‘Black Swan’ mostra a reflexão interna do BTS e o seu relacionamento com a música

Anúncio

‘Black Swan’ mostra a reflexão interna do BTS e o seu relacionamento com a música

Como a voz musical de uma geração, o BTS pode ser descrito de diversas maneiras, porém “cansados” não era uma opção até o dia 17 de janeiro, quando o grupo agraciou o mundo com sua nova introspectiva música, “Black Swan”. No primeiro single do seu novo álbum, Map of the Soul: 7, os integrantes usam a música para expressar seus sentimentos frios sobre como artistas veem seu trabalho, e como eles se sentem quando o seu amor pela arte se perde.

A mistura atmosférica e assombrosa de instrumentais pesarosos com a batida trap explora a ideia artística de que se desapaixonar pela arte é algo parecido com a morte.

“O coração não acelera mais quando escuta a música tocar,” SUGA canta durante a altura reflexiva da música. “Parece que o tempo parou, oh, essa seria a minha primeira morte, que eu sempre temi.” RM segue: “Se isso não ressoar mais, não fizer mais o meu coração vibrar, então assim pode ser como eu morro a minha primeira morte. Mas e se esse momento for agora?” Alguns momentos depois, Jimin transmite pesarosamente “Nenhuma música me afeta mais, chorando silenciosamente.”

De acordo com a nota de imprensa, a música serve “uma confissão de um artista que aprendeu verdadeiramente o que a música significa para si.”

O lançamento de “Black Swan” seguiu o solo de SUGA, “Interlude: Shadow,” que definiu o tom do novo álbum onde o BTS continua explorando a psicanálise Junguiana, seguindo o álbum topo do Billboard 200, Map of the Soul: Persona. Na psicologia Junguiana, o mapa da alma – como demonstrado no livro de mesmo nome de Murray Sten, que o BTS revelou ter inspirado partes da série de álbuns – explora o funcionamento interno da persona, sombra e ego.

O art film trouxe a performance da companhia eslovena de dança moderna MN Dance Company. O visual explora as dificuldades descritas pelo BTS na letra e interpretada pelos dançarinos.

A citação da lenda da dança moderna Martha Graham define todo o clima: “Um dançarino morre duas vezes — a primeira vez quando para de dançar, e a primeira morte é a mais dolorosa.”

Fonte: Billboard

Artigos | por em 13/02/2020
Compartilhe:

Comentários:


Anúncio