Tudo o que você precisa saber sobre o projeto artístico global ‘CONNECT, BTS’

Anúncio

Tudo o que você precisa saber sobre o projeto artístico global ‘CONNECT, BTS’

Em 7 de janeiro, a Big Hit Entertainment anunciou a data de comeback para as suas superestrelas globais que vendem milhões de tudo, o BTS. Seus fãs, conhecidos como ARMY, comemoraram explodindo todas as redes sociais com hashtags para o novo álbum do grupo, Map of the Soul: 7, ocupando todos os principais lugares dos Trending Topics mundiais no Twitter naquele dia. A Big Hit deu continuidade ao burburinho com o lançamento de um ‘mapa’ no Twitter, detalhando as várias etapas da divulgação pré-lançamento do álbum, incluindo dois trailers – intitulados “Shadow” e “Ego” – programados para 10 de janeiro e 3 de fevereiro, respectivamente.

Entre esse cronograma ambicioso de trailers e filmes artísticos para divulgação do álbum, haviam cinco datas acompanhadas por cinco cidades, prefixadas com as palavras “CONNECT, BTS”. As datas começam com Londres em 14 de janeiro, passando por Berlim, Buenos Aires, Seul e Nova York ao longo do primeiro trimestre de 2020. O título “CONNECT, BTS” também foi usado em uma série de tweets intrigantes dos integrantes do grupo, onde JungKook, SUGA e RM, nesta ordem, posam em frente a um painel com imagens das cidades mencionadas acima. Os fãs especularam sobre o que isso poderia significar – alguns sugeriram que o BTS estava procurando novas maneiras de se conectar com os fãs (eles recentemente adicionaram legendas em inglês às populares ‘Bangtan Bombs’ no YouTube pela primeira vez), mas outros ficaram totalmente confusos sobre o real significado por trás de tudo isso.

O mistério do “CONNECT, BTS” foi solucionado nesta manhã na Serpentine Gallery de Londres, quando o diretor artístico Hans-Ulrich Obrist organizou a revelação de uma série de grandes projetos de arte que serão exibidos nestas cinco cidades, todas com entrada gratuita. Sob a direção do curador coreano Daehyung Lee, cinco curadores (incluindo diretores da Gropius Bau de Berlim, Serpentine de Londres e Alta Art Production de Nova York) reuniram o trabalho de 22 artistas, incluindo Antony Gormley, Tomás Saraceno e Bill Fontana. No Serpentine, o artista Jakob Kudsk Steeson revelou seu novo trabalho, “Catharsis”, que mergulha o público em uma impressionante simulação digital de uma floresta antiga reimaginada.

Durante a coletiva de imprensa na galeria, Lee indagou: “Por que o BTS?”, uma pergunta que almejava despertar a curiosidade da mídia artística sobre instituições artísticas estarem trabalhando com uma boyband. RM e Jimin, visivelmente entretidos, responderam com a simples pergunta: “Por quê?” O grupo estava presente através de uma vídeo conferência direto de Seul, onde assistiam a tudo enquanto vestidos sobriamente, com direito a camisas sociais (exceto V, que escolheu uma jaqueta militar vermelho-sangue para a ocasião).

Lee apontou para a “mensagem poderosa” do grupo e disse que “O BTS se tornou um grupo mundialmente renomado, digno de menção entre os artistas contemporâneos globais”. Ele admitiu que tem os assistido todas as noites, espantado com a capacidade do grupo se conectar de todas as maneiras, independentemente de fatores como classe social ou gênero. “A filosofia do BTS na forma de apoio à diversidade, e o amor e o cuidado com a periferia são uma das grandes motivações para o projeto”, disse ele. “Esse projeto incentivará a valorização da diversidade e estabelecerá as bases para novas grandes sinergias nascerem. A arte não pode mudar o mundo, mas podemos influenciar as pessoas a fazê-lo.”

Jimin respondeu dizendo: “Em primeiro lugar, gostaria de dizer que é uma grande honra fazer parte deste projeto e agradecer pela participação de todos esses grandes artistas e curadores”. Jin destacou a força de “mensagens positivas”, e que ele acredita que “somos capazes de tornar esse mundo realmente conectado, onde temos todas essas diversidades que não nos separam, mas que realmente nos unem”.

“Nós temos recebido tanto apoio e amor, jamais esperávamos ou pensávamos que fosse possível”, acrescentou SUGA. “Sempre fomos inspirados pela capacidade da música se comunicar além de fronteiras e barreiras, o que não é muito diferente do que a arte faz, então eu percebo que essa é a influência positiva da arte que continuou a nos inspirar”.

O BTS definitivamente não são estranhos ao mundo da arte. Eles frequentemente compartilham fotos de suas visitas a galerias em todo o mundo nas redes sociais, enquanto V (Kim Taehyung) é um aspirante a pintor, tornando este projeto um dos que mais se identificou na carreira. “Falando sobre mim, me tornei um fã de belas artes no ano passado”, admitiu RM, “então sou iniciante. Atualmente, meu hobby preferido é visitar galerias e museus e ver todas as grandes obras – pintura, escultura, artes midiáticas, os espaços e até edifícios. Quando olho para eles, vejo a jornada ao longo da vida e as lutas de seus pensamentos, isso sempre me emociona, choca e inspira. À medida que conectamos isso, espero que ainda mais pessoas possam acreditar no poder da arte, em qualquer gênero da arte, e que isso possa ajudar a mudar o mundo.”

“Arte e música contemporâneas também são dois mundos diferentes”, continuou RM. “O projeto é especialmente significativo para nós porque realmente representa a diversidade e cria uma mensagem coletiva e positiva para o mundo que valorizamos. Com esse projeto, esperamos devolver a grande quantidade de amor e apoio de nossos fãs, os ARMYs e de todo o público em geral.”

Gropius Bau, de Berlim, apresentará “Rituals of Care” (15 de janeiro a 2 de fevereiro), uma série de obras de mais de 17 artistas internacionais (incluindo Jelili Atiku, Maria Hassabi, Kennis Hawkins e Stephen Thompson), que abrange coreografias experimentais e práticas de cura, ambientes sonoros e paisagens em movimento.

JungKook mencionou “Nós tivemos a chance de conversar com os artistas, e o que foi significante para mim, foi como a obra de arte foi concluída através da experiência das pessoas que as viam. Também nos comunicamos com nossos fãs por meio de nossa música e sentimos que nossas performances são feitas graças à participação deles.” V enfatizou que “aprendemos muito com esse projeto e, em vez de pensar que arte é algo difícil ou complexo, concentre-se em suas próprias experiências e emoções e isso fará com que seja uma ótima experiência para todos.”

Em seguida, Buenos Aires verá a apresentação “Fly With Aerocene Pacha”, de Tomás Saraceno, onde um ser humano “flutuará no céu movido apenas pelo sol e pelo ar que respiramos”, de acordo com a sinopse revelada à imprensa. O objetivo é estabelecer o recorde mundial de um vôo totalmente solar, com o filme a ser exibido de 21 de janeiro a 22 de março. Durante a apresentação, Tomás Saraceno, que participou falando de sua obra, acrescentou que é um manifesto sobre a crise climática.

Artists exhibiting at CONNECT, BTS

O Dongdaemun Design Plaza de Seul abrigará duas grandes exposições públicas de 28 de janeiro a 20 de março. A primeira, da artista britânica Ann Veronica Janssens, é intitulada “Green, Yellow, Pink”, enquanto a segunda, “Beyond the Scene”, traz o artista coreano Yiyun Kang recriando os movimentos de dança do BTS através das técnicas de mapeamento de projeção.

Por fim, o Brooklyn Bridge Park Pier 3, em Nova York, abrigará a “New York Clearing” de Antony Gormley – 18 quilômetros de tubos de alumínio que se enrolam e enrolam sem começo nem fim. Gormley participou da coletiva de imprensa para discutir a criação de um trabalho “que não tem barreiras”.  Ele diz “não sei se ele realmente funcionará com o vento e o frio da cidade de Nova York no inverno, mas vamos tentar e vamos construí-lo no local por dez dias”, disse ele. Você pode vê-lo de 4 a 27 de março. Como um bônus adicional, os participantes das exposições poderão acessar vídeos especiais de introdução das obras de arte gravados pelo BTS e, se você não puder comparecer pessoalmente, o “CONNECT, BTS” estará pronto para recebê-los em um portal chamado o “DOCENTE SECRETO”.

Como observação final, RM acrescentou: “Estamos muito felizes e animados por fazer parte desse projeto. Estamos ouvindo palavras de que o mundo não precisa de arte e a arte não pode mudar o mundo, mas acreditamos no poder da arte.”

Fonte: Dazed

Notícias | por em 14/01/2020
Compartilhe:

Comentários:


Anúncio