BTS fala da inspiração por trás de Dynamite, o novo álbum, gratidão pelos ARMYs e mais!

Anúncio

BTS fala da inspiração por trás de Dynamite, o novo álbum, gratidão pelos ARMYs e mais!

Hoje, 21 de agosto, após várias semanas de teasers, as super estrelas do K-Pop BTS lançaram sua primeira faixa na língua inglesa, “Dynamite,” uma música alegre com toque disco feita pra inspirar felicidade e esperança durante os tempos difíceis que vivemos.

“[A inspiração para Dynamite] veio disso: mesmo no meio das dificuldades, nós precisamos focar no que podemos fazer. Quanto a nós, encontramos liberdade e felicidade ao cantar e dançar. Essa música é para aqueles que precisam de encorajamento. Nós esperamos que as pessoas se sintam energizadas ao escutar a música,” disse o grupo para o GRAMMY.com.

Mesmo em um ano sem precedentes de turbulência e desaceleração para a indústria do entretenimento (e praticamente para todos), o BTS conseguiu manter sua posição no topo do cenário pop global. Após ter que cancelar sua gigantesca turnê mundial Map Of The Soul World Tour, o grupo, já tendo uma presença on-line super engajada com o seu enorme exército de fãs dedicados, foi criativo e entregou um animado e colorido – e extremamente bem sucedido – show pago virtual, a BANG BANG CON: The Live, em junho.

Esse ano, o BTS também deu um exemplo do que significa ser uma força positiva no mundo, usando a sua plataforma para o bem de diversas maneiras. Em junho, junto com a sua empresa Big Hit Entertainment, eles doaram 1 milhão de dólares para a Crew Nation, para apoiar as equipes que trabalhariam em shows e ficaram sem trabalho devido à pandemia, e 1 milhão de dólares para o movimento Black Lives Matter. Eles também se solidarizaram com a comunidade negra com um tweet simples, mas poderoso, que deixou clara sua posição contra o racismo.

E, é claro, eles também estão ocupados trabalhando em novas músicas, entregando “Stay Gold” e seu quarto álbum japonês Map of the Soul: 7 ‘The Journey’, em junho e julho, respectivamente. Agora, com “Dynamite,” nós temos um gostinho do seu próximo álbum, que eles têm focado em criar.

Para saber mais sobre “Dynamite,” o próximo projeto, os ARMYs e outros destaques de 2020 para o grupo, nós conversamos com o septeto dinâmico (que consiste em RM, Jin, SUGA, J-Hope, Jimin, V e JungKook) por e-mail. Continue lendo para saber mais sobre o BTS.

Qual foi a inspiração por trás da sua nova música, “Dynamite”? O que vocês esperam que os ouvintes sintam ao escutarem?

BTS: Tudo começou assim: mesmo no meio das dificuldades, nós precisamos focar no que podemos fazer. Quanto a nós, encontramos liberdade e felicidade ao cantar e dançar. Essa música é para aqueles que precisam de encorajamento. Nós esperamos que as pessoas se sintam energizadas ao escutar a música.

“Dynamite” é a sua primeira música inteiramente em inglês– como vocês se prepararam para gravar e quem escreveu a letra?

BTS: Foi um desafio para nós também. A letra, que é exatamente o que nós queríamos dizer para os nossos ouvintes, foi escrita por David Stewart e Jessica Agombar. Da primeira vez que ouvimos, ela pareceu nova e perfeita exatamente como é em inglês, e durante o processo de gravação, nós nos esforçamos pra entregar a mensagem com perfeição em inglês.

Vocês podem nos contar mais sobre o novo álbum que vocês disseram que será lançado mais tarde ainda esse ano? Que tipo de som e temas vocês estão explorando nesse projeto?

BTS: No momento nós estamos trabalhando em um novo álbum e compartilhando o processo com os fãs através de transmissões ao vivo. A contribuição de cada integrante têm sido significante para esse projeto em particular, então nós meio que estamos fazendo tudo que nós já queremos tentar. Está previsto para o final do ano, e mais detalhes sairão em breve.

Em fevereiro, Map of the Soul: 7 se tornou o seu quarto álbum a estreiar no 1º lugar do Billboard 200, com os seus maiores números de primeira semana até então. O que o sucesso de um álbum significa para vocês?

BTS: Nós não temos como ser gratos o suficiente aos nossos fãs. Eles tornaram isso possível.

Todos vocês lançaram música como artistas solo — qual é a sensação de trabalhar nos seus projetos individuais em oposto ao BTS? Qual é a maior coisa que cada um de vocês aprendeu com os seus projetos solo?

RM: A sensação é de que eu tenho duas identidades completamente diferentes. Trabalhando no BTS, eu preciso ser atencioso com os outros, mas as vezes também significa que eu apenas preciso fazer a minha parte bem, e o resto vai rolar. Trabalhando individualmente, eu definitivamente tenho mais liberdade, mas menos da sensação de conforto e pertencimento que eu sinto quando trabalho com os outros integrantes do BTS.

Jin: Eu posso fazer o que eu quiser quando trabalho sozinho, enquanto todos nós precisamos estar na mesma página com relação aos conceitos, melodias e letras para um projeto coletivo.

SUGA: Para mim, não existe muita diferença em termos de processo. É apenas muito encorajador ter o meu grupo ao meu lado, e trabalhar juntos em um álbum do BTS.

J-Hope: Eu consigo saber quais são as minhas falhas em um projeto solo. Nós temos muitas pessoas participando nos nossos projetos em grupo, incluindo produtores. Mas um projeto solo é um resultado direto do planejamento e da execução feitos por mim, o que me ajuda a entender melhor o feedback do público — esses são aprendizados valiosos.

Jimin: Eu foco mais nos meus pensamentos pessoais quando eu trabalho sozinho, enquanto trabalhar em grupo me possibilita refletir mais sobre as coisas que vivenciamos como grupo. Eu também acredito que projetos solo são atividades adicionais permitidas pelo BTS.

V: No momento eu estou trabalhando na minha própria mixtape, e eu tenho que admitir que há muita pressão. Eu acho que há mais no que pensar em comparação com os projetos em grupo.

JungKook: Eu não acho que posso me considerar um artista solo ainda, já que eu falto em muitas coisas. Eu realmente preciso melhorar. Eu vou continuar ouvindo e fazendo música até eu poder fazer algo por conta própria.

A sua BANG BANG CON virtual foi um grande sucesso — qual foi a sensação de se conectar com os ARMYs dessa maneira? Vocês pretendem planejar outra?

BTS: Nós ficamos muito felizes de nos apresentar para os nossos fãs. Sim, nós sentimos muita falta dos seus gritos altos, mas nós demos o nosso máximo graças ao amor que eles nos dão, de perto e de longe. Nós faremos outro show em outubro chamado Map of the Soul ON:E, e dessa vez ele será tanto virtual quando presencial. Nós estamos tão animados e emocionados por finalmente podemos encontrar os nossos fãs pessoalmente. 

Como grupo, vocês se solidarizaram com o movimento Black Lives Matter no Twitter e com uma generosa doação em parceria com a Big Hit. Como aliados não-negros, por que é importante para o grupo se manifestar e se juntar à comunidade negra em solidariedade?

BTS: Nós acreditamos que a nossa mensagem no Twitter fala por si só. Nós somos contra a discriminação racial e condenamos a violência. Todos nós temos o direito de ser respeitados. Não importa se somos não-negros ou não.

O que está por vir para o BTS?

BTS: Como nós mencionamos, faremos um show em outubro e lançaremos um álbum no final do ano. E nós temos muitas coisas preparadas com relação à “Dynamite,” então é bom que todos mantenham os seus olhos na bola*!

*Um trecho da letra de “Dynamite”, “keep your eyes on the ball.”

Fonte: Grammy

Entrevistas | por em 21/08/2020
Compartilhe:

Comentários:


Anúncio