btsbr.co.vu/archive & btsbr.wordpress.com
SITE: Bangtan Brasil - Fã Base
VERSÃO: 1.3 - WINGS BLUE
DESDE: 29.03.2013
VISITAS: ARMYs
Bulletproof Boy Scouts (em coreano: 방탄소년단) é um grupo masculino sul coreano de hip-hop formado pela Big Hit Entertainment. Geralmente conhecidos como BTS, são também chamados de Bangtan ou Bangtan Boys. Eles estrearam em 13 de junho de 2013 com sua.. LEIA MAIS
SEJA BEM VINDO AO BANGTAN BRASIL, A PRIMEIRA E MAIOR FÃ BASE BRASILEIRA DO BTS. FEITA DE FÃ PARA FÃ!

Tag: RM

Publicado em 25.09.2018
Inserindo Nietzsche na música: RM celebra o amor próprio em “Champion”
A parceria entre o rapper-gênio-lírico e o grupo pop-punk que nós sonhamos

Do nada, o Fall Out Boy lançou um remix de sua música “Champion” surpreendentemente apresentando o rapper sul-coreano RM, popularmente conhecido como líder do grupo BTS, que vem dominando o mundo. A música serve como um hino para aqueles que atualmente estão lutando contra as dificuldades da vida, um tema que o Fall Out Boy abordou incontestavelmente em toda sua discografia. Esta não é a primeira vez que a banda de pop-punk faz uma colaboração com um rapper, tendo trabalhado anteriormente com 2 Chainz e Juicy J.

Mas o que é inovador, na verdade, é ter um gênio lírico que incorpora os trabalhos de um dos filósofos mais incompreendidos de todos os tempos em seus versos. Em uma entrevista à Dazed Magazine, RM mencionou que ele incorpora muito de Friedrich Nietzsche em seu trabalho e no trabalho do BTS. Em “Champion”, RM versa sobre esperança e amor-próprio em uma época de tormentas através dos seus versos ferozes.

Imediatamente no início da música, pode-se observer o paralelismo entre os dois. RM começa fortemente com:

“Eu deveria ser uma estrela? Baby, eu acho que já sou / não um santo, não tão bom.”

RM pode não estar se referindo à imagem do sucesso, mas ao que Nietzsche chama de “Estrela da Dança”. Uma das citações famosas do filósofo é:

“É preciso ter um caos dentro de si para poder dar luz à uma estrela dançante.”

Uma estrela dançante é como Nietzsche descreve o conceito do Ubermensch ou “o overman”, um grande ideal que ele possui para a humanidade. Nietzsche é frequentemente associado ao niilismo, possivelmente devido à sua controversa citação “Deus está morto”. No entanto, o Ubermensch é, na verdade, sua solução para o niilismo. RM também ecoa isso claramente, se opondo ao suicídio, que é o resultado do extremo niilismo. Ele avisa:

“Não tem que ser alguém, seja qualquer um / prefiro ser qualquer um do que viver em um corpo morto.”

O Ubermensch é a estrutura de Nietzsche para viver uma vida plena. A sociedade colocou certos valores acima de outros, como riqueza e sucesso, a fim de nos distrair da realidade do nosso próprio sofrimento. RM diz em seu rap:

“Lembre-se, o homem me disse que esta vida é uma festa / Sim, toda a glória é tão curta que você deve por todo o lixo lá fora”.

Ele até diz: “O normal não é normal, comum é um luxo”, o que significa que a aceitação social é recompensada apenas aos que se conformam. O resultado é que uma pessoa seja desencaminhada de seu caminho para a auto-realização. Mas com o Ubermensch, seu sistema de valores naturalmente resultará em auto-realização, porque ele escolhe ficar sem tais padrões e criar seu próprio sistema de valores. Mas, como RM versa:

“Se você quer entender, permaneça abaixo.”

Este deve ser um dos paralelismos mais claros com o Ubermensch. Nietzsche mencionou várias vezes que para uma pessoa se tornar um Ubermensch, ele deve primeiro “ir abaixo” ou comprometer-se a sua busca, apesar das dificuldades e confusões que ele irá encontrar quando for na direção contrária a sociedade.

Na referida entrevista, RM menciona “amor fati”, que é o latim para “amor ao destino”. Para o Ubermensch, ele aceita que o mundo está quebrado e que há algumas coisas que ele não pode mudar. Portanto, ele começa consigo mesmo e, ao fazê-lo, diz sim para viver e encontrar significado neste mundo. RM continua seu rap dizendo como ele escolhe continuar vivendo em um mundo cheio de males, e termina sua parte na música poeticamente e poderosamente:

“Vou casar com esse maldito mundo por conta própria / E me colocar um maldito anel.”

Fall Out Boy e BTS são bandas definitivamente populares entre os jovens. Em tempos como o que estamos vivendo, onde o estresse crônico e a ansiedade são epidemias entre os jovens, “Champion” é definitivamente uma música que eles precisam ouvir. Em vez de tentar consolar uma geração quebrada, que muitas vezes parece vazia, RM os ensina como aceitar e até abraçar a vida por suas dificuldades e lutas. No entanto, ele empondera o ouvinte ao dizer que a solução não está no suicídio ou em qualquer outro lugar, mas reside em si mesmo.

 

Fonte: Anna Cayco via Medium
Trans eng-ptbr; Caroline Piazza @ btsbr

 


Publicado em 24.09.2018
🎥 Discurso do BTS na Assembleia Geral da ONU para #Youth2030
Assista ao vídeo legendado em português pela Equipe da Bangtan Brasil

RM e o BTS estiveram na 73ª Assembleia Geral da ONU em Nova York em 24/09/2018 para o lançamento da Campanha #Youth2030.


Publicado em 24.09.2018
RM deu dicas para o novo álbum do BTS em seu discurso para a ONU? 😱
ARMYs de todo o mundo estão teorizando nas redes o significado do discurso

Header

Se você não gosta do BTS, então eu não gosto de você. O grupo de K-pop está dominando o mundo da música, literalmente, e na segunda-feira, 24 de setembro, eles passaram pelas Nações Unidas em colaboração com a UNICEF para fazer um discurso tocante com foco em igualdade, amor-próprio e ir atrás de seus sonhos. Com Jimin, JungKook, V, SUGA, Jin e J-Hope ao seu lado, o líder do grupo, RM (cujo nome real é Kim Namjoon), fez um discurso arrebatador sobre sua juventude e ser verdadeiro consigo mesmo no lançamento do projeto Generation Unlimited, uma parceria global que visa garantir que todo jovem tenha educação, aprendizado, treinamento ou emprego até 2030. Mas além de inspirar a todos com suas palavras, o vídeo do discurso de RM nas Nações Unidas despertou a atenção dos ARMYs em outro aspecto também: Uma potencial pista sobre o título do próximo álbum do BTS.

RM abordou muitos tópicos importantes durante seu tempo no pódio. Ele descreveu sua jornada desde seus tempos de menino em Ilsan, uma pequena cidade próxima de Seul, Coreia do Sul, e como se juntar ao BTS mudou sua vida. Ele também falou da campanha Love Myself, que tem o objetivo de incentivar fãs e cidadãos no mundo todo a amar a si mesmo e aos outros. Em um comunicado, o grupo explicou:

Na nossa campanha ‘Love Myself’, falamos sobre o significado do verdadeiro amor. Nós encorajamos cada jovem a encontrar o amor dentro de si e espalhar esse amor para os outros. Acreditamos que o apoio mútuo da juventude é o primeiro passo para demonstrar amor.

RM iniciou seu discurso mencionando o envolvimento do BTS com a UNICEF. “É uma grande honra ser convidado para uma ocasião tão importante para a juventude de hoje”, ele disse. “Novembro passado, o BTS lançou a campanha ‘Love Myself’ em parceria com a UNICEF, fundada na nossa crença de que o verdadeiro amor começa com o amor-próprio. Em parceira com o programa da UNICEF pelo fim da violência, para proteger crianças ao redor do mundo da violência.”

Ele continuou falando de sua própria jornada com amor-próprio e como o sucesso do BTS deu a oportunidade para que ele e os outros integrantes pudessem ouvir histórias pessoais de seus fãs. “Essas histórias constantemente nos lembram da nossa responsabilidade”, ele disse. “Nós aprendemos a nos amar, então agora eu peço que vocês falem por vocês. Eu queria perguntar a cada um, qual o seu nome? O que te empolga e faz seu coração bater mais forte? Me conte a sua história. Eu quero ouvir sua voz, e quero ouvir suas convicções. Não importa quem você é, de onde você veio, a cor da sua pele ou sua identidade de gênero, só fale por você mesmo.”

Você pode conferir o discurso inteiro abaixo:

O discurso do RM deixou os fãs totalmente inspirados, além de orgulhosos das conquistas dos garotos (eles são o primeiro grupo de K-pop na história a falar nas Nações Unidas). Esse definitivamente é um momento histórico para o grupo, o K-pop e para jovens ao redor do mundo.

Mas um pequeno detalhe no final do discurso realmente chamou a atenção dos ARMYs. RM finalizou com as seguintes palavras: “Qual o seu nome? Fale por você mesmo. Muito obrigado.”

Fale por você mesmo (Speak yourself, em inglês)? Percebeu quantas vezes ele disse isso durante o discurso? Parece poderoso o suficiente para ser, tipo, o título de um álbum!

https://twitter.com/SUPERS0NS/status/1044284955155673088

[TRAD] Espera ai. O Namjoon disse “speak yourself”. É esse o título do novo álbum? Porque deveria ser.

https://twitter.com/bangbangtan1204/status/1044290207728656386

[TRAD] Álbum: Speak Yourself
Single principal: Who are you? (Quem é você?)

[TRAD] Será que eles acabaram de dar uma pista do comeback no discurso da ONU? Isso está um nível acima dos limites do universo

[TRAD] Sim. O título do álbum será Speak Yourself.

[TRAD] Diga o que você quiser mas Speak Yourself é o título do próximo álbum/série.

 

Uau. Se o próximo álbum não for Speak Yourself, a decepção vai ser grande. Mas tipo, só por um segundo, porque vamos falar sério: comprariamos qualquer álbum do BTS. Mesmo que ele se chamasse Não Compre Esse Álbum. Pode acreditar.

Confira o discurso completo aqui.

 

Fonte: EliteDaily
Trans eng-ptbr; maureen h. @ btsbr


Publicado em 24.09.2018
Discurso de RM para a Organização das Nações Unidas
Leia o discurso emocionante feito pelo líder diante da Assembleia Geral da ONU

Obrigado ao Sr. Secretário Geral, [Sra.] Diretora Executiva da UNICEF e todas as excelências e grandes convidados de todo o mundo.

Meu nome é Kim Namjoon, também conhecido como RM, líder do grupo BTS. É uma honra ter sido convidado para essa ocasião com tanto significado para a jovem geração de hoje.

Em novembro passado, o BTS lançou a campanha Love Myself com a UNICEF, construída sobre a crença que o verdadeiro amor começa com amando a si mesmo. Ao formar a parceria com o programa #ENDViolence da UNICEF para proteger crianças e jovens em todo mundo da violência. Nossos fãs se tornaram uma grande parte da campanha; com suas ações e entusiasmo. Nós realmente temos os melhores fãs do mundo.

E eu gostaria de começar falando de mim mesmo. Eu nasci em Ilsan, uma cidade perto de Seul, na Coreia do Sul. É um lugar muito bonito com um lago, colinas, e até um festival anual de flores. Eu tive uma infância muito feliz lá e eu era só… um garoto comum. Eu costumava olhar com fascínio para o céu à noite e costumava sonhar os sonhos de um garoto, imaginando que eu era um super heroi que poderia salvar o mundo. Na intro de um dos nossos primeiros álbuns tem uma parte que diz “meu coração parou de bater quando eu tinha 9 ou 10 anos”.

Lembrando disso, eu acho que foi aí que comecei a me preocupar com o que as pessoas pensavam de mim, e comecei a me enxergar pelos olhos delas. Eu parei de olhar para o céu, para as estrelas… Parei de sonhar acordado e, em vez disso, comecei a tentar me encaixar nos moldes que outras pessoas faziam. Logo, [também] comecei a calar minha própria voz e a ouvir as vozes de outros. Ninguém chamava meu nome, nem eu mesmo; meu coração parou e meus olhos se fecharam.

Então, dessa maneira, eu, todos nós, perdemos nossos nomes. Nos tornamos fantasmas. Mas eu tinha um santuário, e era a música. Havia uma voz dentro de mim que dizia “acorda cara, escute a si mesmo”. Mas levou um longo tempo para que eu ouvisse a música chamando pelo meu verdadeiro nome. Mesmo depois de tomar a decisão de me juntar ao BTS, houveram muitas dificuldades. Algumas pessoas podem não acreditar, mas… muita gente achou que não tínhamos chance e, às vezes… Eu só queria desistir. Mas tive muita sorte por não desistir de tudo. E tenho certeza que eu, e nós, continuaremos tropeçando e caindo desse jeito.

O BTS se transformou em um grupo de artistas que se apresentam em estádios enormes e vendem milhões de álbuns, mas nesse exato momento, eu ainda sou um garoto comum de 24 anos. Se existe alguma coisa que eu alcancei, só foi possível porque tenho os outros integrantes do BTS ao meu lado, e graças ao amor e apoio que os nossos ARMYs, nossos fãs de todos os cantos do mundo nos dão. E talvez… Eu posso ter cometido um erro ontem. Mas o eu de ontem, ainda sou eu. Hoje, eu sou quem eu sou, com todos os meus erros e falhas. Amanhã, eu posso ser… Um pouco mais sábio e esse também serei eu. Esses erros e falhas são quem eu sou, fazendo as estrelas mais brilhantes na constelação da minha vida. Eu consegui me amar pelo que sou, por quem fui e por quem pretendo ser.

Eu gostaria de dizer mais uma coisa: Depois de lançarmos os álbuns Love Yourself e a campanha Love Myself, nós começamos a ouvir histórias memoráveis de nossos fãs de todo o mundo, sobre como a nossa mensagem os ajudou a superar as suas batalhas pessoais e amarem a si mesmos. Essas histórias constantemente nos lembram da nossa responsabilidade.

Então, vamos todos dar mais um passo. Nós todos aprendemos a nos amar, então agora eu peço para que você fale por si mesmo. Eu gostaria de perguntar à todos vocês: Qual o seu nome? O que te anima e faz o seu coração bater mais forte? Me conte a sua história, eu quero ouvir a sua voz e eu quero ouvir as sua convicções. Não importa quem você seja, de onde você vem, a cor da sua pele, o gênero com o que se identifica… Fale por si mesmo. Encontre o seu nome, encontre a sua voz, falando por si mesmo.

Imagem de gif, bts, and kpop

Eu sou Kim Namjoon, e também RM do BTS. Eu sou um ídolo e um artista vindo de uma cidade pequena da Coreia. Como a maior parte das pessoas, eu cometi muitos e diversos erros em minha vida. Eu tenho muitas falhas, e tenho medo de inúmeras coisas, mas eu vou abraçar a mim mesmo o mais forte que puder. E eu estou começando a me amar, gradualmente, pouco a pouco.

Qual é o seu nome? Fale por si mesmo.
Muito obrigado.

Imagem de namjoon, gif, and rm

transcrito por guwoljk
trans eng-ptbr; nalu & caroline piazza @ btsbr


Publicado em 13.09.2018
ARMYs plantam 200 árvores para comemorar o aniversário de RM
Fãs filipinos do BTS plantaram 200 árvores para celebrar o 24 anos do rapper

Os ARMYs, liderados pela fanbase King Namjoon PH, foram à cidade de Siniloan, na província de Laguna, nas Filipinas, no dia 9 de setembro para plantas árvores em uma área que faz parte dos limites da montanha Sierra Madre.

RM, ou Kim Namjoon, completa 24 anos no dia 12 de setembro.

“Levamos 3 horas para chegar de carro, vindos de Manila, e 45 minutos subindo um caminho infestado de lama e sanguessugas para chegar no local de plantio. Atravessamos um riacho e também tivemos de transpor um tronco de 2 pedaços. Foi uma experiência muito emocionante para nós,” disse o grupo.

Depois de plantarem as árvores, um certificado de apreciação foi dado a Kim Nam Joon e King Namjoon PH, assinado por Ofelia Bakker-Manaquil, presidente da FEED – Cuidando da Educação & do Ambiente para o Desenvolvimento (Fostering Education & Environment for Development), e pelo silvicultor Reynaldo Lorida, da UPLB – Universidade De Los Baños Das Filipinas  (University of the Philippines Los Baños).

“Reconhece-se que Kim Namjoon ajudou a manter nosso planeta e povo saudável ao agir contra as alterações climáticas através do Programa Corporativo de Responsabilidade Social de Patronos da FEED (Corporate Social Responsibility [CSR] Program), como parte da iniciativa ‘Legado Vivo: Plante uma Árvore, Alimente nosso Futuro’ – em parceria com King Namjoon PH e em colaboração com a Universidade de Los Baños das Filipinas (UPLB), plantando espécies nativas de árvores filipinas, incluindo três anos de cuidado, visando a captura de carbono na área Laguna-Quezon de terras concedidas da UPLB, na cidade de Siniloan, província de Laguna, em 9 de setembro de 2018,” lê-se no certificado.

O BTS finalizou seus shows em Los Angeles no dia 9 de setembro e o grupo estará em turnê por outras cidades.   

 

Fonte: Manila Bulletin
Trans eng-ptbr; VenomQ @ btsbr


Publicado em 13.09.2018
[V APP] 12.09.18 – RM
Assista à live do rapper em comemoração ao seu aniversário com os integrantes


Publicado em 12.09.2018
[#RMGalaxyDay] Feliz Aniversário, Namjoon!
Artigo original em comemoração ao aniversário de 24 anos do RM.

Palavras, apenas palavras (alternativamente: feliz aniversário, Namjoon)

Eu não consigo me lembrar quando, exatamente, comecei a escrever. Foi em algum ponto da infância, algum momento em que eu precisava colocar pra fora todas as ideias que usavam minha cabeça de moradia, todas as inquietações infantis que preenchiam meus dias. Escrever é grande parte da minha vida – provavelmente a maior e mais consistente dela – ao ponto de já ter parado pra me perguntar para que eu existiria se não fosse pela escrita.

A escrita é a minha resposta, é o que me motiva a continuar e o que me dá a sensação de estar fazendo alguma coisa pelo mundo, ou ao menos por alguém – mesmo que esse alguém seja eu mesma. Muitos dias, a minha maior paixão também é a minha tarefa mais ingrata – a falta de confiança em mim e no meu trabalho me afoga em um oceano de dúvidas e as palavras se perdem em uma orla que, por mais que eu nade e nade e nade, nunca consigo alcançar.

O texto que você está lendo agora foi um desses momentos, onde eu acreditei que barquinho algum apareceria para me salvar. Introduções foram escritas e reescritas, parágrafos deletados, centenas de palavras jogadas fora porque não pareciam ser as corretas. Mas talvez todo esse fracasso não seja de todo ruim – talvez seja exatamente sobre isso que eu precise falar aqui.

Vamos do princípio.

Eu sou uma ARMY da turma de 2016, uma guria do interior do Rio Grande do Sul que ouviu a melhor amiga argumentar durante cinco anos a favor do K-pop, mas nunca realmente me interessando por alguma coisa específica. Meu primeiro contato de verdade com alguma coisa relacionada ao BTS foi o bendito A to the G to the U to the STD que ficou grudado na minha cabeça por semanas, mas o que roubou meu coração de verdade foi o peaches and cream, sweeter than sweet, o tecnobrega entre paredes de museu que me fez realmente querer saber quem eram aqueles sete meninos.

Como dá para perceber pelo título e por toda a ladainha até aqui, um deles em especial me chamou a atenção. Primeiro por suas expressões características – ele era sempre o primeiro que eu conseguia reconhecer nas primeiras maratonas de mvs -, depois por tudo que ele representa.

Kim Namjoon nasceu em Ilsan em 12 de setembro de 1994, cinco meses antes da autora que vos fala chegar neste mundo em fevereiro de 1995. A proximidade de idade – uma novidade pra mim, acostumada a anos de fandom de músicos mais velhos que eu que no final das contas não mereciam toda a minha admiração assim – foi o primeiro fator que me fez realmente me identificar com ele.

E então vieram as palavras.

Durante uma entrevista recente, um produtor disse que a música do BTS te move. Eu peço aqui licença para utilizar da mesma ideia e dizer que as palavras do Namjoon tocam a sua alma.

Acredita-se que a expressão abracadabra veio do aramaico e significa “eu crio enquanto falo”, e essa é uma boa palavra para descrever o que o Namjoon faz toda vez que divide suas ideias com o mundo: mágica, com certeza. Eu lembro de checar a letra de “Cypher Pt 4” pela primeira vez e sentir um soco no estômago, porque mesmo que as situações e as metáforas fossem diferentes ali, eu conseguia entender o sentimento exatamente. Eu me via ali. “Reflection” é uma música que tenho muita dificuldade em ouvir – é muito pessoal. Pra mim. São palavras que não saíram da minha cabeça, mas que cabiam à minha vida como uma luva.

Esse dom que o Namjoon tem de se comunicar, de observar o mundo em seus pequenos detalhes e transmitir as coisas que o assustam e o encantam é algo muito grandioso para ser explicado. É um olhar cuidadoso, um absorver de cada informação possível não só pelo ato em si, mas para analisar o que aquilo significa e qual sua relevância para o universo – material, cósmico, sentimental, que seja. É conseguir juntar, num amontoado de letras, experiências que se perdem em qualquer outra tradução.

Ele transforma seu mundo em poesia – literal e figurativamente. Em cada uma de suas composições, tanto para o BTS quanto para seus projetos solo, ele faz jus a expressão que levou a sigla conhecida como rap ritmo e poesia. Eu sinto sua falta e dizer isso me faz sentir mais ainda”, de “Spring Day”, “Você já sentiu como é difícil ser alguém? Viver, respirar, não escolher ser um cadáver?” do remix de “Champion” com o Fall Out Boy, “Rezando por caminhos melhores para você e para mim, eu vejo grama crescendo nos olhos do inverno”, de “Change”,  sua parceria com Wale, “Sea”, por completo, são apenas alguns dos muitos versos que levo comigo onde quer que eu vá, que me acalmam e me acalentam e me dão a sensação de ser ouvida. De não estar sozinha.

Não só as músicas: o modo como ele se expressa fora dos palcos e dentro deles, com seus discursos no final de um show (ainda não superei o “espero que o BTS possa ser uma das muitas respostas na vida de vocês”) ou o modo como ele fala da criação dos álbuns durante suas aparições no VApp, tentando seguir uma linha lógica, mas se distraindo e mencionando outras histórias, perdendo o fio da meada e encontrando de novo, falando de um jeito tão genuíno que você se sente parte da conversa, sente que aquilo não é apenas um monólogo da era digital de um artista de sucesso no outro lado do mundo.

Kim Namjoon é um garoto de agora 24 anos que nunca encontrei pessoalmente, com quem nunca troquei nenhuma palavra, vivendo a milhares de quilômetros de distância de mim com uma vida e uma história muito diferentes da minha e… ele faz com que eu sinta que não estou sozinha. Que eu tenho um amigo em algum lugar, alguém que entende. Alguém que entende.

E alguém que não tem todas as respostas. O Namjoon poderia sim esconder as falhas, compartilhar apenas os bons momentos e os sucessos, mas a relação de confiança mútua que ele cria com o público ao expôr, ao se expôr, suas dores, seus medos, suas frustrações é mais preciosa do que qualquer troféu, qualquer certificado de ouro. É um afirmar de que “eu sou humano, você é humano, passamos pelas mesmas coisas, somos feitos do mesmo pó de estrelas.”  A quebra da ideia de ídolo perfeito que não precisa melhorar em nada e está sempre certo é o ponto principal disso tudo – a aposentadoria necessária que vários advogados de oppa por aí precisavam. Ao aceitar suas falhas e realmente pensar em como se tornar uma pessoa melhor, ele torna o mundo um pouco melhor também. Ele não resolve os meus problemas, mas me inspira a querer lutar por mim mesma.

Você me deu o melhor de mim, então dê a você o melhor de você.”

Então, nesse aniversário, eu resgato uma das minhas frases favoritas da minha época de emo gótica etc etc (make Brazil emo again!) e afirmo que “tudo que eu posso oferecer são minhas palavras pra você”.

Porque eu sei que, para ele, elas são tão preciosas quanto pra mim.

★ Não deixe de acompanhar a Bangtan Brasil no dia de hoje para relembrar alguns dos momentos mais marcantes ao lado do nosso extraordinário Kim Namjoon. Aproveite também para o conhecer melhor! Acompanhe a hashtag #RMGalaxyDay e a @BTS_BR no Twitter e deixe mensagens bonitas para o líder do grupo. ♥

★ Escrito por Maureen H. @ BTSBR Tradução e arte por Emi @ BTSBR Design. Por favor, não retire os créditos ou redistribua sem os mesmos.


Publicado em 12.09.2018
Como Kim Namjoon me ensinou a importância da busca pelo amor-próprio
Coragem e um ídolo que me ofereceu suas mãos para juntos aprendermos a nos amar

I wish I could love myself” era o refrão entoado por RM no seu solo “Reflection” em 2016. Nesta época nem sabíamos que o próximo passo do BTS seria discutir a importância de amar a si mesmo.

Enquanto relembrava os ARMYs brasileiros entoando – em resposta ao desejo de Namjoon em descobrir o amor-próprio – o fanchant “We Love You”, me questionei se o mesmo nunca percebeu como sua busca inspirou tantas pessoas a ingressar nesta complexa jornada.

O caminho para a autoaceitação exige paciência e coragem, pois é através dela que ganhamos a consciência de todas as nossas qualidades e limitações. Estamos em uma busca não apenas por reconhecer nossos pontos positivos, como também, negativos, sendo o último o mais difícil de se aceitar.

Reconhecer a imperfeição é algo que nenhum ser humano está preparado para fazer. Nos despirmos de todas as nossas proteções e mostrarmos nosso verdadeiro eu é árduo, principalmente diante de todas as expectativas e códigos de conduta que a sociedade intrinsecamente dispõe sobre nossas costas.

Contudo, aceitar-se não é resignar-se, e Namjoon me mostrou isso. Seja por meio de sua constante desconstrução, por reconhecer seus erros, por expôr seus conflitos pessoais ou por seus ensinamentos e palavras de consolo. Momentos tão pessoais e dos quais ele teve a bravura de deixar transparecer, me inspiraram a perceber que eu também poderia embarcar nessa trajetória.

Com a chegada de “Love Yourself: Answer”,  muitos acharam que o BTS havia encontrado a famosa receita para o amor-próprio, mas parafraseando Namjoon: “Nós não estamos pregando que todos deveriam se amar pelo fato do título da era ser ‘Love Yourself’, mas sim de que também não sabemos amar a nós mesmos, então ouça nossa música e aproveite, e com isso vamos buscar o amor-próprio juntos, independente dessa jornada ser bem-sucedida ou não”.

Tal afirmação me trouxe dúvidas, pois se nem mesmo Namjoon havia encontrado as respostas para seus questionamentos diante de um crescimento pessoal tão grande, como eu poderia me amar? Foi então que percebi a principal mensagem que este queria passar: o ato de amar a si mesmo é mais um meio do que um fim.

O amor-próprio não é a resposta para alcançarmos a felicidade. Ele não irá trazer todas as respostas para nossas dúvidas, mas ajudará a aceitarmos quem realmente somos, admitindo nossas imperfeições e exaltando nossas qualidades. É um trabalho que devemos praticar diversas vezes ao longo de nossas vidas, possuindo pontos altos e baixos no meio disso.

Se René Descartes é o autor da célebre frase “Penso, logo existo”, Namjoon com “Trivia: Love” trouxe como complemento “Eu vivo, então eu amo”. Viver e amar, duas palavras essenciais para nossa existência e que Namjoon me fez refletir como o amor-próprio está presente em mim – mesmo que adormecido – só esperando que eu o cultive.

Kim Namjoon me fez perceber que o primeiro passo é aceitar que sou merecedora desse amor, se minha busca será bem sucedida ou não, não importa, mas espero que suas palavras e músicas estejam sempre presentes ao reiniciar esta caminhada, para que enfim eu possa gritar em alto e bom som, “Yes, I do love myself”.

Escrito por Fernanda Azevedo @ btsbr


Publicado em 03.09.2018
[V APP] 02.09.18 – RM: Por trás do LOVE YOURSELF 結 ‘Answer’
Assista à review do álbum final da trilogia LOVE YOURSELF ao vivo com RM!


Publicado em 01.09.2018
[FOTOS] 31.08.18 – BTS x Smart School Uniform
A marca liberou lockscreens de RM & JungKook para o mês de setembro

 


Publicado em 31.08.2018
[LETRA] Trivia 承: Love – RM
Confira a tradução da Faixa 06 de Love Yourself 結 'ANSWER'

Amor

 

Isso é amor?
Isso é amor?
Às vezes eu sei
E às vezes não
Nas próximas letras, hmm
O que devo escrever? Hmm
Um monte de palavras me rodeiam, mas
Não há nenhuma que se equipare ao meu coração

Eu só sinto
Como a lua se levanta para seguir o sol
Como unhas crescendo
Como as árvores começam a se despir uma por uma
Quando o inverno chega
Você que tornou minhas lembranças em memórias
Que tornará ‘pessoa’ em ‘amor’*
Antes de te conhecer
Meu coração era somente uma linha reta

Eu sou só uma pessoa, pessoa, pessoa
Você corrói todos os meus cantos
Você me transforma em
Amor, amor, amor
Somos pessoas, pessoas, pessoas
Dentro dessas linhas retas sem fim
Meu amor, amor, amor
Caso se sente em cima, se torna um coração**

Eu vivo, logo amo
Eu vivo, logo amo
Viver e amar, viver e amar
Viver e amar, viver e amar
Eu vivo, logo amo
Eu vivo, logo amo
Se é amor, eu vou amar você

Você torna o I em um O
I em um O
Eu percebi graças a você
Por que ‘pessoa’ e ‘amor’
Soam tão similar
Você ganha a vida por um amor
Vida por um amor
Eu percebi graças a você
Por que pessoas precisam continuar vivendo
Enquanto amam

Embora a distância entre I e U seja longa***
F*** JKLMNOPQRST
Eu cruzei todas as letras e cheguei até você
Olha, ‘meu’ e ‘seu’ também soam parecidos
Embora isso não me torne em você,
Eu gostaria de ser parte do seu livro
Eu gostaria de me envolver no seu romance
Como seu amante

Eu sou só uma pessoa, pessoa, pessoa
Você corrói todos os meus cantos
Você me transforma em
Amor, amor, amor
Somos pessoas, pessoas, pessoas
Dentro dessas linhas retas sem fim
Meu amor, amor, amor
Caso se sente em cima, se torna um coração

Eu vivo, logo amo
Eu vivo, logo amo
Viver e amar, viver e amar
Viver e amar, viver e amar
Eu vivo, logo amo
Eu vivo, logo amo
Se é amor, eu vou amar você

Como seria se eu fosse embora?
Se eu fosse, você ficaria triste?
Se não fosse eu, o que eu seria?
Seria que você, também, eventualmente me deixaria?

Vento, vento, vento que levemente passa
(Eu só posso esperar que não seja o caso)
Pessoa, pessoa, pessoa que levemente passará
(Eu só posso esperar que não seja o caso)
Meu humor é azul, azul, azul****
(Dentro da minha cabeço, tudo está colorido de azul)
O quanto eu te amo, o quanto, quanto
O quanto, quanto, quanto

Você é a minha pessoa, pessoa, pessoa
Você é meu vento, vento, vento
Você é meu orgulho, orgulho, orgulho
Você é meu amor (meu amor)
O único amor (o único amor)

Você é a minha pessoa, pessoa, pessoa
Você é meu vento, vento, vento
Você é meu orgulho, orgulho, orgulho
Você é meu amor (meu amor)
O único amor (o único amor)

 

N/T: *Em coreano, ‘pessoa’ (사람) e ‘amor’ (사랑) são similares. Se você ‘corrói’ os cantos de ㅁ (no fim da palavra ‘pessoa’), ele se torna ㅇ (na palavra ‘amor’). Em coreano, ‘cantos’ (o que ele usa pra descrever a letra ㅁ) também por ser usada para descrever pessoas não muito sociáveis e difíceis de lidar. Logo, se você corrói esses ‘cantos’ (tanto pessoais quanto na palavra), você torna a pessoa em ‘amor.’

**Quando ele diz ‘se sentar’, quer dizer que caso você se sente na vogal ㅇ, ela se torna em coração.

***Em inglês, I significa ‘eu’ e U, ‘você’, e RM usa a analogia da distância entre as duas letras no alfabeto para falar sobre a distância entre duas pessoas.

****‘Blue’ em inglês, pode significar um humor triste ou melancólico.

 

Trans kor-eng; doolsetbangtan
Trans eng-ptbr; gabriela @ btsbr


Publicado em 29.08.2018
[VÍDEO] 28.08.18 – Coca-Cola x RM
RM em novo vídeo promocional em parceria com a Coca-Cola