mostrando que o álbum do BTS, Love Yourself: Her em primeiro lugar. Mesmo sendo lançado apenas no dia 18 de setembro, 1.203.533 cópias do álbum foram vendidas.

Essas vendas são as mais altas na história do Gaon Chart para um álbum (não sendo repackage). Anteriormente, o grupo “g.o.d” vendeu 1.441.209 cópias em seu quarto álbum em 2001. Isso significa que é essa a primeira vez que mais de 1.2 milhões de cópias de um álbum foram vendidas em 16 anos.

Além disso, BTS vendou 1.120 milhões de cópias do novo álbum apenas na pré-venda. Mais de 760 mil álbuns foram vendidos na primeira semana de seu lançamento. Somando com o sucesso das vendas físicas, o grupo conseguiu um resultado impressionante em diversas tabelas musicais ao redor do mundo.

Enquanto isso, BTS está atualmente em turnê no Japão para seu primeiro show em um estádio.

Parabéns, BTS!

 

Fonte: Soompi
Tradução pt-br: Vics @ BTSBR


Publicado em 15.10.2017
[NEWS] “DNA” MV: Os melhores momentos de beleza
Vamos analisar cada momento de beleza de cada membro!

Na manhã do dia 18 de setembro, o grupo extremamente popular de K-Pop, BTS, lançou o MV para seu novo single “DNA”, como também seu álbum novo em folha HER. (Eu quero acordar com um novo conceito do BTS todas as manhãs.) Eu achei que os teasers do vídeo e as fotos do comeback seriam suficientes para preparar minha mente, corpo e espírito para os quatro minutos e 15 segundos de “DNA”, mas eu realmente não estava preparada.

Não estou pronta para admitir quantas vezes eu assisti ao MV, mas foi o suficiente para que “DNA” ficasse grudado na minha cabeça, palavra por palavra. E como eu sou uma repórter de beleza, eu não posso simplesmente assistir aos MVs do BTS apenas por sua invejável e impressionante coreografia e seu estilo brilhante e colorido. Meu cérebro disseca cada segundo em todos os melhores momentos de beleza sem nem ao menos perceber. E, nossa, como “DNA” traz tudo isso à tona. O cabelo e a maquiagem é tão BTS e tão certo. Era uma extravagância de olhos esfumaçados, cabelos arco-íris e lábios brilhantes.

JungKook

Antes de mais nada, esse tom de castanho claro é provavelmente o mais claro que eu já vi Jungkook usando (e que verei daqui pra frente). Combinado com um look despenteado e lábios brilhantes, o maknae de ouro do BTS veio com tudo para atacar.

Outros momentos incríveis dele foram tão discretos que você pode até ter perdido, como sua pele luminosa e a maquiagem sutil ao redor dos seus olhos.

V

Sou só eu ou a cor do cabelo do V fica completamente diferente em todas as cenas? Vai de castanho claro para castanho com luzes azuis e depois cinza azulado. Eu não conseguia acompanhar. Todas as mudanças aconteceram graças ao filtro do MV, mas ainda assim. De qualquer forma, estou muito feliz que a franjinha que ele apareceu mostrando no Twitter não fez nenhuma aparição inesperada. Eu fiquei com medo de que elas ficassem gravadas na história do K-Pop para sempre.

 

Em um momento, os lábios do V pareciam vermelhos. Efeitos especiais provavelmente fizeram isso acontecer, e não Nars Rita*. Se ele realmente tivesse passado um batom no tom vermelho-maçã, eu iria gostar de ver isso de perto.

J-Hope

Ninguém fica melhor com o cabelo cor de abóbora do que o J-Hope. Tenho certeza que eu não sou a única que ficou feliz pelo retorno desse tom alaranjado. Durante uma das sequências de dance, o cabelo dele parecia tão macio e brilhante. Em nome de todo mundo que já descoloriu e/ou pintou o cabelo antes, por favor, nos conte seus segredos, J-Hope.

Ele pode ou não ter usado um batom meio laranja durante essa parte do MV. Você acha que é da Etude House*? (Eu peço desculpas por esse print estranhamente calculado. J-Hope é muito expressivo para conseguir tirar um print neutro.)

Cabelos e maquiagens monocromáticos foi o principal tema de beleza em “DNA”, e o visual acobreado de J-Hope, incluindo sua sombra, foi oficialmente adicionada ao meu quadro inspiracional de outono.

RM

Para ser sincera, RM quase não tem momentos notáveis de beleza em “DNA” (ele compensa em suas letras e rap, é claro). Seu cabelo jogado estava adorável. E eu como eu já comentei quando BTS revelou seus cabelos para esse comeback, eu adoro ver RM mostrando a testa.

Se você olhar de perto, você pode ver a maquiagem esfumada geralmente discreta ao redor de seus olhos, que ele também usou durante BBMAs.

Jin

“Dark Jin” pode muito bem ser o meu Jin favorito. “Pink Jin” antigamente se mantinha no topo, mas “DNA” me fez mudar de ideia. Ele está surrealmente lindo com esse cabelo preto.

Olha só pra ele com essa vibe de cabelo-de-quem-acabou-de-acordar atrás do Rap Monster. Estou fraca.

Aliás, podemos discutir como o Jin tem os lábios mais carnudos do K-Pop? Na próxima vez que eu fizer um preenchimento labial, eu vou mostrar uma foto da boca do Jin para o meu dermatologista.

Jimin

O momento mais óbvio de beleza do Jimin é claramente o seu cabelo loiro ondulado. É tipo uma versão 2017 do famigerado cabelo platinado do Justin Timberlake — na melhor maneira possível.

Claramente, Jimin continuou com seu reinado como o rei do olho esfumado em “DNA”. Eu já estou ansiosa para todos os tutoriais de maquiagem que vão surgir no YouTube para esse look. Eu quero recriar essa tonalidade.

SUGA

Eu ainda não superei o cabelo azul do SUGA. Vê-lo em ação fez meu coração palpitar. Eu tenho problema de coração, então pode ter sido isso.  Mas o excesso de fofura é incontestável. Só olhe pra mim. Eu sei que ele nega a teoria de que ele pinta o cabelo de acordo com as cores de cada álbum, mas combina tanto com HER. Eu respeito um homem que se adequa ao tema.

O cabelo cinza do SUGA também reapareceu. Não, eu não estou chorando. Eu só estou com uma alergia agora.

Você pode assistir ao MV de “DNA” abaixo, e escolher seus momentos de beleza favoritos!

*Marcas de batom americanas.

 

Fonte: Allure
Tradução pt-br: Vics @ BTSBR


Publicado em 12.10.2017
[NEWS] BTS quebra recorde ao manter um álbum três semanas consecutivas na Billboard 200
E o grupo não para de impressionar, BTS quebra mais um recorde!

Jeff Benjamin, colunista de K-Pop da Billboard, postou em seu twitter uma matéria sobre mais um recorde quebrado pelo BTS com o novo álbum, ‘Love Yourself: HER’.

[TRAD] A história continua. @BTS_twt quebra seu próprio recorde com o único álbum de K-Pop a passar três semanas na Billboard 200.

 

trans eng-ptbr; Amanda @ btsbr
via; jeff__benjamin @ Twitter


Publicado em 05.10.2017
[NEWS] BTS explica o conceito por trás do álbum ‘Love Yourself: Her’: ‘Esse é o começo do nosso segundo capítulo’
Do significado de “Go Go” ao por quê o grupo precisou exibir a vitória no [...]

Do significado de “Go Go” ao por quê o grupo precisou exibir a vitória no BBMAs, RM explica tudo.

Poucas horas antes do lançamento de Love Yourself: Her, o significado do álbum não estava perdido junto ao líder do grupo, RM.

“É realmente um passo enorme para nós,” o rapper/compositor/produtor de 23 anos disse à Billboard durante uma entrevista por telefone de Seul. “Claro que todos os membros estão muito animados com o álbum. Estivemos ensaiando até agora, dia e noite, para mostrar as músicas novas e performances aperfeiçoadas. Eu deixei uma mensagem em nosso fan cafe outro dia, depois que terminamos, dizendo que ‘esse mini-álbum marcará uma reviravolta para o BTS’ e mesmo que a espera tenha parecido muito longa com esse álbum — acho que foi o grande evento, BBMAs, que foi em maio — muita coisa aconteceu.”

A espera foi particularmente antecipada para os fãs notavelmente apaixonados do grupo, conhecidos como ARMY, que vêm esperando por novas faixas de RM, Jimin, SUGA, J-Hope, Jin, V e JungKook depois de votarem para Top Social Artist no Billboard Music Awards 2017, ultrapassando nomes indestrutíveis como Justin Bieber, Ariana Grande, Selena Gomez e Shawn Mendes.

Desde então, o BTS conseguiu acordos de distribuição de álbuns com a Amazon e a The Orchard (“Acreditamos que álbuns físicos ainda contam e é muito importante que nos conectemos com nossos fãs ao redor do mundo,” disse RM), e saíram com sensações mundiais como Major Lazer, Halsey, Charli XCX (“Talvez seja meu sexto sentido, mas acho que vamos colaborar com ainda mais artistas interessantes,” acrescentou); até mesmo arranjando a produção de uma batida para Love Yourself: Her com The Chainsmokers.
Uma única ouvida do álbum super-produzido — que teve grande impacto na Billboard 200 — e fica clara a palpável paixão da intensa faixa título “DNA”, os comentários de cunho social em “Go Go”, entre muitas letras e momentos que parecem tiradas diretamente das jornadas pessoais dos membros. Há muita paixão, também, na voz de RM ao falar sobre essas novas músicas, como vê e encara o grande quadro e a mensagem do último lançamento com faixas repletas de EDM com pensamento pioneiro, hip-hop e pop do grupo. Continue lendo para a análise profunda de Love Yourself: Her da Billboard com RM:

Vamos começar pelo começo, com “Serendipity”. Por que essa foi a escolha certa para a intro do álbum e para começar uma nova era?

Quando escrevi a letra, melodias e os primeiros temas para “Serendipity”, eu tentei vir com coisas que você encontra raramente na vida, algo muito especial, como o gato tricolor*; coisas que têm significados extraordinários na vida das pessoas. Eu queria dividir esse momento.

N/T: Em inglês, “calico cat”.

 

Eu li a letra e reparei que é neutra em termos de gênero, o que acho ser muito poderoso. Isso foi uma decisão consciente?

A letra foi baseada em coisas raras e especiais da vida. Então, eu pensei que esses sentimentos transcendem gênero, cultura e barreiras entre as pessoas.

Nós sempre lançamos a “Intro” logo antes do lançamento da nossa faixa título, então a intro toma o papel de contar o conceito do álbum. Mas “Serendipity” foi, na verdade, a música certa para compartilhar os sentimentos da nossa faixa principal, “DNA”. Ela fala sobre como nossos DNAs são conectados no universo, e eu acho que esse foi o sentimento certo para esse álbum



Vamos falar sobre “DNA”. Como a faixa dá continuidade e progresso à história do BTS?

Quando falamos de nossas faixas título, “DNA” é sobre a expressão de um amor jovem e intenso. A letra diz, “nós dois estamos destinados a estarmos conectados desde o começo, nosso DNA é o mesmo”. Ao mesmo tempo, “DNA” está levando o BTS a novos caminhos. Tentamos aplicar perspectiva e gramática novas — se você escutar a música, entenderá o que estou tentando dizer –, é bem diferente de nossas músicas antigas, tecnicamente e musicalmente. Eu acredito que seja o ponto de partida do segundo capítulo de nossa carreira; o começo do Capítulo Dois.

“Best of Me” é realmente impressionante. Tem o som do The Chainsmokers, mas também tem o som do BTS. Vocês não se perderam, o que não é fácil quando se colabora com novos artistas. Como foi o processo?

Eu amo essa faixa! Nos conhecemos no BBMAs, foi muita sorte. Na verdade, [The Chainsmokers] nos convidaram para o show deles outro dia — eles fizeram um show enorme na Coreia e cantamos “Closer” juntos. Para “Best of Me”, eles nos deram diversas faixas e samples há alguns meses, nós e nossos produtores escolhemos um sample, tipo, “OK, isso combina com o nosso próximo álbum”.  Então trabalhamos nisso, mandamos para eles, perguntamos o que eles acharam da faixa que criamos e escutamos suas opiniões. E conseguimos! Estou muito animado [risos].

 

Seus álbuns sempre têm comentários sociais profundos. Vamos falar sobre os tópicos abordados nesse lançamento. “Go Go” vem à mente instantaneamente.

“Go Go” é uma música “da moda”, mas é sobre como a nossa geração mais jovem está vivendo suas vidas com expectativas baixas então as pessoas estão decepcionadas com a realidade; têm pouca esperança e há muitas dificuldades econômicas. Nós queríamos falar algo sobre isso e enfatizar ao mundo que isso não é escolha deles, mas a realidade brutal que força as pessoas a viver e gastar como se não houvesse futuro.

 

Mas na Coreia, “YOLO”* tem se tornado uma grande palavra-chave para os jovens porque não temos dinheiro e é muito difícil ter a chance de ganhar muito dinheiro. Eu acho que a sociedade traz muitos problemas para os jovens. Eles gastam dinheiro em máquinas de garra [para pegar brinquedos] em fliperamas e gastam tipo $30 tentando pegar os bonecos. E aí é tipo, “Ah! Gastei todo o meu dinheiro… droga. Mas não me arrependo”. Esse é o maior luxo para os jovens na Coreia: colecionar acessórios, cosméticos, e é o que pensam ser luxo. É “YOLO” porque é, tipo, “Eu vou comprar tudo isso! Eu vou comprar toda essa comida e vou comer! Eu vou fazer isso!” É triste porque é tudo que podemos fazer. “Go Go” está dizendo, “OK, faça, não vamos nos arrepender. Gaste muito dinheiro na máquina e coma a comida!” Mas, ao mesmo tempo, a música é muito fácil de cantar junto então eu acho que muitas pessoas irão gostar dessa música, especialmente se entenderem o significado mais profundo.

 

N/T: *“YOLO” é a sigla inglês para ‘you only live once’, ‘você só vive uma vez’.

 

Claro, eu preciso perguntar sobre fazer do seu discurso do BBMAs um interlúdio skit no álbum.

Você precisa ouvir “Mic Drop” porque o skit foi o meu discurso no BBMAs — porque esse foi um grande momento da nossa história — e colocamos “Mic Drop” logo depois porque é como se estivéssemos nos exibindo — tipo, “OK, é isso. Não não precisamos nos importar com mais nada”. Esse foi o skit e a música certa para o álbum.

 

A última música, “Outro: Her” realmente falou comigo. É quase como um diário.

Ha! [Risos]

 

Depois de falar com você, me parece que resume bem o álbum como um todo e  [a faixa, “Outro: Her”] é realmente introspectiva.

Eu acho que foi o meu trabalho mais rápido desse álbum. Eu escrevi o verso em vinte minutos; ele veio, sinceramente, do fundo do meu coração. Pensei que era o outro certo para esse álbum porque é realmente uma variedade de emoções — eu digo que conheci essa pessoa que eu realmente amo, essa pessoa é o amor da minha vida nesse momento, estou dizendo que eu estou confuso e estava procurando pelo amor e esse mundo é complexo. Mas eu acho que é você então, “eu a chamo de ‘ela’, porque você é minha lágrima”, “você é o começo e o fim de mim”. É isso que estou dizendo: você é meu espanto, mas também minhas respostas. Você é minha “ela”, mas também minha “lágrima”.

O gancho [da música] diz que o amor não é sobre felicidade, não é só sobre alegria, só sobre deleite. Se você quer amar uma pessoa, é preciso que saiba que terão lágrimas e pode até ter ódio nelas. Eu acho que um amor realmente inclui tudo isso. Era isso que estava tentando dizer. É complexo.

 

E se os fãs são sortudos o suficiente para ser o álbum físico, eles ouvirão duas faixas extras escondidas. Por que manter em segredo?

Eu acho que são escondidas porque você precisa ser um fã de verdade do BTS para entendê-las. Caso contrário, ficariam, tipo “por quê eles estão tão confusos sobre as coisas? Eles são bons?!? Eles são n.º 1 em algum lugar, eles têm tantas coisas, por quê estão preocupados?” As pessoas sempre falam sobre isso. Mas se você é um verdadeiro fã do BTS e você compra o álbum e escuta as faixas extras — se você é um ARMY que passou tempo com a gente desde 2013, 2014 –, você pode entender. É mais especial, mais próximo dos nossos verdadeiros corações.



Fonte; Billboard
Trans eng-ptbr; nalu @ btsbr