BTS fala sobre compor músicas na pandemia (e mais!) em entrevista para o Grammy Museum

Anúncio

BTS fala sobre compor músicas na pandemia (e mais!) em entrevista para o Grammy Museum

O BTS concedeu uma entrevista e fez uma apresentação para o novo serviço de streaming do Grammy Museum chamado Collection: Live.

Durante a entrevista com Scott Goldman, o grupo falou sobre fazer música no meio da pandemia de COVID-19, assunto esse que englobou seu álbum que está por vir, junto do single “Dynamite,” e a mixtape D-2 de Agust D. O septeto ainda comentou sobre o sucesso de “Dynamite” nos charts, a coreografia da música e a dinâmica de grupo que eles adquiriram ao longo dos últimos sete anos.

Sobre a vida na quarentena, RM disse “Em fevereiro e março, nós estávamos sentindo raiva, tristeza e desespero. Com o passar do tempo, nós decidimos focar no que podíamos fazer. Nos concentramos no nosso novo álbum e em ʽDynamiteʼ. Também desenvolvemos hobbies pessoais como tocar violão, pintar, desenhar e etc.”

Sobre sua mixtape, SUGA afirmou “Tive muito tempo à meu favor, para que pudesse trabalhar na mixtape. Fui capaz de juntar um compilado de dez músicas completas e lançá-las.

Jimin, V e J-Hope enfatizaram que “Dynamite” veio como uma tentativa de melhorar o astral das pessoas durante esse período tão complicado. Jimin disse, “Nos deparamos com a música enquanto trabalhávamos no álbum, tinha uma letra significativa e sentíamos que passava melhor a mensagem da forma que estava [em inglês]. Então decidimos aceitar o desafio de trazê-la a vida.”

J-Hope acrescentou, “Todo mundo está passando por tempos difíceis. Como cantar e dançar era a melhor coisa que podíamos fazer nesse período, ‘Dynamite’ foi a nossa forma de transmitir a alegria que sentimos ao estar nos palcos”. V disse, “‘Dynamite’ foi a nossa reação à essa pandemia. Queríamos trazer energia para as pessoas através do canto e da dança, que é o que fazemos de melhor.”

Imagem

SUGA afirmou, “‘Dynamite’ possui o estilo retrô, um tom disco, então experimentamos várias coisas novas na hora da mixagem. Não crescemos escutando música disco, por isso pensamos bastante sobre reviver essa era. Como uma espécie de tradição, nós trabalhamos com diversos profissionais no processo de mixagem, e estamos sempre em constante processo de revisão, então acaba que provamos muitos estilos musicais diferentes”. J-Hope também partilhou que o ponto chave da coreografia é que ela é fácil, justamente para que qualquer um possa se juntar na dança.

Sobre a dinâmica de grupo, Jin falou “Nós somos muito próximos uns dos outros e conversamos com frequência. Nos entendemos entre nós e reconhecemos que todos somos parte do ‘BTS,’ assim podemos ser objetivos e todos compartilham opiniões para obtermos bons resultados”. RM ainda acrescentou, “Cada um de nós é bem diferente, e demorou um pouco para realmente entendermos uns aos outros. Nós sete estamos no mesmo barco mas estamos olhando para direções diferentes. Temos nossas próprias e únicas cores. Somos tipo bibimbap (arroz coreano misturado com vegetais variados e carne), pois, mesmo possuindo diversos ingredientes diferentes, juntos nos tornamos uma bela combinação, tipo um hambúrguer.”

JungKook declarou, “15 anos é uma idade muito nova para se começar uma carreira. Eu, naturalmente, desenvolvi amor pela música enquanto trabalhava com os outros integrantes. Como pessoa, eu acredito que fui influenciado positivamente por trabalhar com humanos tão incríveis. É por isso que sou grato aos outros integrantes”. Ao serem perguntados sobre motivos pelos quais já discutiram no passado, os sete citaram exemplos como: afazeres, comida e dividir roupas.

Imagem

Sobre discutir problemas sociais em suas músicas, SUGA recitou: “Não comecei com a intenção de ser vulnerável através das músicas. Mas sempre me perguntei o motivo de ninguém nunca falar sobre esses assuntos. Eu não queria escrever músicas violentas ou que não tivessem alguma mensagem. Se uma pessoa não escrever uma música sobre sua própria história, então sobre o que ela vai escrever? Qual o motivo das pessoas não falarem sobre isso? E quem falaria sobre [caso eu não falasse]?”

Ao serem perguntados sobre a doação dos ARMYs em resposta à doação do BTS para causa Black Lives Matter no começo do ano, RM respondeu “Acredito que nossa mensagem no Twitter fale por si só. Fico agradecido por saber que os fãs estão ao nosso lado.”

No final da entrevista, o grupo fez uma apresentação de “Dynamite”. O single que, além de ter estreado em primeiro lugar no Bilboard Hot 100, se manteve na primeira posição por três semanas (não consecutivas). Parabéns ao BTS!

Fonte: Soompi

Artigos | por em 29/09/2020
Compartilhe:

Comentários:


Anúncio