Xenofobia? Os ARMYs não permitem e fazem barulho contra a ABC

Anúncio

Xenofobia? Os ARMYs não permitem e fazem barulho contra a ABC

Os ARMYs abalaram as redes sociais na terça-feira (25 de setembro), acusando a ABC de transmitir afirmações ofensivas sobre os artistas sul-coreanos.

IMG_01

O grupo fez história ao estar presente na ONU em Nova Iorque na segunda, dia 24, para advogar em favor dos problemas da juventude global com um poderoso discurso — mas também foi assunto do World News Now transmitido na terça. Durante o noticiário, o âncora Kendis Gibson deu opiniões polêmicas e baseadas em estereótipos sobre o BTS, referenciando-se a eles repetidamente como “uma boyband da Coreia”.

Você pode ver um vídeo sobre o acontecido no tweet abaixo:

[TRAD] Caro @kendisgibson, por favor, você pode explicar o antiprofissionalismo e visões problemáticas que você expressou sobre o BTS? Por favor, faça melhor.

É importante notar que muitos fãs do BTS não gostam de se referir a eles como “boyband”, ao passo que muitos sentem que essa expressão toma conotações juvenis que podem minar o trabalho pesado, a luta e as letras profundas do grupo, o que não é frequentemente associado a típicas “boybands”.

Gibson também foi acusado de ser racialmente insensível ao ressaltar de maneira repetitiva que o BTS é da Coreia do Sul — “uma boyband da Coreia”, ele comentou mais de uma vez, balançando sua cabeça ao mesmo tempo que sua co-âncora chamou o grupo de “exemplos” — e por parecer zombar do uso do inglês pelo grupo como a segunda língua.

Em um momento durante a reportagem, Gibson riu sarcasticamente à proclamação metafórica de “fale por si mesmo” do discurso do líder do grupo, RM, no qual o jornalista e a co-âncora pareceram achar a frase gramaticalmente confusa. Ele ironicamente caracterizou como “poético”, dizendo que até se formaram lágrimas em seus olhos.

Gibson também bizarramente afirmou que o grupo é conhecido por “abrir suas pernas” em seus videoclipes e ridicularizou-os por seus “movimentos coreográficos”.

Naturalmente, fãs se desapontaram com o programa, chamando a atenção da ABC e de Gibson e pedindo uma retratação ou desculpas – e outros simplesmente desejando educar a rede.

[TRAD] Você pode realmente mandar reclamações para a ABC. Aqui está a minha: os comentários de Kendi Gibson sobre o BTS foram absolutamente degradantes. Poder falar à frente na ONU é uma GRANDE honra. Ele deveria ter sido mais respeitoso e ter feito uma pesquisa de verdade sobre quem o BTS é, sua mensagem e seu trabalho com organizações como a UNICEF. O BTS não é apenas uma “boyband”, eles defendem o fim da violência contra crianças. O Sr. Gibson tem algum problema com isso, ou ele apoia a violência contra crianças? Ele ou a sua empresa deveriam fazer uma declaração.

[TRAD] Eu sei que o BTS não é o Nelson Mandela e nunca farão o que este homem fez, mas só porque alguém não é dos Estados Unidos ou de uma nação que você respeita menos que outra não faz uma pessoa ou o que eles estão tentando fazer menos importante ou em vão.

[TRAD] Infelizmente, eu ouço claramente ele dizer abrir suas “pernas”. O sexismo de Kendis Gibson, etarismo e comentários anti-coreanos/anti-asiáticos são totalmente ofensivos, inapropriados e não-profissionais. O que vocês vão fazer @abcWNN?

[TRAD] O que Kendis disse sobre o BTS é muito nojento. Sim, eles são um boygroup da Coreia do Sul, com coreografias absolutamente incríveis que combinam com sua música, mas eles trabalham MUITO para fazer essa geração amar a si mesma e a usar suas vozes. É sobre isso que fala sua música.

Fonte: Pop Crush
Trad eng-ptbr; clau @ btsbr

Artigos | por em 26/09/2018
Compartilhe:

Comentários:


Anúncio