btsbr.co.vu/archive & btsbr.wordpress.com
SITE: Bangtan Brasil - Fã Base
VERSÃO: 1.3 - WINGS BLUE
DESDE: 29.03.2013
VISITAS: ARMYs
Bulletproof Boy Scouts (em coreano: 방탄소년단) é um grupo masculino sul coreano de hip-hop formado pela Big Hit Entertainment. Geralmente conhecidos como BTS, são também chamados de Bangtan ou Bangtan Boys. Eles estrearam em 13 de junho de 2013 com sua.. LEIA MAIS
SEJA BEM VINDO AO BANGTAN BRASIL, A PRIMEIRA E MAIOR FÃ BASE BRASILEIRA DO BTS. FEITA DE FÃ PARA FÃ!

Tag: The Wings Tour

Publicado em 30.04.2017
[TWITTER] 29.04.17 – @bts_bighit
TWEET POSTADO POR @BTS_BIGHIT NO DIA 29.04.2017

[TRAD] [#Bangtan_Hoje] ARMYs que encontramos na #BTS <THE WINGS TOUR> em Jacarta! Esperamos que vocês tenham feito boas memórias💕 #O_agora_em_que_estamos_juntos #Ainda_é_o_momento_mais_bonito_da_vida*🙆🏻

 

N/T: *Referência à “The Most Beautiful Moment in Life”
Trans ko-ptbr; nalu @ btsbr


Publicado em 28.04.2017
[VÍDEO] 27.04.17 – Apresentação de “MAMA” na The Wings Tour em Los Angeles
Assista a apresentação de "MAMA"!

Blurred Culture postou um vídeo da apresentação de “MAMA”, solo do J-Hope, na The Wings Tour em Los Angeles.


cr; blurredculture @ youtube


Publicado em 26.04.2017
[FOTOS] 25.04.17 – Daily News Thailand posta fotos do The Wings Tour em Bangkok
Confira as fotos!

O Daily News Thailand postou fotos do BTS durante o The Wings Tour em Bangkok, na Tailândia.



cr; dailynews_kpop @ Twitter


Publicado em 17.04.2017
[ENTREVISTA] “Conheci o BTS e foi mágico!” compartilha Kylie Rogers.
Kylie Rogers conta sua experiência conhecendo o BTS!

A atriz mirim Kylie Rogers não fica sem palavras ao conhecer grandes celebridades facilmente, até porque devido a sua carreira ela já teve a chance de trabalhar com atores consagrados, como Russel Crowe e Amanda Seyfried, mas quando Kylie teve a oportunidade de ficar frente a frente com seus músicos favoritos, BTS, ela não conseguiu controlar o nervosismo. Então pedimos para Kylie nos contar como foi a experiência dela em conhecer o septeto sul-coreano.

“Qualquer um que me conhece sabe que sou uma grande fã de K-Pop e principalmente de BTS. Tenho incontáveis artistas e grupos de K-Pop na minha playlist, mas o Bangtan é meu favorito. Esses caras são verdadeiros artistas em todos os sentidos da palavra! Alguém próximo a mim sabia que não havia presente melhor do que ingressos para a WINGS TOUR em Anaheim, Califórnia, no Honda Center. Eu fiquei muito animada quando ganhei os ingressos para o show!

Eu comecei a falar sobre o show no Twitter sobre o quão ansiosa estava para vê-los ao vivo. Incrivelmente, alguém do time do BTS me contatou e me perguntou se eu estaria disposta a escrever sobre minha experiência de fangirl no show e conhecer os garotos!  

Logo antes de eles subirem ao palco para o show, eu tive a chance de dar um oi e tirar fotos com os sete. Eu tenho sido tão sortuda de poder ser atriz e trabalhar em filmes juntamente com pessoas incríveis e andar em tapetes vermelhos, mas nada poderia ter me preparado pra conhecer o meu grupo favorito de todos!

Eu estava super nervosa e quase não falei. Eu ficava sorrindo. Eles foram extremamente legais, sorridentes e simpáticos. Rap Monster ficava dando palpites nas nossas fotos. Jimin me deu uma ARMY BOMB, e JungKook me entregou uma folha personalizada com o autógrafo de todos eles. Eu estava morrendo por dentro!!

https://twitter.com/KylieAnneRogers/status/848818157347258368

[TRAD] Obrigada pela melhor noite!!!! Eu nunca vou esquecer!!! 💖😍💘 @bts_twt @Bighitent @bts_bighit #melhoraniversariodavida

Eles foram super engraçados e são os meninos mais carinhosos de todo o mundo!! Eu amo muito todos eles!

Eu compartilhei vários vídeos e fotos de todo o dia do show, desde minha preparação, conhecendo eles e até mesmo trechos das apresentações incríveis deles no palco, assim todos podem viver esse dia comigo.

Eu também queria mostrar a todos que não são familiarizados com o BTS o quão sensacional eles são dentro e fora do palco. Eu amo o BTS!

Obrigada por me deixarem compartilhar o meu dia inesquecível de fangirl com todos. Eu me sinto a garota mais sortuda! BTS está tomando os EUA  e o mundo e eu estou torcendo por eles!”  (Escrito por Kylie Rogers)

 

Fonte; Twist Magazine
Trans eng-ptbr; Bia Rehm @ btsbr


Publicado em 17.04.2017
[NEWS] BTS dá aos AR.M.Ys de Los Angeles algo pelo qual lutar [Resenha]
BTS solidificou oficialmente o seu título de sensação global a ser superada!

Dominando as paradas, a boyband coreana BTS solidificou oficialmente o seu título de sensação global a ser superada. Eles já foram reconhecidos pela Billboard, iHeartRadio, Buzzfeed e Teen Vogue, entre outros, por suas músicas dançantes de topo das paradas, coreografia estonteante e letras que contam histórias. Formando esse grupo ganhador de prêmio estão Rap Monster (líder/rapper), SUGA (rapper), J-Hope (rapper/dançarino), Jimin (vocalista/dançarino), JungKook (vocalista/dançarino) e, por último mas não menos importantes, os vocalistas Jin e V. Juntos, o grupo ganhou fama global em questão de 4 curtos anos.

Parte do sucesso global do BTS é devido aos seus fãs. Afetuosamente referidos como os seus “A.R.M.Y.”, eles são os dezenas de milhares de fãs do BTS ao redor do mundo que esgotaram a turnê de 9 arenas. A conexão entre o BTS e os seus fãs é palpável, para dizer o mínimo. Após passar por um mar de A.R.M.Ys adornados em roupas do BTS, cantando junto com os clipes antes do show, eu finalmente encontrei o meu assento no Honda Center. A quantidade de animação no estádio era incrível.

À medida que as luzes diminuíram e as cortinas caíram, as vozes dos A.R.M.Ys atingiram níveis incomensuráveis. Um frenesi como da Beatlemania se irrompeu quando os sete membros do BTS, tomando o palco com confiança vibrante, se revelaram para que todos admirassem. A intensidade dos fãs foi tão impressionante que até mesmo os funcionários do Honda Center com quem conversei descreveram o público como sendo o mais enlouquecido que já viram. Eu acredito que você também teria muita energia se estivesse acampando desde meia-noite para conseguir um bom lugar no show esgotado (pois é, foi o que eu ouvi).

O BTS trouxe a casa abaixo desde o começo. Começou com o baixo explosivo do seu mais novo hit “Not Today”. Claramente, ficar sentado nesse show não seria uma opção. Junto com seus 18 mil A.R.M.Ys, o BTS apresentou um repertório que continha todos os seus hits nas paradas. “Am I Wrong”, seguida de “Silver Spoon” e “DOPE”, serviram como o prefácio perfeito antes de transicionar para as músicas solo de cada membro. Foi aí que as coisas começaram a ficar um pouco quentes.

As performances solo se espelharam na ordem do álbum; JungKook foi o primeiro a tomar o palco. Com o local tomado de escuridão, os penetrantes holofotes o revelaram sendo erguido no centro do palco, pronto para “Begin”. A entrada dramática foi seguida por uma ainda mais dramática apresentação, destacada pelos movimentos de dança suaves do membro mais novo.
Com a apresentação de JungKook, as temperaturas na audiência haviam aumentado, e Jimin elevou ainda mais o patamar com a performance de “Lie”. A sua apresentação, na minha humilde opinião, foi talvez a performance mais sexy que já vi de um grupo idol de K-pop na minha vida. Tenho certeza que qualquer A.R.M.Y presente àquela noite atestaria o mesmo. Agora, me dê um segundo para que eu enxugue o suor…

Dançando sugestivamente pelo palco, ele usava uma camisa larga de seda e uma jaqueta de lantejoulas que refletiam as luzes vermelhas que inundavam o palco. Mas o ponto crucial veio durante a ponte da música, onde eu não pude evitar o gritinho quando ele foi erguido e girado no ar, tudo isso enquanto cantava a doce melodia e o gancho climático.

Depois de Jimin, o membro mais reservado do BTS, SUGA, subiu ao palco. Geralmente um homem de poucas palavras e reações, SUGA expressou suas emoções abertamente; algo que normalmente não vemos. Durante o seu rap solo, “First Love”, seus sentimentos foram revelados enquanto cantava sobre suas dificuldades na infância e suas dúvidas. Todos nós tivemos um relance de sua alma enquanto ele fazia raps sobre seus sentimentos de perda, amor, arrependimento e aceitação, que definitivamente me fizeram sentir coisas.

O líder do grupo, Rap Monster, continuou a jornada sentimental com o seu solo “Reflection”, sobre o conflito interno que manteve ao lutar seu conflito pessoal para encontrar sua própria identidade. Enquanto repetia a letra “eu queria poder me amar” muitas vezes, os A.R.M.Ys gritavam “eu te amo” de volta, após cada verso.

Mudando o clima, BTS trouxe a animada “BTS Cypher 4”, apresentada por J-Hope, SUGA e Rap Monster. Ironicamente, o principal verso da música era “eu me amo”, definitivamente agitando o público. O grupo continuou com algumas músicas animadas quando Jin, JungKook, Jimin e V apareceram com “Lost”. Gritos vieram de todas as direções enquanto eles apresentavam a coreografia sedutora e agradavam aos fãs nas fileiras mais próximas. Esse é o único momento que acampar desde a meia-noite vale a pena. A performance vocal de todos os três foi além de impressionante, mas quando V atinge a nota mais alta de “Stigma”, você pode, literalmente, sentir os A.R.M.Ys segurando o fôlego.

Todas as emoções sentidas enquanto V performou “Stigma” continuaram quando J-Hope, normalmente a “vitamina feliz” do BTS, cantou “Mama”, um ode à sua mãe por todo o amor e apoio incondicional que deu a ele. Quando J-Hope secou uma lágrima, os A.R.M.Ys choraram com ele. Corações foram tocados mais ainda quando uma montagem de suas fotos da infância foram projetadas nas telas ao redor do palco.

A jornada sentimental seguiu pela performance de Jin, com “Awake”. Na maior parte do tempo, nós não temos a chance de ouvir o talento vocal de Jin porque ele não recebe tantas linhas solo quanto seus companheiros de grupo, mas com a maneira com que apresentou sua música, ele certamente provou o seu caso por mais tempo sob os holofotes.

Encerrando esta incrível noite de K-Pop, o BTS explodiu em direção à linha de chegada com as performances inspiradoras de “2! 3!”, “Spring Day”, “Outro: Wings”, e um medley de suas músicas antigas. Você pode ver o quão focado os membros estavam em dar o melhor de si ao público. Sabendo que esse show era sua última parada da turnê, eles dançaram, cantaram e encantaram os seus A.R.M.Ys até o fim, antes de assegurar a todos que “voltariam logo” e para ‘nunca esquecerem o BTS”.

Antes mesmo do grupo deixar o palco, os fãs continuaram entoando “BTS” enquanto iluminavam a arena com um oceano de arco-íris e bastões de luz sincronizados. Foi uma linda troca de amor e apoio por uma boy-band de K-pop, solidificando minha posição anterior de que o BTS está simplesmente em outro nível com seus A.R.M.Ys. Baseado nessa performance, o BTS nos mostrou que pode ser muito mais do que hype e energia. Eles são intensos, sentimentais, sensíveis e artistas insanamente apaixonados também. Multifacetados e prontos para bater de frente com qualquer competidor na indústria do K-pop, o BTS sem dúvida entregou e provou aos seus A.R.M.Ys que existe algo pelo qual lutar.

Siga o BTS no Facebook, Twitter e Instagram.

Fonte; Iris Chu @ Blurred Culture
Trans eng-ptbr; nalu @ btsbr


Publicado em 11.04.2017
[VÍDEOS] 10.04.17 – BTS para a The News Music Buzz
Assista aos videos!

The News Music Buzz postou vídeos de sua entrevista com o BTS e do encerramento do show.

via; bangtanitl @ twitter


Publicado em 09.04.2017
[FOTOS] 08.04.17 – Samantha Alaimo posta fotos do BTS
Confira as fotos!

Samantha Alaimo, da Gramophone Media, postou fotos do BTS durante as suas atividades nos Estados Unidos.

cr; samantha_alaimo @ Twitter


Publicado em 06.04.2017
[NEWS] O sucesso global BTS, move 195 mil fãs e esgota turnê pela Ásia
O sucesso global do BTS esgota turnê pela Ásia!

O fenômeno do K-pop, BTS movimentou mais de 195 mil fãs e esgotou todos os ingressos de seus dezenove shows pela Ásia com sua turnê mundial “2017 BTS Live Trilogy Episode III: The Wings Tour.”

20 mil ingressos em Bangkok, Tailândia, Manila e Filipinas. 10 mil ingressos em Hong Kong e 145 mil por todo o Japão, foram esgotados por completo logo que as vendas foram abertas ao público. O site responsável pelas vendas de ingressos em Hong Kong apresentou problemas de servidor devido ao grande número de pessoas interessadas e ficou fora de ar logo que as vendas foram abertas.

 

De acordo com os organizadores dos shows nas Filipinas, onde os ingressos foram disponibilizados para compra, tanto online quanto offline, mais de 30 mil fãs lotaram os pontos de vendas físico na tentativa de garantirem seus ingressos. Provando mais uma vez a popularidade do grupo.

As vendas para os shows em Jakarta, Indonésia e Sydney ainda serão abertas, mas já são altamente aguardadas.

Depois de uma bem sucedida turnê pelas Américas, o grupo agora desembarca na Tailândia, na Impact Arena, nos dias 22 e 23 de abril para dar continuidade à sua turnê mundial, que até o momento tem datas até julho deste ano, no Japão.

 

Fonte; Peachisoda
Trans eng-ptbr; Bia Rehm @ btsbr


Publicado em 06.04.2017
[NEWS] O grupo de Kpop BTS leva sua “The Wings Tour” à Los Angeles
BTS leva sua “The Wings Tour” à LA.

 

BTS é a maior banda de K-pop da atualidade com bons motivos. A interpretação contemporânea do hip-hop e batidas eletrônicas feita pelo septeto transcende os limites tradicionais do pop coreano, fazendo com que tenham uma base de fãs global. E isso não é exagero. Seu segundo álbum, Wings, vendeu mais de 1 milhão de cópias ao redor do globo e estreou na 26a posição no ranking da Billboard 200. Os criadores de hits também fizeram história nos charts quando, no início deste ano, “Spring Day” bateu o top 10 do chart americano da iTunes. Ah, e eles também esgotaram sua turnê americana em minutos.

O presente da Coreia do Sul ao pop se apresentou para 18,000 fãs no Honda Center, em Anaheim na noite de domingo (2 de Abril), mostrando sua coreografia animada e influências ecléticas. O apelo abrangente da banda se refletiu no público presente ao show. Haviam ali pessoas de todas as idades e raças, cobertas da cabeça aos pés em itens do BTS. Apesar de terem pouco em comum na superfície com a banda, no fundo aparentavam ter um código implícito que envolvia gritar muito quando houvesse a oportunidade e balançar suas ARMY Bombs, celulares ou qualquer outro tipo de fonte de luz. Tal aspecto desencadeou em uma atmosfera energizante e febril.

O set, que foi surpreendentemente longo, chegando ao total de 2 horas, começou com o hit elétrico “Not Today”. Ficou claro no início que o BTS não estava ali para brincadeiras. Eles imediatamente começaram uma coreografia hipnotizante, girando pelo palco em uma perfeita formação. Foi um lembrete de como diversos atos do pop do oeste se tornaram entediantes. Não apenas cada passo era executado em um timing perfeito, a coreografia da banda era enfatizada com luzes e projeções brilhantes. Não haviam objetos usados nas danças, mas isso teria apenas diminuído o impacto das performances.

Como um novato no K-pop, eu fiquei impressionado com o quanto o show permitiu que cada membro mostrasse seu respectivo talento por meio de apresentações solo. Rap Monster causou euforia com “Reflection”, enquanto SUGA deixou as garotas que sentaram ao meu lado chorando e tremendo após sua performance de “First Love”. Meu solo favorito foi o do Jimin. O rei do pop loiro entregou uma poderosa performance, tanto vocal como na coreografia, enquanto apresentava “Lie”. Na minha opinião, foi mais difícil de acompanhar os “subgrupos”.

Entre solos e apresentações em grupo, BTS se dividia em um quarteto (Jin, V, Jimin e JungKook) para as baladas e um trio (Rap Monster, SUGA e J-HOPE) para as músicas de hip-hop. Isso definitivamente manteve o show interessante, mas um pouco confuso às vezes. Apesar disso, as estrelas do pop coreano estavam em seu habitat natural, com as constantes mudanças de line-up, se adequando a cada nova formação. Para mim, os momentos mais empolgantes eram quando os garotos estavam todos juntos e mostraram no que são melhores. Todos são individualmente brilhantes, mas melhores quando juntos.

Sobre os destaques do show, a complexa coreografia e produção elaborada de “Fire” ganha atenção, assim como também ganhou atenção a performance elétrica de seu eterno hit, “I Need U”. As superestrelas encerraram o show com “Blood, Sweat and Tears” – as três coisas que as ARMYs deram à eles durante o show (ok, menos a parte do sangue). Após um bis, BTS voltou ao palco e fechou a noite de domingo com seu hit mais recente, “Spring Day”. The Wings Tour é uma perfeita introdução ao seu profissionalismo e a ostentação presente no K-pop. BTS está num rumo criado por eles próprios, e agora o mundo está começando a perceber isso.

Fonte; idolator
Trans eng-ptbr; fer @ btsbr


Publicado em 06.04.2017
[ENTREVISTA] Entrevista com BTS: K-pop que quebra recordes por segundo
BTS fala sobre sua experiência na América Latina e Estados Unidos!

Se falarmos de lotar estádios fora da Ásia, são poucos os grupos de K-pop que conseguem esse feito. Porém, para o BTS, é uma tarefa fácil de cumprir.

Bangtan Sonyeondan (방탄소년단), uma das bandas da Coreia do Sul de maior sucesso, iniciou sua turnê internacional Live Trilogy Episode III: The Wings Tour em fevereiro deste ano, e apesar de ainda terem diversos shows da tour que ainda não aconteceram, já está causando muita euforia ao redor do mundo. Rap Monster, SUGA, J-Hope, JungKook, V, Jimin e Jin deram o pontapé inicial da tour em Seul, e em seguida cruzaram o oceano para visitar suas ARMYs na América Latina, com shows no Chile, Brasil e México. Em seguida se apresentaram nos Estados Unidos, onde tiveram shows lotados de fãs que esperaram muito tempo para os verem ao vivo. Com um show de 2h e meia de duração, onde cantaram e dançaram seus últimos hits, como “Not Today”, “Spring Day” e “Blood, Sweat and Tears”, além de algumas de suas músicas mais antigas, os garotos tiraram um tempo para conversar conosco após seu show em Nova Iorque, onde nos contaram mais sobre sua experiência na América Latina e Estados Unidos, antes de retornarem à Ásia.

Quão diferente é o público de vocês ao redor do globo?

Rap Monster: Depende muito do clima, e da região. Na América do Sul as pessoas têm muita energia, isso me chamou muito a atenção.

Jin: É impressionante como, mesmo falando idiomas tão diferentes do nosso, todos cantam nossas músicas em uníssono, não importa onde estamos.

JungKook: cada país tem uma aura distinta, mas ainda assim possuem em comum a energia que compartilham conosco.

Vocês guardaram alguma memória especial de seus shows na América do Sul ou nos Estados Unidos?

RM: Nos Estados Unidos, nossas armys nos deram um arco-íris de luzes que nunca nos esqueceremos. Com a nossa música, queremos chegar à todo o mundo, sem nos importar com sua cor, gostos ou quem são; e o arco-íris representa isso para a gente. E no Chile nossas fãs nos deram um banner com um slogan que tinha um pequeno erro de ortografia, achamos isso muito fofo!

JK: O melhor é como em todos os países a gente se diverte muito e canta sem parar

Jimin: Tanto o público da América do Sul, como o público americano me comoveu muito. Nossos fãs são muito apaixonados!

SUGA: Fiquei muito impressionado com a energia do público brasileiro!

Jin: J-Hope levou ao palco um chapéu que comprou no Aquário de Chicago, e foi muito legal!

J-Hope: Sim! E no Aquário de Chicago também pude ver uma Baleia Beluga pela primeira vez em minha vida!  

V: Brasil foi muito especial. A energia e a vibração que compartilharam com a gente definitivamente chegou aos nossos corações.

Qual é seu figurino favorito, entre os que usam durante o show?

SUGA:O robe de veludo que uso durante “Cypher pt.4.” Pedi especialmente por esse design para essa música, e funciona perfeitamente para mim.

J-Hope: Para mim esse também é meu look favorito. Também uso um par de óculos redondos e eu adoro a combinação.

RM: Pessoalmente, eu gosto muito do que eu uso durante “Save Me” e “I Need U”. É bonito, enfatiza minha estatura e fico confortável nele.

Jin: A camisa branca com o logo do BTS que uso durante “Spring Day”. É confortável e me dá uma cara mais jovial.

Jimin: Eu adoro os blazers, e o meu favorito é o em bordô.

JK: Para mim, o figurino em bordô que usamos para FIRE. É incrível!

V: O blazer rosa claro que uso em “Blood Sweat & Tears”. É o look mais sofisticado de todos, além de ficar muito bom em mim.

Quais são suas tradições antes de subir ao palco?

RM: Temos um canto que sempre repetimos antes de sair ao palco. Traduzido para o português, ficaria como: BT- BT – BTS.

JK: Eu falo pra mim mesmo “Este pode ser o último show da sua vida, então vai lá, dê o máximo de você mesmo e o faça perfeito”

Provaram alguma comida especial enquanto estiveram na América Latina?

Jin: Comi tantos tacos! Estavam todos muito gostosos. Queríamos experimentar a cozinha autêntica mexicana, e definitivamente foi um sonho realizado.

J-Hope: Também tomamos vinhos muito bons no Chile!

Jimin: Amo a comida mexicana, por isso experimentei alguns tacos e burritos. Estavam incríveis.

JK: Não me lembro o nome, mas experimentei uns pães doces que amei muito. Comi muitos na América do Sul.

Estão quebrando cada vez mais recordes: YouTube, Billboard, iTunes, Shows, etc. Qual é um recorde que desejam quebrar no futuro?

RM e V: Billboard Hot 100

Jin: Recorde no Guinness Book da boyband que existiu pelo maior tempo contínuo na história.

J-Hope: Todos os rankings de música do mundo, e os maiores shows que existem.

SUGA: Minhas próprias horas de sono.

Jimin: A verdade é que não me prendo muito aos recordes que poderíamos quebrar, e sim nos meus próprios limites e em melhorar a cada dia que passa.

JK: Eu concordo com Jimin. Quero ser capaz de quebrar meus próprios recordes.

Se tivessem um dia para fazer o que quisessem sem incluir os demais integrantes do grupo, o que vocês gostariam de fazer?

RM: Provavelmente iria à um parque ou rio. Eu gosto de ficar sozinho e escutar música, e fica melhor ainda se em contato com a natureza.

SUGA: Viajaria no tempo.

Jin: Paraquedismo

J-Hope: Não consigo pensar em nada que eu gostaria de fazer sem o resto do grupo ao meu lado.

Jimin: Nunca parei pra pensar nisso.

V: Isso nunca acontecerá, se depender de mim.

JK: Fazer uma viagem de mochileiro pelo mundo inteiro.

Fonte; Nylon
trans esp-ptbr; fer @ btsbr


Publicado em 06.04.2017
[NEWS] Para as estrelas do K-pop BTS, o sucesso mainstream demorou a chegar
Veja a entrevista do BTS para a OC Weekly!

 

“Meu sangue, suor e lágrimas, minha última dança, leve tudo,” cantou Park Jimin em coreano, o verso de abertura da canção “Blood, Sweat and Tears” antes de mergulhar no último número coreografado da sua segunda data esgotada no Honda Center, em Anaheim. Depois de apresentarem um repertório de quase 20 músicas, SUGA, nascido Min Yoongi, continuou fazendo o rap, “meu sangue, suor e lágrimas, e meu corpo, mente e alma, saiba bem que eu sou todo seu,” personificando exatamente o que aconteceu no segundo show esgotado do BTS na Califórnia, domingo à noite.


O Honda Center não é estranho à shows de K-pop. O local recebeu as super-estrelas coreanas Big Bang em 2012 e 2015, fazendo deles o primeiro do gênero a ter mais de dois shows daquela magnitude. Vindo logo depois, BTS, um grupo masculino de K-pop com sete membros, consistindo em três rappers (SUGA, J-Hope e Rap Monster) e quatro vocalistas (Jin, JungKook, V e Jimin), alcançou esse nível de popularidade aos quatro anos de carreira, mesmo que ainda não tenham atingido o seu auge de sucesso na sua nativa Coreia do Sul.

“Hoje é o nosso último show da turnê americana, mas ainda não conseguimos sentir que é real,” o líder Kim Namjoon, conhecido pelo seu nome artístico Rap Monster, disse ao Weekly antes do show. “É como um milagre. Nos nossos shows anteriores em Los Angeles em 2015 nós tínhamos um público de 2.000 pessoas, e agora são 15, 16 mil pessoas, então nós só somos muito gratos por isso.” Ele chegou perto, mas a capacidade real da arena é de um pouco mais de 18 mil pessoas, e eles conseguiram esgotar duas noites consecutivas. Com o nome do seu último álbum de estúdio a turnê mundial, “The Wings Tour”, teve duas outras paradas em Nova Jersey, uma em Chicago e mais duas em Anaheim. Todas esgotadas.

O show de domingo à noite começou quando uma cortina branca caiu e revelou o BTS em plataformas no palco, seu último single “Not Today” explodindo pela arena. A música – um hino aos desfavorecidos – fala sobre o quão duro eles tiveram que trabalhar para chegar onde estão, enquanto chamam seus fãs para se juntarem à luta. “Para o nosso grupo, isso aconteceu muito gradualmente,” Rap Monster disse. “Nós não acordamos um dia e tínhamos um álbum número um.” Ele explicou que a carreira do BTS vem sendo uma série de escadas que eles precisam subir degrau por degrau para atingir o sucesso. “Isso é o que nos faz mais humildes e pé no chão, porque nós não acreditamos em hits surpresa e não acreditamos que o sucesso possa ser atingido sem tentar ou sem esforço.”

O tema de mais vigência na música do BTS – que é um híbrido de influências hip-hop e pop – é a juventude, como todos eles têm por volta de 20 anos. “Am I Wrong”, do álbum WINGS, declara o óbvio e diz que o mundo está enlouquecendo, enquanto “Baepsae” adereça a hipocrisia das gerações mais velhas que criticam os mais jovens, apesar destes não terem as mesmas oportunidades de prosperar. As dificuldades da vida, também é um tema recorrente. O single “Dope”, de 2015, que o público de Anaheim cantou os raps em coreano de SUGA e Rap Monster enquanto eles erguiam seus microfones no ar, fala sobre “a juventude que apodrece” no estúdio em busca de sucesso.
A faixa também declara audaciosamente, “eu sou meio sensacional”, e eles realmente são. Rap Monster e SUGA escrevem e produzem a maioria das músicas. Jimin é um dançarino emotivo. V, cujo verdadeiro nome é Kim Taehyung, como se ouve em seu solo “Stigma”, é capaz de cantar músicas inteiras em falsetto e não desafinar. Simplesmente, o BTS “não é como os outros grupos de K-pop onde a música é só feita para eles e são grupos robóticos que fazem o que suas empresas mandam. Eles dão muitas contribuições criativas nas criações,” disse a fã Ariana Scarpelli, de 23 anos.

E isso vem dando resultados. O BTS entrou para a Billboard 200 no 61º lugar com o seu último álbum, You Never Walk Alone, fevereiro passado. WINGS chegou ao 26º em outubro. Eles são o primeiro grupo de K-pop a entrar na parada com quatro álbuns consecutivos, desde 2015. Ademais, um dos seus últimos singles, “Spring Day”, se tornou a primeira música de um grupo de K-pop a entrar no Top 10 do iTunes nos Estados Unidos, algo que nenhum outro artista coreano, exceto PSY, havia feito antes. No último verão, o BTS liderou e se apresentou em ambas KCON LA e Nova York.

“Nós sempre tivemos a esperança de que poderíamos ser populares na América, mas achamos que era só um sonho,” disse Rap Monster, o único membro que se sente confortável falando inglês. “Nossas letras são todas em coreano, então nós íamos para a KCON e tínhamos esperança de que um dia, talvez, nós poderíamos ter popularidade. Mesmo depois de sabermos sobre a Billboard nós não sabíamos que poderíamos ser um artista que esgotou cinco noites de shows. Então é tipo, ‘Ok, o que está acontecendo agora?’ E todos no grupo pensam que deveriam aprender inglês agora,” ele acrescentou, rindo.

Mas a barreira da linguagem não é uma barreira real para os fãs do BTS, conhecidos como ARMY. “‘Spring Day’ realmente me tocou,” disse o fã Rico Ramirez, de 24 anos. “Me fez sentir falta de todos os meus amigos em casa, pessoas que eu não tenho falado em muito tempo. Então desde ‘Spring Day’ eu comecei a entrar contato com eles.” Para Ramirez, “casa” é as Filipinas, e ainda que ele não saiba coreano, a tradução mexeu com ele.

Rap Monster sente a mesma coisa; é recíproco. “Eu escuto Nas e Jay Z, o que as letras significam, eu sempre encontro traduções. E nossas letras são todas sobre a vida dos jovens. Há algo de similar, eu acredito, entre todas as pessoas jovens no mundo, então eu acho que é por isso que os fãs internacionais se relacionam com nossas músicas… Se a nossa música, palavras e dança são capazes de afetar ao menos uma pessoa, fazê-la acreditar em nossas letras ou acreditar em mudanças ou acreditar que o mundo deveria ir na direção certa, então é um grande sucesso para nós. E eu acho que vamos continuar a escrever sobre esses tópicos.”

Fonte; OC Weekly
Trans eng-ptbr; nalu @ btsbr


Publicado em 06.04.2017
[FOTO] 05.04.17 – Nate Walka comenta sobre o sucesso da The Wings Tour
Veja a imagem!

Nate Walka, mentor da American Hustle Life, postou uma foto comemorando pelo sucesso do The Wings Tour.

cr; sky_nizzy @ instagram